Facebook é acusado de discriminação por Governo dos Estados Unidos - WHOW

Pessoas

Facebook é acusado de discriminação por Governo dos Estados Unidos

Administração de Trump alega que Facebook discrimina trabalhadores norte-americanos ao dar preferência a imigrantes na contratação

POR Carolina Cozer | 07/12/2020 18h15 Imagem Ryoji Iwata: Unsplash Imagem Ryoji Iwata: Unsplash

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ) abriu uma acusação na última quinta-feira (3) contra o Facebook, alegando discriminação contra trabalhadores norte-americanos ― abrindo mais uma disputa entre o Governo e a big tech.

O processo, que foi conduzido pelo Governo de Donald Trump, afirma que a empresa de Mark Zuckerberg está favorecendo trabalhadores imigrantes em vez de nativos estadunidenses, o que consideraram “discriminação”.

Facebook estaria contratando apenas imigrantes, segundo acusação

De acordo com o processo, divulgado no portal do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, a acusação alega que “o Facebook intencionalmente criou um sistema de contratação no qual negava aos trabalhadores norte-americanos qualificados uma oportunidade justa de aprender e se candidatar a empregos que a empresa buscava canalizar para portadores de vistos temporários, a fim de patrocinar green cards.”

A ação também afirma que que o Facebook, através deste suposto método, estaria impedindo trabalhadores norte-americanos de concorrerem a cerca de 2.600 cargos com salário médio de cerca de US$ 156 mil ao ano.

“Nossa mensagem aos trabalhadores é clara: se as empresas negarem oportunidades de emprego, preferindo ilegalmente os titulares de vistos temporários, o Departamento de Justiça os responsabilizará. Nossa mensagem para todos os empregadores ― incluindo os do setor de tecnologia ― também é clara: você não pode preferir recrutar, considerar ou contratar titulares de vistos temporários em vez de trabalhadores dos EUA”, afirma Eric Dreiband, procurador-geral adjunto da Divisão de Direitos Civis, na ação judicial.

DOJ busca indenização

Os portadores de vistos temporários têm limitações profissionais e, segundo a acusação, supostamente permaneceriam nas empresas contratantes até que possam ajustar seu status ― o que pode levar décadas. 

Assim, as supostas práticas do Facebook não estariam apenas discriminando os trabalhadores dos EUA, mas também incentivando que mais portadores de vistos temporários se candidatem a cargos para que se beneficiem da retenção da contratação, aponta o Departamento de Justiça.

Através do processo, o DOJ busca indenização em nome dos trabalhadores americanos negados no Facebook devido à suposta discriminação, além de medidas que garantam que o Facebook não cometa mais as alegadas violações no futuro.


+FACEBOOK

Facebook é investigado por vazamento de dados de crianças em todo o mundo
Big techs e o problema do monopólio de poder
Facebook, Twitter e YouTube perderam a empatia, diz especialista. Entenda o porquê
Quem serão os futuros unicórnios globais?