EXCLUSIVO: Ranking das 10 startups na tendência da inovação aberta - WHOW

Eficiência

EXCLUSIVO: Ranking das 10 startups na tendência da inovação aberta

O Whow! teve acesso antecipado à lista Top 10 New Trends da 100 Open Startups e conversou com empreendedores premiados

POR João Ortega | 27/10/2021 16h00

A inovação aberta, que é a construção de projetos inovadores em colaboração entre diferentes agentes do ecossistema, está em alta. Cada vez mais, grandes empresas procuram startups para solucionar problemas e gerar mais valor aos seus clientes. Neste cenário, as startups mais alinhadas às novas tendências do mercado ganham relevância e entram na mira do universo corporativo. 

A 100 Open Startups, organização que promove a inovação aberta no Brasil, divulga anualmente um ranking das startups que mais se destacam neste contexto. Neste ano, a lista está sendo lançada em categorias. O Whow! teve acesso antecipado à categoria New Trends, que corresponde às startups cuja atuação se configura como uma tendência de mercado. Veja a lista, a seguir, e confira entrevistas exclusivas com empreendedores premiados no ranking. 

Ranking: Top 10 New Trends

1- Prosas | Grantmaking Platform;

2- SenseData;

3- GAT InfoSec;

4-  eMiolo.com;

5- Nanodata;

6- CleanCloud;

7- Cerensa;

8- N3urons;

9- Morada da Floresta;

10- LeadFinder. 

Inovação aberta e novas tendências

Apesar da pandemia, a atividade de inovação aberta com startups dobrou no último ano, segundo o Ranking 100 Open Startups. Para a edição 2021, foram declarados 26.348 relacionamentos de open innovation entre corporações e startups, enquanto em 2020 foram 13.433 relações declaradas. Além disso, das mais de 18 mil startups cadastradas, 2.414 tiveram contratos de open innovation com corporações validados para o Ranking 2021, contra 1.310 em 2020, ou seja, mais de 1.000 novas startups geraram impacto nas cadeias tradicionais apenas neste ano.

Entre as startups da categoria New Trends, as tendências de inovação mais exploradas foram: Big Data & Analytics, experiência do cliente (CX) e modelos de negócio inovadores. “Das startups premiadas na categoria, seis são novas em relação ao Ranking 2020, o que demonstra que o setor de novas tendências têm buscado soluções inovadoras das startups, mesmo sendo um dos mais impactados pela pandemia”, comenta Rafael Levy, CTO e cofundador da 100 Open Startups. 

No topo do ranking de 2021, o Prosas repete o feito no ano anterior, quando também liderou a categoria New Trends. Trata-se de uma startup que conecta grandes empresas a projetos de empreendedorismo social, posicionando-se, portanto, na tendência da responsabilidade social do mundo corporativo. Segundo Thiago Alvim, sócio-fundador do Prosas, o ano de 2021 está sendo ainda mais positivo que o anterior. Isto porque, em muitos casos, o planejamento de ESG das empresas começou a ser realizado em 2020 e está sendo concretizado neste ano. 

“Agora, estamos colhendo os frutos por já estarmos estruturados e ter um reconhecimento de grandes empresas, além da confiança da chancela de estar no topo da categoria New Trends no ano passado”, diz o empreendedor, em entrevista exclusiva. “2021 trouxe uma pressão muito maior para o mundo corporativo trabalhar responsabilidade social. ESG veio para ficar”. 

A SenseData, que figura na segunda posição da categoria, também contou com um 2020 positivo e um 2021 ainda melhor. “A SenseData majoritariamente trabalha com a indústria digital e empresas tradicionais em projetos de transformação digital, que é o que mais ocorreu durante a pandemia”, diz Mateus Pestana, CEO e fundador da startup, em entrevista exclusiva. “Em 2021, confirmamos a expectativa de dobrar de tamanho, em receita e em número de clientes”. 

Olhando para o futuro, ambos os empreendedores buscam “fugir” da categoria New Trends, à medida que tornam seus mercados mais mainstream. “Não dá para sempre estar à beira da tendência, porque neste local tem mais gasto do que dinheiro”, explica Mateus Pestana.  “No ciclo da inovação, há um grande investimento em recursos, tempo, esforço e evangelização para criar uma categoria. O que se espera, como empresa, é que essa tendência vire mainstream e, nesse momento, seja o líder de mercado e capture o investimento feito inicialmente”.

Thiago Alvim vê o Prosas caminhando em direção a uma nova clientela, que é o setor público. “A tecnologia resolve dores de governo também. As organizações públicas também têm uma necessidade de se relacionar com o terceiro setor e, para isso, precisam de uma ferramenta que dê eficiência, organização e transparência na execução dos projetos. É isso que nós tentamos trazer. Então, a minha expectativa é, no ano que vem, estar no ranking das govtechs”, afirma o empreendedor.

Thiago Alvim, CEO da Prosas, líder da categoria Top New Trends Thiago Alvim, CEO do Prosas, líder da categoria Top New Trends