Exclusivo: empresas no país estimam aumentar velocidade da inovação em 40% para 2022 - WHOW
Eficiência

Exclusivo: empresas no país estimam aumentar velocidade da inovação em 40% para 2022

Estudo obtido com a Fundação Dom Cabral vai mostrar mensalmente um raio-x das expectativas das empresas e as suas perspectivas

POR Eric Visintainer | 03/03/2021 12h20 Exclusivo: empresas no país estimam aumentar velocidade da inovação em 40% para 2022 Imagem: Rawpixel

Em uma parceria do portal Whow! com a Fundação Dom Cabral, vamos mostrar mensalmente os resultados do relatório do Observatório da Inovação do Centro de Referência de Inovação da instituição.

Este é um raio-x da movimentação de 37 empresas conectadas à FDC (Aevo, Alelo, Amazon, Andrade Gutierrez, ArcelorMIttal, Banco do Brasil, Bancoob, Embraer, Deloitte, Embrapa, Endeavor Brasil, Fapemig, FDC, FIESC, Grupo ÁguIa Branca, Hydronorth, IBM, IR BrasilRE, Jacto, KUNUMI, Localiza, Mercedes-Benz, MRV Engenharia, Nexa, Oxiteno, Petrobras, Pottencial Seguradora, Prosegur, Quantum4, Spassu Tecnologia, Raja Valley, Sociedade Brasileira de Gestão de Conhecimento, Subsea 7, Time-Now, Vale, Votorantim e Vix), com dados coletados na primeira semana de cada mês, destacando as expectativas das empresas e as suas perspectivas para a inovação no Brasil.

O resumo executivo é realizado pelo Centro de Referência em Inovação Nacional e o primeiro de 2021 pode ser visto aqui.

Estimativas para a inovação no Brasil em 2021 e 2022

Para o mês de fevereiro, o principal destaque ficou com a leve melhora na média dos dados coletados, entre janeiro e o mês passado. Alguns dos principais destaque foram: aumento de cinco pontos percentuais (40%) para o tema de “Recursos distribuídos em inovação de processos (% em relação ao total de recursos destinados à inovação), mais dois pontos percentuais (19%) para a expectativa de “Ganhos de produtividade nos processos internos (% em relação às receitas líquidas)” e dois pontos percentuais adicionais (12%) em “Receitas de novos produtos e serviços (% em relação às receitas líquidas)”.

As estimativas para este ano e o próximo sobre o número de ideias geradas no tempo continuam elevadas, entre as empresas participantes do relatório, em 70%, bem como a satisfação do cliente (NPS) em 50% e 60%, respectivamente.

E em quase metade das empresas, tanto em 2021 quanto para 2022, exista a estimativa para a aquisição externa de fontes de inovação (% em relação aos recursos destinados à inovação), com 45%.

Também para este e o próximo ano, as empresas participantes do estudo almejam ser 35% e 40%, respectivamente, mais rápidas no desenvolvimento de novas soluções.

Empresas para observar

Outro tema no relatório do Observatório da Inovação do Centro de Referência de Inovação da FDC é uma lista de companhias com atuação nacional que merecem a atenção por conta da solidez com governança, estratégia de inovação, recorrência em projetos de inovação e geração de caixa, com alto Ebitda.

Em janeiro este número era de 10 e em fevereiro pulou para 16 empresas (Magazine Luiza, WEG, Natura, Localiza, Intermédica, Lojas Americanas, B2W, Via Varejo, Totvs, Unidas, Duratex, Fleury, Baumer, Ind Romi, Petrobras e Link).

E dentre elas, as três companhias com os maiores Ebitdas (lucro antes de juros, impostos depreciação e amortização) em margem percentual são: Petrobras (42,73%), Fleury (28,18%) e Localiza (23,94%), de acordo com dados do estudo.


+INOVAÇÃO NO BRASIL

Veja os próximos passos da inovação no Brasil
Instituição de ensino oferece formação ágil em TI
Healthtechs atingem recorde global de investimento
Conheça as 10 empresas mais valiosas de IA