Entenda o processo de aquisições da Locaweb, antes e após o IPO - WHOW
Eficiência

Entenda o processo de aquisições da Locaweb, antes e após o IPO

A empresa que anunciou recentemente duas compras – Etus e Social Miner – conta o que leva em conta ao avaliar startups

POR Adriana Fonseca | 15/10/2020 10h19

Em um intervalo menor que dez dias, a Locaweb anunciou duas aquisições: Etus e Social Miner. Estas foram as duas primeiras compras da companhia, após a abertura de capital da organização em fevereiro deste ano. Os M&As vêm de encontro ao plano de crescimento da empresa brasileira por meio de aquisições, que foi detalhado no momento do IPO, mas que já vem de muito antes. 

Luis Carlos dos Anjos, gerente-executivo e de canais da empresa, conta que esse projeto de crescer via compra de empresas menores nasceu em 2012.

Desenvolver o próprio sistema ou comprá-lo?

Naquela época, ele conta que, a Locaweb já tinha uma solução de plataforma de e-commerce que funcionava bem, mas era difícil evoluir. “Chegamos em dois caminhos: colocar bastante tempo e dinheiro para reconstruir a plataforma para atender as necessidades atuais do mercado ou colocar mais dinheiro e comprar uma empresa que já oferecesse a solução”, explica Luis ao Whow!. 

Assim, a primeira aquisição da Locaweb foi a Tray, que segundo o executivo já era uma plataforma consolidada, ainda que com uma base de clientes pequena. “Hoje já é mais de dez vezes maior em geração de caixa e número de clientes”, diz. “Vimos, naquele momento, que a Locaweb era boa para fazer isso. A empresa já tinha uma base de clientes enorme e tinha certa facilidade de fazer ‘cross selling’, que é oferecer outros serviços para os clientes da base.” Por outro lado, os consumidores gostaram desse movimento de receber novas soluções, porque resolviam diferentes problemas com o mesmo fornecedor. 

Depois desta aquisição inicial, veio a compra da Allin e, posteriormente, de outras empresas. “Sabíamos que as aquisições tracionam bem, então a empresa decidiu levantar dinheiro pelo IPO”, comenta o gerente-executivo e de canais da Locaweb.

Fatores para futuras aquisições 

O IPO concretizado em fevereiro deste ano veio para que a Locaweb ganhasse fôlego financeiro para fazer mais aquisições – e os primeiros resultados disso são as compras da Etus, que tem uma solução para gestão e marketing digital em redes sociais, e da Social Miner, que oferece tecnologia e soluções para lojas virtuais aumentarem as vendas e conversões usando big data e inteligência artificial. 

Até chegar nessas duas startups, a Locaweb analisou centenas de opções. Luis diz que a companhia leva em conta alguns fatores para avaliar futuras aquisições:

  • A empresa precisa ter um produto de recorrência, porque a base da Locaweb é assim;
  • Os empreendedores têm que querer continuar na operação, para então se tornarem o head da operação; 
  • A empresa precisa atuar em um mercado que a Locaweb já faz parte, mas trazendo uma nova oportunidade, ou em um mercado que a companhia ainda não atua. 

Em relação a esse último ponto, as duas mais recentes aquisições ilustram bem os dois cenários. 

Novos horizontes para a Locaweb

A Locaweb já tinha a solução da Allin dentro de casa, que, segundo o gerente-executivo e de canais, é forte para gerar tráfego para as lojas virtuais. Só que havia uma oportunidade de fazer com que esse tráfego convertesse melhor. De acordo com ele, somente 5% das pessoas que entram no e-commerce compram algo de fato. “Existe oportunidade com outras 95% pessoas que foram até lá e não compraram” explica. 

Já a compra da Etus representa um mercado novo para a Locaweb, que é a gestão de redes sociais. “A Locaweb quer atender bem nas tecnologias aderentes ao cliente. Já oferece site, domínio, plataforma de e-commerce, solução em nuvem, tudo isso, mas os clientes dependem das redes sociais para ter mais um braço no digital, e não podia ficar de fora dessa necessidade dos clientes”, diz Luis.

O maior desafio das aquisições é manter a cultura corporativa, sem descaracterizar o DNA da startup adquirida. Justamente por isso, a cultura da startup também é avaliada na hora da aquisição.

“A Locaweb tem um ambiente colaborativo. Não adianta trazer para dentro do grupo uma empresa que é totalmente fechada. Não vai casar.”

Luis Carlos dos Anjos, gerente-executivo e de canais da Locaweb

Para fazer a fusão, um grupo de trabalho é estabelecido. Ele é composto por profissionais de diferentes áreas, como recursos humanos, financeiro e contabilidade, além do diretor de negócio de uma unidade da Locaweb que está mais próximo da área de atuação da startup comprada. “Esse grupo atua na aquisição e depois, para garantir que as coisas aconteçam como o esperado”, conclui o gerente-executivo e de canaisda empresa.investimentos


+AQUISIÇÕES DE STARTUPS

17 aportes e 11 aquisições em setembro
24 aportes e 12 aquisições em agosto
13 aportes e 12 aquisições em julho
20 aportes e 3 aquisições em junho no Brasil