Empresas de educação estão cada vez mais próximas do ecossistema de startups - WHOW

Pessoas

Empresas de educação estão cada vez mais próximas do ecossistema de startups

Apenas nesta semana duas grandes empresas anunciaram novas frentes de relacionamento com o ecossistema de startups brasileiras

POR Redação Whow! | 03/03/2021 11h47 Imagem: Shutterstock Imagem: Shutterstock

No ano passado, quase duas mil médias no Brasil e grandes empresas interagiram com mais de 1.300 startups, de acordo com dados da plataforma de open innovation 100 Open Startups. E este movimento está abrangendo também o setor daeducação.

Apenas nesta semana duas grandes empresas anunciaram novas frentes de relacionamento com o ecossistema de startups brasileiras.

Faber-Castell vai investir em novas empresas

 Fundada em 1761, na Alemanha, e atualmente com escritórios em mais de 100 países, Faber-Castell criou área para realizar aportes financeiros  nas startups do Brasil focadas em criatividade e educação. De acordo com a plataforma Sling Hub já existem 990 edtechs no país.

O Corporate Venture Capital (CVC) da empresa no Brasil vai identificar as melhores startups de educação. “Buscamos startups que desenvolvam soluções educacionais que estejam alinhadas com o nosso propósito de mudar o mundo por meio da educação e criatividade. Além disso, outro importante critério de escolha vai ser o potencial para escalar os produtos e os serviços, e complementar nosso ecossistema”, explica Bruna Tedesco, diretora de Inovação e Novos Negócios da empresa, por meio da assessoria de impresa.

A empresa bicentenária também terá a parceria do programa Scale-up Endeavor EdTech paraselecionar 12 empresas de alto crescimento, as scale-ups. Estas startups serão apoiadas por quatro meses para escalar os negócios.

“O segmento educacional representa um importante foco para a Faber-Castell, uma vez em que ele é essencial para apoiar na construção de cidadãos que desenvolvam um pensamento mais criativo e inovador para solucionar os problemas do dia a dia e para transformar o mundo no qual vivemos”, indica Bruna. “Com a área de Corporate Venture Capital, damos um importante passo para apoiar o setor, ao oferecer conhecimento e recursos para que startups criem produtos e serviços educacionais inovadores e que beneficiem toda a cadeia.”

Ânima Educação estímula criação de startups 

Por meio de uma competição nacional, o grupo educacional quer estimular o empreendedorismo no país com ‘Ânima Nest Pocket’. Este programa vai estimular a criação de startups de qualquer setor, por meio de mentorias de professores, executivos da organização e profissionais do mercado e vai premiar as melhores ideias vão ganhar uma premiação financeira para o investimento na ideia.

Os encontros, para o desenvolvimento das startups, serão online.

Esta é uma iniciativa exclusiva para os alunos de instituições de ensino do grupo. O edital ficará aberto até o dia 12 de março.

“Eles [alunos] passarão por uma trilha de aprendizagem onde desenvolverão a mentalidade empreendedora, para além de compreender como tirar ideias do papel e transformá-las em negócios”, diz o diretor de Inovação e Tendências em Educação da Ânima, Rafael Ávila.


educação


+EDUCAÇÃO 

Exclusivo: Conheça as Top 10 edtechs de 2020
Educação do futuro: por que o ensino superior precisa se reinventar
Edtechs: qual país está liderando esse movimento?
Startup de educação da Colombia é eleita uma das mais promissoras no mundo