Empresas estabelecem ações de conscientização em combate à Covid-19 - WHOW
Vendas

Empresas estabelecem ações de conscientização em combate à Covid-19

Veja as ações conscientizadoras para que clientes e colaboradores se mantenham seguros em meio à crise; tecnologia é forte aliada neste momento

POR Carolina Cozer | 24/03/2020 09h00 Empresas estabelecem ações de conscientização em combate à Covid-19 Imagem ilustrativa (Pexels)

Nesta semana, uma rede de supermercados do Reino Unido, chamada Iceland, passou a reservar horários exclusivos para as pessoas do grupo de risco de contágio da COVID-19 (idosos, doentes crônicos, pessoas imunossuprimidas e com deficiência).

Segundo nota oficial à imprensa, a decisão foi tomada para que os vulneráveis pratiquem efetivamente o isolamento social, através da redução do número de circulantes nas lojas.

Em meio à crise, empresas no Brasil e América Latina desenvolvem ações conscientizadoras semelhantes, para que clientes e colaboradores possam se manter seguros. A tecnologia, naturalmente, pode ser decisiva nessas soluções.

Conscientização no combate ao COVID-19

Rede Zaffari

A maior cadeia de supermercados gaúcha estabeleceu no último sábado (21) horários especiais de atendimento à pessoas do grupo de risco. Os estabelecimentos do Zaffari estão abrindo, de segunda à sábado, às 7h30, para que idosos e demais perfis de risco façam suas compras confortavelmente. 

“A empresa está antecipando a abertura de todas as lojas da rede, permitindo que neste período somente pessoas idosas e seus acompanhantes, e pessoas do grupo de risco possam fazer as compras. A empresa também já implementou, em todas as lojas, marcações no chão em frente aos caixas para guiar os clientes a manter a distância indicada pelos órgãos responsáveis”, descreve o posicionamento oficial.

Por determinação de Decreto Estadual do Rio Grande do Sul, todas as redes de supermercado devem seguir esse padrão, estabelecendo horários exclusivos de atendimento para grupos vulneráveis.

Covid-19 Imagem ilustrativa (Pexels)

Sharecare

A plataforma digital de saúde adotou uma solução de contact center via nuvem para manter seus funcionários seguros durante a crise da COVID-19. Desde o último dia 16, metade de seus especialistas de saúde estão trabalhando de modo remoto, intercalando com outra metade da equipe que atua presencialmente.

Nicolas Toth, presidente da Sharecare para a América Latina, explica que o contrato já existia anteriormente, mas viram na pandemia a necessidade de expandi-lo. Desta forma, poderia atender às exigências dos órgãos governamentais. “A plataforma de contact center na nuvem permite que os colaboradores estejam conectados por softphone e também garante o registro de frequência e presença”, explica.

GeneXus

A plataforma de desenvolvimento softwares baseados em inteligência artificial, passou a disponibilizar licenças gratuitas de seu programa low-code para desenvolvedores em home office.

Segundo nota oficial, todos os clientes ativos e inativos da base poderão solicitar as licenças, que serão instaladas nos computadores pessoais de cada usuário. O período de validade do certificado é de, a princípio, 20 dias.

De acordo com Ricardo Recchi, country manager da GeneXus no Brasil, a empresa irá adaptar o período de ativação gratuita segundo orientações das autoridades competentes em relação ao tempo indicado para o trabalho remoto. “Nossa infraestrutura é capaz de dobrar a disponibilização em 100% da nossa base instalada. Essa foi a maneira que encontramos para apoiar as empresas num momento tão delicado como este”, comenta Recchi.

Ao mesmo tempo, a GeneXus também desenvolveu uma parceria com Governo do Uruguai na criação de aplicativos para, entre várias funções, “apoiar no controle de pessoas que estão no grupo de risco e de cidadãos que fizeram o teste e precisam de acompanhamento.” 

Segundo posicionamento oficial, este será um dos termômetros do Uruguai para medir a evolução da epidemia e, consequentemente, tomar ações mais eficazes.


+COVID-19

Coronavírus: como manter a inovação com times separados ou distantes
Como o coronavírus está impactando os investimentos em startups
Coluna: Inovando em tempos de crise
Neste ano, gigantes de tecnologia já perderam quase US$ 460 bilhões em valor de mercado