Oportunidade de Negócios na Pandemia: Mercado e Cases de Sucesso - WHOW

Pessoas

Oportunidade de Negócios na Pandemia: Mercado e Cases de Sucesso

Empreender na pandemia para alguns pode parecer um desafio enorme. Para outros, este cenário representou uma grande oportunidade de negócio. Entenda

POR Redação Whow! | 08/06/2021 16h08

Empreender na pandemia, para alguns, representa um desafio enorme. Entretanto, houve quem enxergasse uma grande oportunidade de negócio neste cenário. Em um estudo do Sebrae, que analisou as consequências da pandemia nos pequenos negócios, 5,3 milhões de pequenas empresas adaptaram suas operações à nova realidade de mercado. Isso corresponde a 31% do total.

Algumas delas prometem adotar essas mudanças de modo definitivo em seu modelo de negócio. Exemplo disso são os negócios que nunca haviam tido qualquer tipo de operação on-line e hoje têm boa parte do seus faturamento gerado da internet.

Nesse sentido, veja aqui alguns dados extremamente interessantes do mercado neste momento de pandemia, assim como três exemplos de empresas que surgiram em um momento tão incerto e que se destacam.

Oportunidades para empreender na pandemia

Conforme  o Observatório MPE do Sebrae, que conta com dados da Receita Federal, somente no estado de São Paulo, 626.883 empresas foram formalizadas durante a pandemia. No país, mais de 2 milhões de empresas foram regulamentadas. 

Segundo dados do boletim quadrimestral chamado Mapa das Empresas, emitido pelo Ministério da Economia, a atividade empreendedora começou a crescer logo após quatro meses da pandemia. Em junho, mais de 264 mil empresas foram criadas no país. O valor representa 61 mil a mais que no mês anterior. 

Em resumo, a pandemia trouxe consigo outras necessidades tanto  para os consumidores, que aumentaram suas compras de produtos e serviços  através das suas casas, em todas as classes sociais, em uma penetracão de mercado nunca antes vista no Brasil, sendo que o on-line passou de 5% do volume total de vendas para 11 % do volume total de vendas.

Ou seja, várias empresas precisaram remodelar suas formas de atender e se relacionar com os seus clientes. Como por exemplo, os restaurantes, que atendiam apenas presencialmente. Sem atendimento ao público, criaram ou se adaptaram à novas formas de logística de entrega para atender os consumidores.

Mas, o que fazer então para ter sucesso nos negócios em plena pandemia? Listamos alguns passos para você que quer empreender na pandemia e tem pouco capital:
  • antecipe-se aos fatos e analise as oportunidades, considerando o que você tem recurso e qual fatia do mercado você pode e tem conhecimento para atender;
  • faça uma lista de todas essas oportunidades e escolha aquela que ofereça menos risco e lhe agrade mais;
  • estude o mercado e também seus concorrentes, diretos e indiretos;
  • defina o que você precisa fazer, em detalhes e por áreas/principais tarefas (Juridico, Financeiro, RH, Marketing, Produto, Tecnologia, Atendimento ao Cliente, etc) e estabeleça os prazos;
  • fortaleça suas redes de contato e crie networking;
  • crie um planejamento de presença no digital. Pense em como existir, criar relevância e credibilidade  para sua empresa/produto/serviço/pessoa, desenvolver um plano de marketing adequado e integrado com vendas, gerando, qualificando e convertendo leads em clientes.

Novas necessidades do consumidor

Recentemente, em junho de 2020, a Veja Insights realizou um estudo comportamental para analisar o perfil dos consumidores atualmente.  Em suma, a pesquisa foi realizada em parceria da consultoria EY.  Em síntese, foram entrevistados on-line 1.003 consumidores, entre 18 e mais de 65 anos no país. Destes, 51% eram mulheres e 49%, homens. 

Assim, observou-se três principais preocupações do consumidor: economia do país, saúde da família e o impacto social da pandemia do Brasil.  Tudo isso se reflete, diretamente, no consumo. Observe.

  • 71% apresentam preocupação com a higiene pessoal e da casa;
  • eles estão redescobrindo a vida em casa. 69% deles estão cozinhando em casa e 50% reduziram a contratação de pessoas para a realização das tarefas domésticas;
  • 54% afirmaram que estão consumindo menos e 32% afirmaram comprar alimentos on-line.

Negócios que nasceram em um cenário pandêmico

Dessa forma, veja exemplos de alguns exemplos de sucesso de pessoas que optaram por empreender na pandemia.

Brasil de Vinhos

A paixão pelos vinhos uniu  Dulce Grippa, Lucia Porto, Luiz Gustavo Lovato e Roger Perotto.  Então, juntos, começaram a catalogar vinícolas pelo país inteiro, com objetivo de valorizar a produção brasileira. Com isso, nasceu o site brasildevinhos.com.br. Acima de tudo, o foco da empresa é ser uma plataforma para divulgar do pequeno ao grande empreendedor no ramo de vinhos. 

O projeto não tem a intenção de ser um e-commerce. Eles disponibilizam apenas o espaço para divulgação. Nesse sentido, atualmente já recebem contato de várias vinícolas do Brasil inteiro. No site, já foram mapeadas mais de 300 empresas, sendo que cerca de 170 já estão na plataforma.  

Pomar Santo

Diante da insegurança trazida junto com a pandemia, Lívia Manfrim, de Catanduva – São Paulo identificou novas oportunidades diante de um problema que ela tentava superar: a ansiedade.  Nesse sentido, ela havia realizado tratamentos com óleos essenciais e teve resultados positivos.

Nesse contexto, iniciou a venda desses produtos utilizando o próprio WhatsApp. Assim surgiu a loja Pomar Santo, empresa de cosméticos naturais, veganos e sem teste algum em animais. Lá, é possível encontrar blends personalizados, conforme as necessidades do cliente.

Padocaria

Três amigos de faculdade e um sonho: ter o próprio negócio. É nesse contexto que nasceu a Padocaria, sob o comando dos sócios Giulio Menin, 22, André  Fich, 28, e Vinícius de Borba, 25. 

O planejamento para criação da empresa seguiu naturalmente até o início da pandemia. Em novembro de 2019, os amigos criaram um perfil no Instagram chamado Nasce uma Padaria.  Diariamente, eles compartilhavam receitas, dicas e também um pouco mais do negócio que estava sendo montado.

Porém com a pandemia, eles ficaram muito inseguros. Entretanto, não se abalaram: a Padocaria foi aberta em junho de 2020 e segue hoje com serviços tanto presenciais quanto entregas online. Antes da abertura, o negócio recebeu um investimento de 200 mil reais.

Afinal, o que os três cases têm em comum?

Acima de tudo, todos eles visualizaram uma oportunidade de negócio,  diante das necessidades do novo consumidor.  Com muita criatividade, iniciaram negócios que seguem crescendo. E o medo e a insegurança? Eles tinham de sobra. Porém, também estavam conectados a uma coisa muito maior, chamada propósito. 

Foi com isso que Lívia percebeu que, assim como ela, outras pessoas estavam sofrendo de ansiedade. Assim, como os óleos essenciais também haviam funcionado para ela, poderiam ajudar mais pessoas a terem mais qualidade de vida.  Os três amigos e sócios da Padocaria continuaram o trabalho nas redes sociais e desenvolveram um sistema de logística eficiente. Assim, montaram uma padaria de bairro tradicional, porém alinhada ao mundo digital que vivemos hoje. 

Já no Brasil de Vinhos, os sócios apaixonados pela bebida sentiam a necessidade de encontrar com mais facilidade as vinícolas do país.  Logo, com a plataforma, qualquer produtor de vinho pode expor o seu produto, para clientes do Brasil inteiro.

Gosta dos conteúdos do Whow? Então assine agora mesmo a nossa newsletter gratuitamente para recebê-los em primeira mão!