Sonhando em empreender em 2020? Veja dicas de especialistas para iniciantes - WHOW

Vendas

Sonhando em empreender em 2020? Veja dicas de especialistas para iniciantes

Menos tendências, mais autoconhecimento. Para Célia Kano, da Rede Mulher Empreendedora, compreender as próprias competências é fundamental para empreender

POR Carolina Cozer | 10/03/2020 10h00 Arte Grupo Padrão (Érika  Bernal) Arte Grupo Padrão (Érika Bernal)

Empreender é o sonho de 50% dos Brasileiros, indica um levantamento realizado pelo Alelo e pelo Instituto Ipsos em 2019. Contudo, de acordo com o Sebrae, 25% dos novos negócios irão à falência já nos primeiros dois anos de vida.

O sonho de ter sucesso no próprio negócio, porém, não é algo exclusivo para indivíduos abençoados pelo “unicórnio mágico” do Vale do Silício. Compreender o mercado e focar em estratégias ajuda ― e muito ― a ter mais segurança e ser assertivo nas escolhas.

Seguir modas e tendências: bom ou mau negócio?

Celia Kano, Diretora de Operações da Rede Mulher Empreendedora, alerta que focar em tendências pode ser um tiro no pé. No mundo dos negócios, de acordo com a executiva, seguir modismos demais pode fazer com que um empreendimento acabe virando “paleteria mexicana”: algo que vai “bombar” e saturar na mesma velocidade.

Ela cita outros exemplos, como esmalterias, casas de bolos, barbearias e negócios de sobrancelhas como nichos que abarrotaram as indústrias. “Nós temos muito medo de pessoas que vão atrás de modas e tendências”, brinca.

Pequenos negócios precisam de estratégia, indica especialista

Conhece-te a ti mesmo. Para Célia Kano, nada melhor para um novo empreendedor que saber do que é capaz e daquilo que gosta. “Duas coisas que recomendamos aqui na Rede: que as empreendedoras tenham muito autoconhecimento sobre suas habilidades e competências profissionais e o que ela sabe fazer bem”.

Para exemplificar, a executiva explica, é recorrente que algumas empreendedoras peguem competências de suas passagens profissionais anteriores para abrir um negócio especializado naquele setor. De modo complementar, é essencial que o objeto de empreendedorismo esteja atrelado às competências pessoais de cada empreendedor – e, evidentemente, seja algo que a pessoa goste de trabalhar.

A segunda recomendação de Kano é que os iniciantes estudem muito sobre o mercado de atuação – independentemente de ser uma startup inovadora ou uma tradicional venda de bolos de porta a porta.

“Se ela vai fazer venda de bolos no bairro, que faça um mapeamento de todas as concorrências, preço de mercado e todos os valores atrelados aos concorrentes, seja qualidade, preço, para que saiba como se posicionar e competir contra eles”, explica.

empreender Foto (Unsplash)

Buscar autoconhecimento

Ter senso de liderança

Atitude empreendedora

Mapear o mercado de atuação


 

+EMPREENDEDORISMO

Veja as lições de empreendedorismo com o presidente da Cabify no Brasil
Microsoft quer captar R$ 100 milhões até 2024 para empreendedorismo feminino
Políticos discutem inovação e empreendedorismo nas cidades inteligentes do Brasil
Empreendedorismo feminino e a cultura “We Can Do It!”