Accenture, Magazine Luiza e Siemens ampliam suas operações e modelos de negócio - WHOW
Vendas

Accenture, Magazine Luiza e Siemens ampliam suas operações e modelos de negócio

Saiba como empresas a Accenture, Magazine Luiza e Siemens expandiram seus core business e diversificaram os modelos de negócio 

POR Gabriely Souza | 10/09/2019 20h24 Accenture, Magazine Luiza e Siemens ampliam suas operações e modelos de negócio Geralt (Pixabay)

De loja de móveis à pesquisa e desenvolvimento de soluções digitais e de consultoria à aposta em agências digitais. Esses são exemplos da ampliação do core business de empresas como Accenture, Magazine Luiza e Siemens, que se reinventaram para não perder negócios com as mudanças da era digital. 

“Isso acontece quando a empresa quer se reinventar ou quando se não mudar o core business ela morre”, afirma o professor do Insper David Kallás. Ele cita o caso da fotográfica Kodak, que descobriu a tecnologia da fotografia digital, mas acabou indo à falência.

“É preciso estar atento às mudanças, mapear as oportunidades e ameaças e repensar para onde se deve ir”

David Kallás, professor do Insper

Modelos de negócio

O professor também cita o caso da brasileira Tecnisa como uma companhia que soube usar a tecnologia a seu favor. A empresa do ramo imobiliário reduziu em 80% o número de corretores para a realização dos mesmos serviços on-line. 

Kallas dá três dicas para ampliar ou diversificar o modelo de negócio: 

  1. Avançar na cadeia, para frente ou para trás;
  2. Buscar novas competências; e
  3. Buscar novos clientes. 


A Magazine Luiza, por exemplo, saiu de uma loja de varejo físico, com a venda de móveis, para outros setores ligados à tecnologia. Neste ano a empresa criou um setor especial de P&D chamado LuizaLabs. Segundo a empresa, o laboratório de Tecnologia e Inovação tem o objetivo de “utilizar a tecnologia para oferecer uma experiência diferenciada ao cliente”. Recentemente, a empresa comprou a Netshoes–que já tinha as marcas de acessórios Zattini e Shoestock–pelo equivalente a US$ 3,70 por ação, avaliando a empresa em cerca de US$ 115 milhões.

modelos de negócio Bruce Mars (Pexels)

Marca campeão em 2018 

Segundo levantamento divulgado pela Kantar, a Magazine Luiza foi eleita a marca que mais cresceu em 2018. Com um salto de 273% em sua receita, engajamento de clientes e valor financeiro, a varejista é apontada como uma das dez marcas mais valiosas do Brasil, de acordo com o levantamento. 

A Accenture, uma das maiores empresas de consultoria do mundo, hoje trabalha em cinco diferentes áreas de negócios: Strategy, Consulting, Digital, Operations e Technology. Além disso, ela vem investindo em pesquisa dentro de universidades. No começo de agosto a companhia ampliou suas operações em Campina Grande, na Paraíba.

A empresa abriu uma filial no Centro Universitário Facisa, com planos de ampliar o número de funcionários de 140 para 200. O foco das contratações deve ser entre estudantes e egressos do curso de Sistemas de Informação da universidade. 

Já a Siemens começou nas telecomunicações, na Alemanha, com a expansão da rede de telégrafos, em 1847. No Brasil há mais de 100 anos, a companhia ficou conhecida por seus aparelhos celulares e outros dispositivos. A empresa também fornece soluções para setores como automação industrial, tecnologias prediais, energia, mobilidade, financiamento e serviços de energia, todos dentro das áreas de digitalização, automação e eletrificação. 


+ NOTÍCIAS
De sonho ao mercado asiático: conheça a história da VRGlass
4G no Brasil ainda não está disponível o tempo todo
Centro-Oeste: região do agronegócio? Para as startups, não necessariamente
5 startups brasileiras de biometria