Diferenças entre custos, despesas e investimentos - WHOW

Vendas

Diferenças entre custos, despesas e investimentos

Entenda o conceito e como diferenciar cada um desses gastos na empresa

POR Redação Whow! | 29/06/2021 14h13

Custos, despesas e investimentos: como diferenciar cada um desses gastos? O mundo empresarial está cheio de conceitos que, por vezes, podem confundir o empreendedor de primeira viagem. E, quando se fala em gestão financeira, entender o que significam determinados termos é crucial na hora de registrar as informações e analisar os dados do negócio.

Neste conteúdo, entenda o que significa cada um desses termos e veja porque é tão importante diferenciá-los.  

O que são custos, despesas e investimentos?

Custo, despesa e investimento, no geral são considerados gastos. Este termo, por sua vez, é usado para designar todas as saídas de uma empresa. Para a contabilidade, os gastos são os valores que o negócio desembolsa com a finalidade da aquisição de algo, seja produto, serviço ou aporte financeiro

Inicialmente, o conceito de gasto pode parecer simples. Contudo, as dúvidas moram na subdivisão dos gastos. E, nesse contexto, as principais são custo, despesa e investimento e estão presentes em qualquer negócio. Entenda agora o que significa cada um deles. 

O que é considerado custo?

É considerado custo tudo que a empresa precisa investir para realizar um serviço ou produzir um produto. Por conseguinte, sem esse gasto, a empresa não tem como funcionar, sendo considerado essencial. 

Trata-se de um gasto que cresce proporcionalmente à quantidade de mercadorias ou de serviços oferecidos. O conceito está dividido entre direto e indireto. O custo direto é tudo que estiver relacionado às matérias-primas e insumos principais para que a empresa possa oferecer a sua atividade fim. Por exemplo, em uma loja de bolsas de couro, o couro, por ser material essencial na produção da bolsa, é considerado custo direto.

Já os custos indiretos são aqueles que estão indiretamente associados com o desenvolvimento da atividade fim da empresa, como manutenção do espaço, limpeza, energia elétrica e água, por exemplo.  

Porém, em cada segmento – comércio, indústria e serviços – os custos podem ser agrupados de formas diferentes:

  • no comércio, estão relacionados a valor gasto na hora da compra de mercadorias;
  • na indústria, os gastos têm ligação direta com a fabricação, envolvendo matérias-primas, insumos e mão-de-obra; 
  • já nos serviços, está relacionado com o valor gasto para execução do mesmo.

O que é considerado despesa?

Em resumo, as despesas são todos os gastos que não visam retorno financeiro, diferente dos custos, que estão associados ao desempenho das atividades fins do negócio. Apesar disso, as despesas também contribuem para o funcionamento do local. Gastos com publicidade, impostos, salários e comissões, são exemplos de despesas, que são divididas entre variáveis e fixas.

As despesas fixas são aquelas que não dependem do volume das vendas, como aluguel, telefone e segurança. Já as variáveis, oscilam conforme o volume das vendas, como as comissões, fretes sobre as vendas e, até mesmo, os impostos. 

O que é considerado investimento?

Os investimentos são responsáveis por ampliar a lucratividade da empresa, através da aquisição de bens ou de uma melhora no serviço como um todo. O objetivo dos investimentos é obter retorno financeiro. São exemplos de investimentos: empréstimo para capital de giro, compra de veículos, móveis e ferramentas.

Qual é a diferença entre custos, despesas e investimentos?

Agora que você já sabe o conceito de cada um desses gastos, fica mais fácil diferenciá-los. Em síntese, os custos sempre estarão relacionados, diretamente, com a execução do serviço ou produção. Assim, em caso de dúvidas, questione-se: sem este custo, consigo vender/executar tal serviço? Sendo a resposta não, tal gasto sempre será considerado custo.

Agora, para diferenciar despesa de investimento, a dica é questionar se tal gasto irá agregar valor, futuramente, na empresa. Ou seja, trata-se de uma melhoria apenas para aquele momento ou não. 

A importância em diferenciar estes os gastos 

Como você viu, cada um desses gastos tem uma finalidade diferente. Como mencionamos, no início deste conteúdo, a principal vantagem em saber diferenciar cada um deles está em conseguir registrar corretamente os seus valores, bem como avaliar os resultados da empresa sob uma perspectiva financeira.

Além disso, entender o que significa cada gasto é importante para saber quais destes podem ser reduzidos e também o que precisa de investimento, mesmo em tempos de crise.  Contudo, vale ressaltar que, não é porque são considerados “gastos”, que podem ser reduzidos ou cortados de qualquer forma da empresa.

Os custos podem ser reduzidos, desde que o produto ou serviço não perca a sua qualidade. Já as despesas podem, dependendo da circunstância, ser reduzidas sem prejudicar a atividade fim da empresa. No caso de uma crise, por exemplo, optar por cortar os custos com a publicidade não interfere na execução do serviço ou na produção. Já no caso dos investimentos, é tido como algo mais sensível no sentido em que, pode vezes, podem ser necessários e essenciais para a produção ou execução do serviço. 

Contabilidade e gastos: qual a relação, na prática ?

Mesmo que você não seja um contador e tenha alguém que desempenhe essa função na sua empresa, é preciso que você entenda um documento muito importante: Demonstração do Resultado do Exercício – DRE. Ele está presente em qualquer negócio e trata-se do relatório contábil que indica se a empresa teve lucro ou prejuízo, a partir da descrição de todos os gastos. 

Vale ressaltar também que, de acordo com a legislação atual, é obrigação de todas as empresas manter uma contabilidade estruturada, que inclua a produção da DRE. Isso é aplicável a todos os tipos de negócio, com exceção apenas do MEI- Micro Empreendedor Individual.

Outro ponto importante está relacionado ao fato de que, compreendendo o que significa cada gasto e de posse da DRE, é possível desenvolver um planejamento estratégico coerente com os objetivos do negócio. Em síntese, a partir da DRE você pode compreender quais são de fato suas despesas, custos e investimentos, para realizar as ações necessárias à saúde financeira da empresa naquele momento.  

Fique sempre de olho nos conceitos

É claro que, para quem não tem experiência com a administração de empresas, vários conceitos podem parecer obscuros e até complicados de entender. Entretanto, não abra mão de ter pelo menos uma noção do que se trata cada um. Mesmo que você não desempenhe tais atividades, sejam elas contábeis ou financeiras, é preciso que você compreenda o que acontece em cada setor do seu negócio. Dessa forma, terá mais segurança na hora das tomadas de decisão e poderá debater, tecnicamente, qual é o melhor rumo para a empresa.

E, para ficar sempre antenado nesses conceitos importantes, assine agora mesmo gratuitamente a newsletter da Whow. Diariamente, enviamos artigos interessantes sobre empreendedorismo, mercado, gestão e tecnologia!