Dicas para ter sucesso na Black Friday (no físico e no digital) - WHOW
Vendas

Dicas para ter sucesso na Black Friday (no físico e no digital)

Segundo especialistas, tudo começa por um planejamento de qual objetivo se deseja alcançar na Black Friday, uma das datas mais importantes do ano para o comércio

POR Marcelo Almeida | 24/11/2021 11h58 Dicas para ter sucesso na Black Friday (no físico e no digital)

Com a aproximação de uma das datas mais marcantes no ano para o setor do comércio, a Black Friday, que ocorre no próximo dia 26, é necessário que os empresários fiquem de olho em como se preparar da forma correta para conseguir bons ganhos.

Para Nara Iachan, cofundadora e CMO da Cuponeria, é importante reforçar os pontos fortes da companhia e focar naquilo que já tem boa aceitação do público e boa capacidade de entrega. “A Black Friday é uma grande oportunidade de vendas, mas é fundamental pensar na qualidade daquilo que está entregando. Apesar de ser um ótimo momento para aumentar alcance e exposição, é importante não deixar de lado a imagem da empresa”, diz ela.

Vendas online

Juliana Vital, Global CRO da Nubimetrics, startup argentina de inteligência de dados, aponta algumas das principais medidas que os empreendedores precisam tomar para tornar a data rentável e positiva.

1- Preparar as ofertas de produto – Para montar uma boa estratégia, sobretudo online, é fundamental escolher bem o mix de produtos que estarão em oferta, pesquisando dados como o contexto de cada mercado, as maiores demandas, o que está oferecendo a concorrência, dentre outros.

2- Criar anúncios detalhados – Para Vital, o segredo para gerar visitas é incluir as palavras-chave mais pesquisadas pelos compradores, mas existem várias condições que as plataformas levam em consideração para posicionar melhor os anúncios, como o tipo de loja, as opções de pagamento, frete grátis, taxas sem juros e descontos especiais. “Cada comprador gera uma demanda por meio de sua pesquisa no marketplace. A tarefa, como vendedores, é entender seus desejos: cada clique é uma intenção”, afirma ela.

3- Conhecer as métricas de seu negócio e comparar com a concorrência – Converter e ser lucrativo não depende apenas do posicionamento de busca. “O posicionamento nos primeiros resultados não é somente atrelado ao baixo preço ou investimento em publicidade, mas a diversos outros fatores. É importante que o vendedor conheça as regras e a dinâmica de cada marketplace, entenda a estratégia e performance dos competidores e, claro, monitore muito de perto KPIs (key performance indicators, ou indicadores-chave de performance, na tradução para o português) como taxa de conversão. Tudo isso ajuda o vendedor a tomar as melhores decisões”, diz Vital. Também é preciso conhecer a dinâmica de cada categoria e produto, bem como compreender a evolução histórica do ticket médio, sendo o uso de ferramentas analíticas essencial neste caso.

4- Preparar logística e distribuição – Em datas como a Black Friday, todas as atividades do negócio são aprimoradas e é ideal organizar a equipe para evitar reclamações ou más experiências. A entrega do produto é uma tarefa que demanda atenção, pois está diretamente relacionada com a experiência do cliente e a reputação do vendedor.

Vendas físicas

Pensando um pouco mais na parte física, a consultora do Sebrae Fernanda Bueno dá outras dicas importantes para a forma como o empreendedor deve se preparar. Para ela, planejamento também é a palavra de ordem:

1- Planejar o objetivo da ação – A empresa precisa ter um objetivo claro ao traçar sua estratégia para a Black Friday, como levantar caixa, tornar a empresa mais conhecida no mercado ou trazer à loja clientes que não compravam há algum tempo.

2- Planejar quais produtos que serão ofertados, decoração e divulgação – Após a empresa chegar a um mix de produtos que faça sentido para a sua estratégia de negócios, ela precisa pensar em como divulgá-los e na decoração da loja. “Pra quem ainda não se preparou, dá tempo de correr e aproveitar esta data, basta usar as ferramentas que possui em mãos. Talvez não dê tempo de preparar uma divulgação e visual merchandising muito elaborados, contratando terceiros, por exemplo, mas eu posso utilizar ferramentas mais rápidas, que também chamam a atenção”, afirma Bueno. “Papel colorido, etiquetas com cores e porcentagem de desconto podem ajudar na decoração. A criatividade é fundamental em todas as datas comemorativas, e não é diferente agora.”

3- Considere os diversos públicos – Outra dica que ela dá é pensar nos três públicos que a empresa tem: aqueles que não conhecem a empresa, os que conhecem e até já compraram, mas não são clientes fiéis e os que são clientes fiéis. Para atingir o primeiro grupo, ela diz que “a decoração da loja pode chamar a atenção e despertar o interesse em entrar. Rádio, carro de som e posts patrocinados também são importantes”. No caso do público que já conhece a empresa, ela afirma que é possível explorar o cadastro de clientes, fazer lista de transmissão, ligação e explorar os seguidores das redes sociais. “Posso fazer postagens com o objetivo de gerar dicas e orientação, sobre como usar os produtos que vou dar desconto, por exemplo, estimulando a compra não somente pelo preço, mas também pelo uso”, afirma ela. “No caso do terceiro público, que está sempre pela loja, não podemos deixar de nos comunicar com este público, está sempre comprando mesmo fora de campanha de desconto, mas precisam saber desta ação.”

4- Faça uma disposição racional dos produtos – Se uma peça está na promoção e outras não, posso compor o ambiente com peças complementares, que uma estimula a venda da outra. Deixar os produtos que quero dar mais destaque nas áreas nobres da loja. Um exercício é simular um cliente na loja, de que forma ele entra, qual local ele fica mais tempo. O caixa, por exemplo, é uma área importante para ser explorada.

Pensando na Black Friday 2022

Para Marcel Ghiraldini, VP Growth da MATH, holding que reúne diversas marcas na área do marketing digital, a data talvez já esteja próxima demais para planejar ações mais abrangentes.

“Se ele não fez nada ainda para este ano, observe e aprenda. Na Black Friday, todos os canais de mídia paga estarão inflacionados e fazer algo em cima da hora vai te gerar mais custos do que resultado”, afirma ele.

Para a próxima Black Friday, no entanto, ele dá algumas dicas importantes.

“Teste diversas hipóteses para influenciar em todo o funil. Nas tuas mídias próprias (site, app ou e-commerce), crie um ambiente extremamente otimizado para conversão (técnicas de CRO são a chave para o sucesso). Por fim tenha uma estratégia de medição da jornada onde entenda o papel de cada mídia no seu mix (o tão falado Media Mix Modeling), pois tendo maior controle dos papéis exercidos por cada uma, você consegue minimizar a inflação gerada durante a Black Friday, focando o investimento nos canais de maior contribuição para conversão real (lembrando que conversão real é o dinheiro entrando e não o clique no botão comprar)”, resume Ghiraldini.