De volta ao passado! - WHOW

Consumo

De volta ao passado!

TV protagoniza a pandemia e volta a unir as famílias na sala como no século XX. Entenda o impacto dessa mudança

POR Nayara de Deus | 25/11/2020 12h31

Hoje em dia, é comum ver as pessoas encapsuladas em seus próprios dormitórios. É normal que pais e filhos procurem ver suas séries preferidas, jogando ou navegando nas redes sociais. Mas por um bom tempo – especialmente na Era de Ouro da TV brasileira – as famílias permaneciam unidas nos sofás e a maior disputa era pelo controle remoto.

É uma realidade que se repetiu em formato diferente no universo das TVs pagas nesse infindável isolamento, como mostra pesquisa realizada pela SKY com 9540 clientes. “O apelo por entretenimento acompanhou a necessidade de unir as pessoas em torno da TV. 45% dos entrevistados passaram a assistir filmes e lives junto aos demais moradores da casa”, diz Alex Rocco, Diretor de Marketing da SKY Brasil.

Reflexo desse boom foi o aumento da procura pelo SKY Play, plataforma de vídeo sob demanda com 9 mil títulos e 53 canais ao vivo via streaming. “O crescimento foi de mais de 160% usuários únicos em 2020. Estamos otimistas, visando entregar uma SKY cada vez mais sintonizada com o dia a dia do consumidor”.

Programação para todos os gostos

A pesquisa ouviu usuários entre 26 e 56 anos das 5 regiões do país. Quase metade vem consumindo mais TV por assinatura: 27% somaram de uma a duas horas extras em frente às telinhas; 21% afirmaram que o entretenimento pago ganhou entre três a cinco horas adicionais do tempo dedicado em suas vidas.

“65% ocupam o tempo livre com conteúdos diversos; 47% maratonam séries e filmes; 30% usam a televisão para distrair as crianças, e 29% como companhia para o dia a dia. Os canais de notícias também ganharam destaque: 48% dos usuários estão atrás de informação segura e confiável”, complementa Rocco.

Degustação estratégica

Logo no início da pandemia, a SKY ofereceu programação gratuita para seus assinantes. Uma ideia que tornou o entretenimento ainda mais engajador.

“Liberamos cerca de 100 canais por 90 dias e muitos usuários tiveram acesso a determinados conteúdos pela primeira vez. Após o fim desse período houve o desejo de continuar a consumir essa programação. Abertura que resultou em aumento significativo na percepção de valor desses canais”, conta Gustavo Fonseca, VP de Marketing e Estratégia da empresa.

2021 para todos

A SKY pretende agora dar ainda mais flexibilidade a pacotes já populares. “Democratizar o entretenimento é um valor porque entendemos que grande parcela de brasileiros não pode se comprometer com uma assinatura, especialmente agora. Por isso, o SKY Pré-Pago, por exemplo, tem esse papel: levar filmes recém-lançados de forma acessível para cidades que não possuem salas de cinema”, finaliza Gustavo.


+ NOTÍCIAS

Dicas para uma liderança mais sábia e com ideias inovadoras
O segredo do crescimento das fintechs: compreender o cliente
As tendências de comportamento e consumo dos brasileiros para 2021
Robôs: Quem é que realmente confia neles?