Custos e oportunidades do delivery para seu negócio - WHOW

Eficiência

Custos e oportunidades do delivery para seu negócio

Especialistas ouvidos pela Whow! revelam as principais tendências do universo da logística

POR João Ortega | 09/09/2021 16h26

Para todos os empreendedores que trabalham com produtos físicos, a tendência da digitalização traz consigo a necessidade de uma estratégia de logística. Afinal, não basta que o consumidor compre pelos meios digitais – o produto precisa chegar a suas mãos. Neste contexto, vêm crescendo as alternativas de entrega, como retirada na própria loja após a transação, mas principalmente o delivery

Promover um serviço de delivery traz diversos custos ao negócio, ao mesmo tempo em que abre oportunidades para fidelizar o cliente. Hoje, há diversas opções no mercado, que vão desde contratar um entregador próprio com uma organização analógica das entregas, até estar em um marketplace digital que faz toda a operação logística para o negócio. Por isso, é preciso avaliar as vantagens e os gastos envolvidos em cada estratégia a fim de definir o modelo ideal. 

A Whow! conversou com dois especialistas em delivery para entender as opções de logística para o empreendedor. São eles Leandro Verdelho, diretor de operações da Box Delivery, plataforma que conecta comerciantes a uma rede de entregadores cadastrados, e Marcos Arante, CEO da Equilibrium, startup de software que compara e seleciona as melhores opções de logística para cada empreendimento. Veja as principais dicas a seguir. 

Custos envolvidos em uma operação de delivery

Segundo os especialistas, qualquer solução logística embarcada em marketplaces digitais cobra comissão pelas entregas realizadas que, dependendo do setor, podem chegar a 30% do valor total. Portanto, a opção por usar o delivery destas plataformas é mais viável para negócios que consigam alto volume de vendas por este canal. 

Leandro Verdelho destaca que o custo das embalagens para delivery muitas vezes são “esquecidos” pelo empreendedor, mas representam um alto custo na operação. Além disso, o especialista cita o seguro do serviço de entrega como um gasto relevante para quem monta a própria operação de delivery.

Por outro lado, Marcos Arante crê que o maior gasto para o empreendedor ocorre quando ele não escolhe a opção certa de logística para o seu negócio. “O mais importante não é a entrega propriamente dita, mas sim o processo de seleção e qualificação dos parceiros envolvidos”, afirma.  “Pense na entrega de produto diferenciado, como um sofá, um exame clínico, um medicamento controlado, um colchão, etc. Para cada tipo de produto existirá um tipo especializado de transporte e manuseio”, completa. 

Exigência e fidelização do consumidor

Não resta dúvida de que o cliente, já acostumado ao modelo de delivery, está cada vez mais exigente em relação ao serviço. Segundo Verdelho, no mercado de alimentação, a rapidez é a prioridade número um do consumidor. Arante, por outro lado, afirma que “existe uma nova máxima em logística e delivery: as informações sobre um transporte são tão valiosas quanto o produto que está sendo transportado ou manuseado”. Neste sentido, a exigência do consumidor está em receber rapidamente o produto, ao mesmo tempo em que acompanha todo o trajeto em tempo real. 

Ter um serviço diferenciado, aliás, pode ser o trunfo do pequeno empreendedor para criar uma experiência ainda melhor que os grandes marketplaces. Para isso, no entanto, é essencial estar conectado com os principais serviços de tecnologia para entregas. “Tudo irá depender de quanto sua empresa está conectada com este novo universo de serviços logísticos digitais”, afirma o CEO da Equilibrium. Na mesma linha, o diretor da Box Delivery diz que “a experiência no delivery precisa ser no mínimo igual a experiência física do comércio”. 

Neste sentido, a própria localidade dos pequenos negócios surge como um potencial diferencial. O empreendedor deve mirar em promover uma experiência perfeita em sua região, ao invés de tentar entregar para o Brasil todo sem a mesma qualidade de serviço. “Já existem empresas oferecendo plataformas digitais para você criar sua rede própria ou compartilhada de entregadores locais”, destaca Marcos Arante. 

Relação com os entregadores

Quanto maior a escala de um serviço de delivery, mais distante fica a relação entre entregador e o negócio que vende o produto em questão. No entanto, é essencial compreender que o entregador é parte fundamental do universo da logística e que ele também faz parte da experiência final que chegará ao cliente. 

“Os entregadores ganham por demanda e otimização do seu tempo”, explica Leandro Verdelho. Ou seja, o que o profissional busca é agilidade e alto volume de serviços. Quanto mais a empresa contratante puder oferecer estes dois fatores a eles, melhor será o relacionamento entre as partes e, provavelmente, a experiência de entrega para o consumidor final.  “Logo, a importância de um bom atendimento a esse importante componente no processo de entrega é fundamental. A educação no atendimento ao entregador é essencial, e isso precisa ser recíproco”, completa.

Tendências para o delivery

Embora o mercado de delivery tenha amadurecido de forma exponencial nos últimos anos, ainda há muito espaço para evoluir e se atualizar. 

Marco Arantes destaca, entre as tendências do setor, o crescente número de plataformas digitais pelas quais o empreendedor pode contratar entregadores com poucos cliques. O fundador da Equilibrium aponta, principalmente, para as empresas locais de logística que estão se digitalizando e complementando as opções já disponíveis, em especial no segmento da última milha. 

Para Leandro Verdelho, a experiência do consumidor continua sendo o principal ponto de atenção para quem desenvolve operações de logística. Além disso, o especialista da Box Delivery ressalta tendências tecnológicas, como entregas com drones, robôs e carros autônomos, bem como a maior atenção à questão da sustentabilidade pelos agentes deste mercado.