Conheça os prós e os contras de ter um sócio. Saiba mais aqui!
Eficiência

Conheça os prós e os contras de ter um sócio

Entenda aqui o que considerar na hora da escolha deste parceiro comercial, bem como as vantagens e desvantagens de ter um sócio

POR Redação Whow! | 28/06/2021 17h17 Conheça os prós e os contras de ter um sócio

Ter um sócio tem seus pontos positivos e negativos. De um lado, um parceiro comercial como este pode ajudar a tirar a empresa do papel, através do aporte financeiro ou força de trabalho. De outro, caso a sociedade não seja bem estruturada e definida, pode gerar uma baita dor de cabeça ao empreendedor. Neste conteúdo, falaremos sobre o que considerar na hora da escolha de um parceiro comercial, as vantagens e desvantagens de uma sociedade. Continue a leitura! 

Por que devo ter um sócio?

Empreender é sonho de muitos brasileiros, apesar de toda a burocracia que rodeia o ato de abrir a própria empresa no país. Um estudo realizado em 2018 pela Universidade Técnica de Munique (TUM) com validação da Fundação Getúlio Vargas (FGV), mostrou que 56% dos brasileiros pretendem abrir um negócio.  Entretanto, o estudo também apontou que 74% dos que dizem ter vontade de abrir uma empresa são jovens entre 18 e 35 anos. 

Uma outra pesquisa, agora realizada por uma startup brasileira especializada em universitários, chamada Fala!Universidades, trouxe dados interessantes sobre a vontade dos jovens de empreender. O levantamento foi realizado com 500 alunos de quase 50 universidades, na faixa etária entre 17 e 25 anos, entre outubro e novembro do ano passado, e apontou que 77% deles já pensou em empreender e, 35%, pensam em abrir o próprio negócio ainda na faculdade. 

Nesse contexto, ter ou não um sócio é dúvida de muitos empreendedores. Afinal, nem todo mundo tem condições financeiras favoráveis para a abertura de uma empresa, bem como experiência e expertise na área escolhida. Assim, ter um sócio pode ser o caminho de muitos para entrar no mundo dos negócios. 

Logo, ter um sócio pode ajudar a dividir responsabilidades financeiras e a carga de trabalho, além do auxílio no momento da tomada de decisões importantes da empresa. Nesse contexto um novo parceiro comercial pode contribuir com a experiência e expertise em outras áreas que, porventura, sejam favoráveis ao negócio.

Entretanto, alguns pontos são fundamentais na hora escolher um sócio para sua empresa. Veja quais são eles. 

O que considerar na escolha de um sócio?

De antemão, o momento da escolha de um sócio é crucial para o negócio. Uma tomada de decisão não assertiva pode gerar vários problemas entre o dono inicial e o novo parceiro comercial. O primeiro ponto a ser observado é: o que a empresa precisa? De conhecimento técnico? De dinheiro? Os dois? Isso irá ajudar na hora de escolher quem irá dividir a sociedade da empresa com você. 

Afinal, um sócio deve somar com o negócio, seja com investimento financeiro ou com sua expertise.  Outro aspecto importante é se o escolhido pensa da mesma forma que você e compartilha dos mesmos valores. Do contrário, pode ser gerado um grande desgaste entre os dois, o que não é positivo para a empresa. Depois, veja se ambos possuem competências que se complementam, de modo que não haja competição na sociedade, o que não é interessante para o negócio.

Prós e contras em ter um sócio

Agora que você já sabe como escolher um sócio para sua empresa, veja quais são as vantagens e desvantagens de uma parceria comercial. 

Vantagens da sociedade 

Acima de tudo, um sócio tem a função de somar na empresa, seja em conhecimento ou em aporte financeiro. Desde já, podemos citar:

  • novas ideias e uma outra percepção: um sócio, mesmo tendo perfil semelhante com o dono inicial do negócio, pode analisar as situações difíceis por uma outra perspectiva, enxergando outras saídas;
  • divisão de responsabilidades: muitas vezes o empreendedor, quando sozinho, pode sentir-se sobrecarregado. Com um sócio, as responsabilidades são divididas, fazendo com que sobre mais tempo para focar em todos os aspectos do negócio;
  • menor pressão: muito parecido com o ponto anterior, ter um sócio diminui a carga  de responsabilidade em uma única pessoa, aliviando a pressão que é cuidar, sozinha, de uma empresa.

Desvantagens da sociedade

Dessa forma, para ter um sócio, o dono do negócio também deve estar preparado para possíveis desacordos no momento das tomadas de decisão. Nesse contexto, cabe muita maturidade e buscar enxergar o que é mais importante para a empresa.

Assim, outra desvantagem está associada à mistura da vida profissional com a pessoal, caso os sócios sejam membros da família ou amigos. Para que isso não ocorra, é preciso também profissionalismo para separar as relações.

Por último, citamos a divisão financeira quanto aos lucros da empresa, que pode sofrer com algumas objeções, de ambos os lados.  Ou seja, para evitar situações como esta, recomendamos que todas as divisões sejam alinhadas antes de começar a parceria e formalizadas não somente verbalmente, como também em contrato reconhecido.

Conclusão

Logo, com tudo isso, você pode estar se perguntando: devo ou não devo ter um sócio? Porém, a resposta para essa dúvida é: depende. Entretanto, de uma forma mais generalista, em algumas situações, a vinda de um parceiro comercial se apresenta como positiva ao negócio.

A primeira delas diz respeito ao fato do empreendedor, para tocar o negócio, precisar de um bom aporte financeiro. Assim, pode ser melhor partilhar a empresa do que vê-la fechar as portas.

Outra situação é quando não se tem experiência e pouco networking. Neste caso, o sócio não somente pode atuar refinando os produtos ou serviços, como também facilitando a entrada da empresa no mercado.

Por fim, podemos citar o fato do dono do negócio não ter um perfil empreendedor. Aqui, um sócio com perfil business pode ajudar a adequar as ideias do dono inicial da empresa às necessidades do mercado.

Gostou do conteúdo? Se sim, assine agora mesmo a nossa newsletter gratuitamente, para receber diariamente conteúdos interessantes sobre empreendedorismo, mercado, gestão e tecnologia!