Conheça o marketing inteligente sobre rodas - WHOW

Eficiência

Conheça o marketing inteligente sobre rodas

Solução desenvolvida por startup pode fornecer dados para ajudar a criar cidades mais inteligentes, além de ser renda extra para motoristas de aplicativos

POR Luiza Bravo | 07/08/2020 17h17 Divulgação: Mobees Divulgação: Mobees

A pandemia do novo coronavírus abalou diversos setores da economia, incluindo o de transportes. Com as orientações de isolamento social, cidades de todo o mundo ficaram vazias, e motoristas de aplicativo viram seu faturamento despencar. Sem passageiros, esses profissionais precisaram buscar outras fontes de renda, e uma startup brasileira pode ajudá-los com um novo serviço: o marketing inteligente sobre rodas.

Como funciona o marketing inteligente sobre rodas

A Mobees desenvolveu uma nova solução de marketing para as ruas, tão inteligente quanto os anúncios digitais. No fim do ano passado, os fundadores foram à China para conhecer melhor alguns hardwares e fazer a prototipação do que desejavam. Em abril e maio, com o Brasil já em cenário de isolamento, a Mobees desenvolveu seu software, e no mês passado, suas telas já estavam nas ruas. 

Os anúncios, que podem ser vídeos ou fotos, são feitos de forma 100% online e automatizada. Eles seguem um formato padrão e são expostos por oito segundos nas telas instaladas no topo dos carros. “Com essa arte pronta, entramos na fase de segmentação de acordo com a categoria que o anunciante deseja: geolocalização, horário, data, clima, dentre outras variáveis. Decidido isso, o anúncio já está pronto para ser exibido”, diz Fábio Barcellos, CEO e um dos fundadores da Mobees.

Segundo Barcellos, as empresas podem usar a Mobees como mais uma maneira de anunciar na cadeia omnichannel, e têm seu investimento potencializado com as ferramentas de segmentação, que favorecem uma exibição mais assertiva e otimizada. “Sem contar que, por ser uma novidade no mercado, tem toda a curiosidade dos consumidores pela solução e esse novo jeito de fazer marketing out of home”, explica.

Barcellos diz ainda que o algoritmo da Mobees pode colaborar para o desenvolvimento de cidades inteligentes, porque com ele será possível fazer uma análise sobre o comportamento dos consumidores e o fluxo de pessoas nas ruas. Os painéis também contam com sensores que conseguem captar dados como a qualidade do ar, por exemplo, que podem ser compartilhados com prefeituras e secretarias para que elas desenvolvam ações mais efetivas. 

marketing inteligente Divulgação: Mobees

Busca por renda extra impulsiona o negócio

A busca por renda extra, especialmente neste momento de pandemia, fez com que milhares de motoristas de aplicativos se interessassem pela Mobees. A startup já conta com uma fila com mais de 10 mil profissionais interessados em fazer parte de sua base. 

A Mobees se responsabiliza por todo processo de instalação, manutenção e conserto dos painéis, caso haja necessidade. Os motoristas recebem um valor fixo, e a cada mês trabalhado com o painel de LED aceso, o valor aumenta, podendo chegar a R$ 1 mil.

“De acordo com um levantamento que fizemos, esse valor pode corresponder de 25% a 30% da renda líquida dos motoristas. Tudo pode ser acompanhado pelo app da Mobees, que exibe a contabilização de horas de exposição de anúncios”

Fábio Barcellos, CEO e um dos fundadores da Mobees

A startup acaba de anunciar o recebimento de um aporte de R$ 5 milhões, liderado pela Canary junto com o fundo Norte Capital e anjos de startups como iFood, Rappi, Volanty e 99. Grandes empresas já aderiram aos anúncios nos painéis da Mobees, que hoje conta com 100 carros (200 telas) rodando no Rio de Janeiro. A expectativa é que, só na capital fluminense, esse número dobre até outubro. Para o ano que vem, a empresa tem planos de expansão mais agressivos, e pretende chegar a outras 20 cidades brasileiras e outras cinco em países da América Latina.


+NOTÍCIAS

Como serão os escritórios em um futuro pós-pandemia?
Pandemia à parte, o quanto as empresas realmente mudaram?
3 competências necessárias para líderes de negócios digitais
Agibank vai do banco digital para o físico com abertura de agência