Conheça ferramentas de gestão e suas funcionalidades para PMEs
Eficiência

Conheça ótimas ferramentas de gestão financeira para PMEs

Apenas um terço dos pequenos negócios sobrevivem aos primeiros 5 anos de existência. E a falta de gerenciamento das finanças é a principal culpada

POR Redação Whow! | 10/06/2021 14h16 Conheça ótimas ferramentas de gestão financeira para PMEs

Para quem deseja empreender no Brasil, temos uma notícia boa e outra ruim. A ruim é que esta é uma tarefa difícil, a boa é que você pode contar conosco nessa caminhada! E foi pensando nisso, que preparamos este texto com dicas de gestão financeira para Startups e  Pequenas empresas.

Afinal, cada empresa tem sua particularidade e principalmente os pequenos empreendedores, possuem desafios diários para superar e controlar bem os gastos e fazer um excelente gerenciamento de fluxo de caixa é um deles. Afinal, como diz o ditado: Cash is king, ou seja, na tradução literal, o dinheiro é o rei. 

Até porque, o sucesso de um negócio, está diretamente relacionado com as chances dele prosperar. Por isso, antes de começarmos o texto, reflita como você faz o controle do dinheiro que entra na sua empresa ou dos gastos que ela tem.

Quer saber mais? Confira aqui ótimas ferramentas de gestão financeira para sua empresa Boa leitura!

Desafios de gestão financeiras para pequenos empreendedores

Segundo o estudo Demografia das Empresas, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 2017, mais de 60% das empresas brasileiras fecham as portas em até cinco anos de funcionamento. E o dado fica ainda mais assustador quando falamos de pequenos negócios que não têm funcionários assalariados. Para estes, cerca de um terço sobrevive aos cinco primeiros anos.

Para você não fazer parte dessa estimativa, é essencial controlar as despesas, criar uma reserva financeira e manter seus dados atualizados. Com o seu orçamento controlado, sua empresa tem mais chance de caminhar para um futuro mais próspero.

Erros comuns para o setor de gestão financeira para pequenas empresas

Antes de fazer qualquer ação a respeito da gestão financeira para pequenas empresas, é necessário saber se você está cometendo algum erro.

Por isso, separamos alguns erros comuns, cometidos na organização financeira

1. Não ter definido um pró-labore

O pró-labore nada mais é do que um salário para os donos da empresa. Definir essa quantia, é primordial para evitar que o dinheiro da empresa sirva para pagar contas pessoais do empreendedor. Algo que pode afetar o funcionamento da empresa.

Mesmo se o seu negócio tiver algum lucro pontual, é importante que você, e seus possíveis sócios, continuem retirando somente o pró-labore. Até porque, a sua empresa precisa de investimentos regulares.

A não definição de um pró-labore pode impactar negativamente na sua empresa. É importante deixar este valor bem definido pois você sócio não correrá o perigo de, no final do mês, dependendo do lucro da empresa, não retirar mais dinheiro do que a empresa suporta, deixando assim a empresa em uma situação de perigo financeiro, na qual para bancar as contas dos próximos meses, sua empresa terá que recorrer à empréstimos bancários e/ou utilizar-se do saldo especial de sua conta corrente, com taxas altíssimas, gerando um custo financeiro para pagar seus empréstimos que muitas vezes consumirá grande parte do lucro que sua empresa gera. 

2. Misturar as contas jurídica e pessoal

Acima de tudo um erro muito comum nas empresas, é não separar as contas pessoais da jurídica da empresa.

Conforme já falamos no tópico acima, o dinheiro da empresa não pode ser utilizado para despesas pessoais, pois isso é uma receita certa para problemas financeiros.  Qualquer sócio que descapitaliza (retira capital) sua empresa, a coloca em sérios riscos em inúmeras situações:

  1. Virada pontual na venda de seus produtos, e consequente falta de receitas e caixa; 
  2. Inadimplência dos seus clientes, o que ocasiona uma falta de caixa, seja esta temporária ou não; 
  3. Leve ou alta recessão no mercado, devido às mudanças repentinas ou permanentes no mercado – Um exemplo disso é a situação que estamos vivendo hoje de pandemia. Muitos empresários, que misturavam suas contas pessoais e jurídicas acabaram retirando dinheiro de suas empresas e diminuindo o caixa dessas empresas, e, quando a crise chegou, suas empresas estavam com pouco caixa para cobrir as necessidades dos efeitos da queda nas vendas na Pandemia. 

O ideal para qualquer empresa é deixar no mínimo 6-12 meses de caixa mensal como segurança para eventuais necessidades de caixa.  

3. Não catalogar todas as entradas e saídas

Mais uma vez, os donos de empresas precisam ter a organização como principal aliada do seu negócio. Isso significa, que é necessário registrar toda e qualquer transação que a empresa fizer. Incluindo as pequenas.

Uma dica é montar uma planilha de gastos. Assim a gestão financeira para pequenas empresas fica mais eficiente e organizada. É importantíssimo para qualquer empresa saber fazer uma excelente gestão do caixa, e, para tal, é necessário ter controle de todas as saídas e entradas de recursos, além das previsões mensais, semanais e diárias de todas as despesas, investimentos e receitas que a sua empresa deverá ter pelo menos pelos próximos 12 meses. 

Quer saber como fazer? 

Primeiro, comece listando todas as despesas administrativas, financeiras e outras mensais que sua empresa têm, como água, luz, aluguel, condomínio, telefone, tributos, pagamento de empréstimos e demais gastos usuais, por data de pagamento e por valor que você paga. 

Caso o valor destas contas flutue, sempre coloque os valores mais altos ou os últimos valores para que você seja conservador.   Agora lance estes valores na linha do tempo no futuro, e não se esqueça de verificar, nas contas que sofrem reajustes, como aluguel e outras, os meses que estas contas sofrerão reajustes e colocar na sua planilha de controle, ou no seu software, o valor dos seus gastos já atualizados para os reajustes. 

 Exemplo: 

Se o seu aluguel é de R$2 mil reais e em setembro vai ser atualizado pelo IPCA, que deve ser de 6,5%, lance para setembro em diante um valor de aluguel de R$2.130,00 ((2000 X (1+6,5%)). 

Segundo, faça uma estimativa das suas vendas para o mês. Dessa forma, lembre-se de colocar somente as vendas que são recorrentes ou as vendas que já estão contratadas.  Não coloque aqui vendas que estão em tratativas, senão você ficará com uma visão distorcida da sua empresa.  Importantíssimo colocar as parcelas das vendas que serão recebidas nos meses apropriados. 

Um erro comumente feito por empresários é confundir regime de competência com regime de caixa.  Uma venda de R$ 120.000,00 não significa necessariamente que este valor irá entrar no caixa de sua empresa imediatamente. 

Se as condições de sua venda foram em 3 parcelas, sua empresa receberá estes valores em 3 parcelas de R$ 40 mil reais, em 30/60/90 dias, e isto precisa estar refletido no caixa de sua empresa e também nas projeções futuras que você faça sobre os clientes recorrentes que você tenha. Não se esqueça disso.     

Terceiro, planeje qualquer tipo de investimento que sua empresa necessite fazer e faça os lançamentos na linha do tempo, também levando em conta que muitas vezes você fará este pagamento a longo prazo, afinal compensa mais você pagar em muitas vezes para não reduzir o caixa da sua empresa imediatamente através de um único pagamento.  Portanto, use as suas compras a seu favor e estique o pagamento delas o máximo o possível, caso você tenha as mesmas condições que as compras à vista e você tenha limite no cartão de crédito.

4. Não ter dinheiro reserva

Todo mundo sabe que imprevistos acontecem toda hora. E quando estamos falando de um pequeno negócio, estar desprevenido pode significar o fim da empresa.

Por isso, é necessário criar uma reserva financeira ao longo do funcionamento do seu negócio. Até porque, ela pode servir para pagar possíveis despesas que surgirem, ou até investir no crescimento do seu negócio.

5. Não ter objetivos financeiros

Apesar de ser um dos mais importantes, este é um dos erros mais comuns entre os empreendedores de pequenas empresas.

Não ter objetivos financeiros bem definidos, faz com que o gestor não tenha uma noção exata de aonde quer chegar.

Por isso, é essencial a criação de objetivos para pequeno, médio e longo prazo. Somente assim, que você irá saber se está percorrendo o caminho certo.

A importância da gestão financeira para pequenas empresas

Toda empresa tem como interesse o lucro. Mas para que isso possa acontecer, é necessário compreender qual é a importância da gestão financeira para a sua empresa.

Ela é determinante para saber se os gestores estão colhendo frutos do negócio que estão investindo, ou se apenas estão entrando em dívidas.

Dessa forma, o controle financeiro é responsável por controlar o funcionamento da empresa. Somente assim, os empreendedores poderão entender o cenário atual e até prospectar novos negócio.

Ferramentas que ajudam a gestão financeira para pequenas empresas

Conta Azul

Nesse sentido, a Conta Azul é uma das principais empresas de gestão financeira para pequenas empresas. A startup é bastante completa e opera completamente online.

A empresa entrega emissão de boletos e notas fiscais, gerenciamento de contas a receber e a pagar, integração contábil e gerenciamento de fluxo de caixa.

Tudo isso numa plataforma dinâmica e com atendimento personalizado para cada empresa.

Nibo

A Nibo, também oferece um uma ferramenta de gestão financeira bem completa. Focando em auxiliar o pequeno e médio empreendedor.

Logo, na plataforma você também pode organizar as entradas e saídas, o acompanhamento de fluxo de caixa, organização de estoque e até automatizar o processo de cobrança.

E assim como a Conta Azul, a Nibo também entrega tudo isso de maneira conjunta e integrada. Tudo para facilitar a vida do empreendedor.

Além disso, a empresa também gera relatórios gerenciais, para que possa ser feito uma análise das finanças da sua empresa.

Quickbooks

O QuickBooks ZeroPaper é uma solução para controlar o gerenciamento financeiro. Também voltada para facilitar esse processo, a plataforma oferece várias ferramentas para acompanhar a receita da empresa.

Além de oferecer as mesmas soluções que a Conta Azul e o Nibo, a empresa ainda permite que seu software seja acessado de qualquer lugar. Isso porque ela também está disponível em sistemas operacionais iOS e Android.

Assim fica mais fácil de manter a sua empresa organizada né? Como você pôde ver, já existem muitas soluções para aqueles que desejam gerir melhor as finanças do seu negócio.

Dessa forma, vale a pena pesquisar e compreender qual se encaixa melhor para aquilo que você precisa. Afinal, cada caso é um caso, e como explicamos, gerir suas finanças é essencial para a sua empresa!

Se você gostou desse texto, e quer receber mais novidades a respeito de soluções para os pequenos e médios negócios, assine a nossa newsletter gratuitamente agora mesmo!