Company Hero: Startup que facilita burocracias - WHOW

Pessoas

Company Hero: Startup que facilita burocracias

Company Hero: conheça a startup que veio para acabar, de uma vez por todas, com as burocracias que interferem no crescimento das pequenas empresas

POR Redação Whow! | 17/06/2021 13h44

Company Hero: conheça a startup criada em 2016, que tem o intuito de apoiar pequenos e médios empreendedores na abertura do negócio

Por dentro da startup Company Hero 

Criada em 2016, atualmente a empresa oferece os serviços de abertura de empresa, aluguel de endereço virtual, gestão de correspondências, salas de reunião e conta digital PJ. Tudo isso através de uma plataforma de serviços digitais por assinatura.

Simplificar o processo de abertura do negócio, por meio de experiências incríveis, são os objetivos da startup.  Nesse sentido, destacam-se como características principais da empresa simplicidade e agilidade. Assim, por meio da tecnologia, a Company Hero descomplica o processo de abertura de uma empresa, que é recheado de burocracias e segue apoiando o empreendedor.

O surgimento dessa startup foi acompanhado de muita persistência 

Acima de tudo, a história da fundação da Company Hero têm detalhes curiosos. Miklos Grof, um dos CEOs, que havia estudado Ciências Econômicas na Inglaterra, estava mais do que infeliz trabalhando no mercado financeiro.

Nesse contexto, em 2012, decidiu ir ao Chile, mesmo sem falar uma palavra em espanhol, para tentar a vida no ramo de startups, cujo qual era apaixonado. Durante um tempo, ele morou na casa de conhecidos, tornando-se voluntário em algumas startups. 

Em síntese, lá, construiu um projeto para desenvolvimento de softwares focado em gestão financeira de pequenas empresas, que recebeu o nome de Fundacity. Com essa ideia, participou de um programa de aceleração, onde conheceu seu futuro sócio, Diego Izquierdo, representante de uma empresa de marketing digital. 

Em 2014,  eles se mudaram para Belo Horizonte e trouxeram a sede da empresa para o Brasil. Entretanto, venderam a startup à concorrência um ano depois, em 2015. Apesar disso, continuaram trabalhando na Fundacity por mais um ano. Foi aí que tiveram a ideia de iniciar no ramo de coworking, em 2016. 

Company Hero vem para simplificar processos

A Company Hero, que começou oferecendo espaços físicos aos pequenos empreendedores, observou que por trás de um simples endereço comercial estão outros processos mais complicados e necessários para colocar um negócio de pé.

Nesse contexto, eles buscam a simplificação, diminuindo a dor de cabeça do empresário, que pode se focar em outros pontos do negócio. Para se ter uma ideia, a startup permite a contratação de uma sede, por exemplo, on-line e em apenas dois minutos. Simples assim.

O modelo de negócio lucrativo, pautado em uma necessidade de milhões de pequenos e microempresários, chamou a atenção dos investidores. Antes da primeira rodada de investimentos, processo conhecido como Pré-série A, a empresa recebeu aporte de mais de 100 investidores-anjo, o que resultou em 3,2 milhões de reais.

Cenário atual da startup e planos para o futuro

Logo, com base em um estudo realizado pela própria Company Hero, somente em 2020, conseguiu fazer com que empreendedores poupassem, no processo de abertura de uma empresa, 537 mil horas. Além disso, mais de R$ 125 milhões de reais foram economizados. 

Para o futuro, a Company Hero acredita que o trabalho remoto continuará a ser tendência. Afinal, cada vez mais as empresas estão sendo flexíveis quanto à presença física dos seus colaboradores. Dessa forma, o digital ganha mais espaço na realidade dos negócios.

Atualmente, a empresa conta com 5 mil clientes e, até o fim de 2022,  visa chegar aos 15.000. Dessa forma, durante os dois últimos anos, a Company Hero viu, inclusive, a procura pelos seus escritórios virtuais aumentar consideravelmente.

Ao todo, a empresa acumula hoje 20 escritórios pelo Brasil que funcionam sem funcionários. A intenção dos CEOs da Company Hero é ter unidades em cada estado do país no mesmo modelo. Eles também vislumbram a internacionalização da empresa. Além disso, outro plano da startup é oferecer serviços de marketing digital e gestão de redes sociais para os seus clientes. 

Burocracia é vista como desafio pelos empreendedores

Definitivamente, conseguir empreender no Brasil é um verdadeiro desafio e, também, um teste de resiliência. Afinal, com tantas burocracias, taxas, nomenclaturas, só resta aos empresários compreender e realizar o passo a passo.

Atualmente, só o tempo de abertura de uma empresa, conforme o Ministério da Economia, é de dois dias e 13 horas. A meta do Governo Federal é que, até o final de 2022, a abertura das empresas ocorra em apenas um dia.

Porém, até isso acontecer, além do grande gasto de tempo, quem tem o sonho de ter o próprio negócio no Brasil ainda precisa enfrentar outros desafios. O primeiro deles é a alta carga tributária. Assim, é preciso se  preparar, para entender cada imposto e também descobrir como se tornar isentos de alguns.

Depois, vem o baixo incentivo financeiro. Hoje, não é fácil conseguir crédito e nem baixas taxas de juros. Muitos empreendedores precisam apenas disso, para dar o pontapé inicial aos seus negócios, tirando as ideias do papel. Além de todos esses desafios podemos citar:

  • falta de estímulo à educação empresarial: o fato de tocar uma empresa empiricamente pode resultar em um rápido fechamento;
  • conseguir realizar o acompanhamento e análise dos dados financeiros da empresa;
  • alta concorrência: prepare-se para um mercado recheado de empresas que podem oferecer o mesmo que você.

Afinal, gostou do nosso conteúdo? Se sim, assine agora mesmo a nossa newsletter gratuitamente e receba artigos como este em primeira mão!