Como utilizar as parcerias estratégicas para inovar e transformar no varejo - WHOW

Eficiência

Como utilizar as parcerias estratégicas para inovar e transformar no varejo

Você já viu uma grande empresa ser formada apenas por uma única pessoa? O bom e velho ditado que diz que “nenhum homem é uma ilha” resume bem o conceito de parcerias estratégicas. Mas, você sabe o porquê? Acompanhe os próximos tópicos e descubra tudo sobre essa prática!  O que são parcerias estratégicas? Parcerias estratégicas […]

POR Redação Whow! | 28/04/2021 19h44

Você já viu uma grande empresa ser formada apenas por uma única pessoa?

O bom e velho ditado que diz que “nenhum homem é uma ilha” resume bem o conceito de parcerias estratégicas. Mas, você sabe o porquê? Acompanhe os próximos tópicos e descubra tudo sobre essa prática! 

O que são parcerias estratégicas?

Parcerias estratégicas são acordos e contratos formalizados entre duas ou mais organizações, a fim de se ajudarem mutuamente. Elas podem ser firmadas entre pequenas, médias e até grandes empresas.

No entanto, é importante destacar que as pequenas e médias empresas são as mais desafiadas quando falamos de obter novos mercados e tecnologias. Nesse sentido, as parcerias estratégicas atuam como verdadeiras alavancas, ajudando essas empresas a se desenvolverem bem mais rápido, em comparação se estivessem atuando sozinhas.

Unir-se a outras empresas não significa, de forma alguma, que a sua é ineficiente. Muito pelo contrário, o processo de crescimento e transformação digital requer outras habilidades e competências que ainda não fazem parte do seu negócio. E está tudo bem com isso.

Tipos de parcerias estratégias

Parcerias de distribuição

Podem acontecer tanto em empresas do mesmo ramo ou não. Consiste em criar laços com outras organizações devido aos seus conhecimentos mais aprofundados em canais de distribuição. 

Dessa forma, elas passam atuar também como distribuidoras da sua base de clientes.

Parceria de marca

Nesse tipo de parceria, o foco está também em aumentar o valor para uma base de clientes conjunta, das duas empresas. Assim, além de compartilharem as experiências e recursos tecnológicos, a marca e a base de clientes também é compartilhada.

Por exemplo, o Grupo Pão de Açúcar e o Multiplus se uniram, em meio à crise, para impulsionar as compras. Assim, os clientes podiam resgatar os pontos do programa de fidelidade da Multiplus por produtos do Pão de Açúcar ou do Extra.

Parceria de produto/serviço

Ocorre quando duas empresas se unem para construir um novo produto ou serviço, que servirá para uma das duas ou para ambas. Samsung e Microsoft, por exemplo, se uniram para criar e desenvolver dispositivos com novas soluções e, assim, atingir um público maior.

Value Added Reseller (VAR)

Em uma tradução mais livre significa “revenda com valor agregado”. Trata-se de uma parceria de canal de distribuição na qual não se trata apenas de revenda e sim, na incrementação daquele produto ou serviço inicial de uma das duas empresas. O foco é aumentar o valor para o cliente.

Parcerias corporativas

É um tipo de parceria que ocorre, normalmente, entre empresas de diferentes portes, onde juntas, buscam otimizar os processos, aumentar a produtividade e obter mais recursos financeiros e desenvolver novas tecnologias. 

Alianças estratégicas

As alianças consistem na união das expertises de parceiros, com foco também em aumentar o valor de produtos ou serviços, por meio da inovação. 

Esse tipo de parceria é muito comum em empresas de tecnologia, onde há compartilhamento de códigos. Um exemplo claro são as integrações de canais de voz e /ou WhatsApp com um um CRM – Customer Relationship Management.

A importância das parcerias estratégicas 

Você já deve ter percebido que os impactos das parcerias estratégicas são positivos. Agora, entenda um pouco mais sobre a importância da aplicação delas, na prática.

Gestão da inovação: o olhar de quem está “de fora”

A gestão da inovação flui muito melhor com a contribuição de um parceiro mais especializado, com visões de outras perspectivas do mesmo negócio. Assim, é possível enxergar saídas e soluções que sequer eram consideradas.

Expansão em novos mercados

Uma parceria estratégica pode ser a porta de entrada em novos mercados, cujos quais uma outra empresa ainda não tão preparada, teria mais dificuldade no processo. 

Embora estejamos vivendo em uma era conectada, com acesso rápido e fácil a informações, alguns nichos de mercado pedem um contato mais próximo. Assim, uma aliança bem estruturada pode ser “a porta” que muitos negócios estão precisando para deslanchar. 

Inovação e transformação digital

A transformação digital não ocorre de maneira isolada e nem todas as empresas possuem todos os recursos necessários para passar por esse processo sozinhas. Caso façam essa tentativa, podem acabar sem conseguir focar nem nas suas próprias atividades rotineiras e nem na transformação. Como resultado se tem: perda de recursos, como tempo, dinheiro e até pessoas. Em alguns casos, até a paciência.

Com um aporte de uma outra organização, a transformação digital pode acontecer de maneira mais estruturada e organizada e, a cada passo, ser realmente vivenciado.

Parcerias estratégicas no varejo 

A Nielsen, uma das maiores empresas de análise e mapeamento de mercado, destacou em um estudo que 70% das decisões são tomadas na frente das gôndolas, sendo que 50% destas são feitas por hábito.

A analista de Mercado Stephanie Biglia, da Nielsen, afirma que durante o processo de compra, o cliente recebe vários estímulos a todo instante, o que impossibilita o processamento das informações de maneira consciente. Ações de compra, necessidade do momento e o próprio estabelecimento contribuem para a tomada de decisão.

Agora, acrescente também os fatores sociais, culturais e emocionais, afinal, compras são feitas por pessoas. Tudo isso que foi mencionado tem influência na compra.

Nesse sentido, cultivar um relacionamento estreito entre a marca e o consumidor é crucial para o sucesso de qualquer empresa. E, em boa parte das transações, é o varejo responsável por esse relacionamento mais próximo.

Assim, alianças com o varejo são cruciais para o aumento das vendas como também o fortalecimento da marca e na mente e, principalmente, no coração dos consumidores.

Varejo e e-commerce

Nas lojas físicas, muitas marcas contam com uma ajuda “viva” de promotores de venda, com demonstrações e até mesmo degustações. Já no mundo digital, embora podemos criar experiências incríveis, as relações entre os consumidores e intermediários são diferentes e até mais complexas. 

E, para uma parceria de sucesso entre essas duas frentes, é imprescindível:

  • Troca da análise de dados, para que ambos possam verificar a eficiência ou não de suas ações off e on;
  • Equilíbrio entre sortimento e distribuição: a não entrega de um produto por falta de estoque gera impactos negativos tanto para ambos os lados;
  • Investimentos direcionados em campanhas, conforme os dados analisados de ambas.

Tendências do varejo que podem ser alcançadas com parcerias 

As parcerias estratégias podem ser a saída para muitas empresas, principalmente neste período de pandemia, que ainda vivemos. E, para este talvez os próximos anos, elencamos as principais tendências de parcerias para o varejo.

Entrega rápida e no mesmo dia!

A Amazon é pioneira nisso, o que é um verdadeiro sonho, concorda? 88% dos consumidores estão dispostos a pagar pela entrega no mesmo dia ou mais rápida, segundo pesquisa da PcW Global.

Comércio social

O comércio social oferece uma experiência mais direta de compras, de modo que, no lugar de comprar em sites de terceiros, os usuários fazem as compras diretamente no aplicativo ou no site de mídia social da empresa.

Nova abordagem para o marketing de influência

O marketing com influenciadores digitais é hoje bastante utilizado. Mas, quem está do outro lado da tela, mudou a sua percepção

Agora, temos um público mais experiente, dono de um senso crítico capaz de avaliar a autenticidade do material produzido. Se exagerar demais, eles percebem. Se não for verdade, também. Porém, o contrário também é válido.

Live commerce

É uma modalidade que consiste em aproximar, cada vez mais, clientes e empresas. Trata-se de uma combinação de streaming de vídeo ao vivo com a interação dos consumidores, que podem, até mesmo, finalizar uma compra.

Marcas éticas baseadas em valores

Hoje, os consumidores estão preferindo produtos mais alinhados com as suas causas e valores. Segundo pesquisa da “Global Consumer Pulse” da Accenture Strategy , 83% dos brasileiros consomem dessa forma.

Que tal mais conteúdo como esse? Assine a nossa newsletter para ser avisado toda vez que sair algo novo por aqui.