Como o Poliedro acelerou inovações durante a pandemia - WHOW

Pessoas

Como o Poliedro acelerou inovações durante a pandemia

Com o início da pandemia de Covid-19, nos deparamos com um desafio de adaptação que alterou a cultura organizacional das escolas e acelerou um processo inevitável: a transformação digital

POR Redação Whow! | 19/05/2021 14h05

Por Artur Costa, diretor executivo de Consultorias do Poliedro Sistema de Ensino

Com o início da pandemia de Covid-19, nos deparamos com um desafio de adaptação que alterou a cultura organizacional das escolas e acelerou um processo inevitável: a transformação digital.

O período, é claro, foi bastante complexo e gerou inúmeras incertezas, mas também se tornou uma janela de oportunidades para o Poliedro Sistema de Ensino. Ao longo de 2020, aceleramos de cinco a dez anos na inovação, implementando diversas soluções tecnológicas e, consequentemente, de metodologia. Ao longo do processo, notamos um movimento interessante por parte das nossas escolas associadas, que se demonstraram mais receptivas às novidades, já que não havia outra forma de dar continuidade ao cronograma educacional senão por meio das ferramentas digitais.

Já trabalhávamos com algumas tecnologias, sempre com o objetivo de aumentar a interconexão entre professor e aluno e difundir uma cultura de planejamento entre os profissionais. Mas com o novo cenário e com a chegada do Novo Ensino Médio, a transformação digital tomou dimensões maiores. A necessidade de introduzir Itinerários Formativos fez com que nós migrássemos de um modelo previamente definido para um completamente personalizável, que insere o estudante no centro da tomada de decisões e o conduz para seu projeto de vida. Construímos de maneira muito rápida o nosso Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), em que oferecemos trilhas de aprendizagem aos estudantes, sequências didáticas, videoaulas e indicações de roteiros que garantem seu cronograma educacional. Neste sentido, também houve uma mudança do conceito do Sistema de Ensino, que padronizava e sistematizava materiais didáticos para a rede. Agora, estamos atentos à entrega de produtos e serviços que façam sentido para a realidade de cada um de nossos associados.

Vale ressaltar que, no Poliedro, nunca pensamos a transformação digital como a digitalização do material didático. Trata-se de um conceito que envolve diversos pilares. O primeiro é entender quais são as necessidades do cliente e quais propostas de valor fazem mais sentido. Depois, temos que trazer inovação para a sala de aula, que não envolve apenas ferramentas virtuais, mas também novas metodologias. Agora, com o modelo híbrido, nota-se a importância de unir o que há de melhor nas práticas presenciais às desenvolvidas no ensino à distância. É uma mudança expressiva no segmento de educação, que veio para ficar.

Uma outra transformação observada ao longo do último ano foi a cultural. Nota-se que as escolas voltaram a sua atenção para a efetividade do processo de aprendizagem dos alunos. Afinal, não basta contar com um corpo docente capacitado, é preciso entender o que o estudante de fato está absorvendo do conteúdo ministrado.

A cultura é um grande diferencial competitivo de longo prazo, e mudá-la é um processo complexo, já que envolve tempo ou grandes eventos que a impulsionam, como a pandemia, por exemplo, que mobilizou mudanças repentinas. Houve uma urgência de transição do formato presencial para o on-line, que exigiu o desenvolvimento de novas estratégias e metodologias ativas de aulas. O jeito de ensinar mudou, e o protagonismo do aluno em seu aprendizado tornou-se ainda mais necessário.

Um exemplo que ilustra mudanças que vieram para ficar é a utilização da plataforma de aprendizagem adaptativa desenvolvida pelo Poliedro, a CatLearning. Por meio dela, o estudante começa testando seus conhecimentos prévios ao tema estudado. A partir de seus acertos e erros, a ferramenta calcula seu nível de proficiência e sua aptidão para dar sequência aos tópicos. Com isso, o professor pode oferecer atividades de modo personalizado e individual que estimulem seu progresso, além de utilizar estratégias como a aprendizagem por pares, rotação por estação, entre muitas outras. Podemos observar como a tecnologia, aliada a uma metodologia nova, promove experiências educacionais diferenciadas.

Outro exemplo de inovação está no sistema avaliativo. No modelo on-line, encontramos um leque de oportunidades para oferecer feedbacks rápidos e assertivos por meio das plataformas digitais, de modo a ampliar o poder de ação do professor, que só obtinha um panorama geral do desempenho do estudante ao final de cada bimestre ou trimestre. Para essa finalidade temos uma ferramenta interessante chamada Ciclo Avaliativo. Com ela, após o término de cada capítulo da disciplina, é possível aplicar uma avaliação e já entender onde os alunos têm dificuldade e o que é necessário retomar e reforçar antes de avançar com o conteúdo.

Neste complexo período que enfrentamos, conseguimos oferecer todo o suporte às nossas escolas associadas. Nosso papel consultivo foi bastante ampliado neste momento, e percebemos ainda mais a importância de oferecer soluções direcionadas, compreendendo a fundo o que cada um de nossos parceiros precisa.