Como encontrar as pessoas certas para sua comunidade - WHOW

Pessoas

Como encontrar as pessoas certas para sua comunidade

A colunista Laura Gurgel explica como definir a persona certa e, então, começar a dar movimento à comunidade de pessoas com propósito em comum

POR Laura Gurgel | 25/11/2021 16h21

Começar uma comunidade nem sempre é fácil, mas isso a gente já sabia. No artigo anterior, falamos sobre como é importante identificar nosso propósito e nos manter conectados ao que acreditamos. Agora, é chegada a hora em que temos de saber quem são e onde estão as pessoas que podem participar com a gente desse movimento.

Mas como fazer isso?

Quando finalmente conseguimos entender o que nos motiva, definir o público-alvo se torna bem mais simples. Resta entender onde estas pessoas estão, como podem se conectar a nós e quais seus gostos, hábitos e sentimentos comuns.  E o mais importante: como trazê-las para perto?

Por isso, é chegado o momento de pensar na persona da comunidade, definindo adequadamente qual o perfil das pessoas que vão participar do grupo. Uma boa forma de identificar as características dos futuros membros é montar um mapa de empatia. Com ele, é possível compreender melhor os sentimentos, pensamentos e realidade de quem queremos convidar para esta empreitada. E nem sempre são pessoas iguaizinhas a nós! Então muito cuidado, muita observação e muita validação. Entender a fundo este grupo vai ajudar na otimização de seu trabalho, para juntar o maior número de pessoas com menor esforço possível. 

Com a persona definida, fica mais fácil identificar grupos, hubs, locais e instituições que estas pessoas frequentam. Faça uma lista com essas informações, entenda como estes espaços funcionam e elabore uma estratégia. Como você vai abordar estas pessoas? Com que linguagem? O que você oferece (falaremos sobre proposta de valor em breve)?

Com isso tudo pronto e em mãos, busque se conectar com as pessoas identificadas, sempre deixando claro seu propósito e a razão pela qual busca este contato. Essa parte é fundamental: as pessoas gostam de participar de grupos com temáticas que as interessam, mas não se conectam com o que não faz sentido ou que não oferece transparência suficiente.

Na sequência, e com a estratégia estabelecida, vamos ao próximo passo! Muito bem, é o momento de, após iniciar a aproximação com o nosso público-alvo, pensar em como vai funcionar a comunidade na prática.

De acordo com Seth Godin, em seu livro “Tribos: nós precisamos que vocês nos liderem”, é importante manter as nossas comunidades em movimento. O movimento é o que mantém as pessoas engajadas e conectadas ao propósito da comunidade. Essa força, que provoca o engajamento e a adesão das pessoas, sempre faz com que mais gente se junte ao grupo!

É importante ter em mente que os primeiros a participar de uma comunidade dão poder a ela, a tornam viva. Uma boa forma de ilustrar isso é por meio do vídeo “O Primeiro Seguidor”, que explica como esse movimento funciona:

https://youtu.be/P46hAl6DOa8

Então é chegada a hora de desenhar nossa estratégia! Vamos?