WHOW

Empoderar equipes para projetos vencedores

Em um dos webinars do Liga Open Innovation Summit, Alex Osterwalder, teórico suíço e criador do Business Model Canvas, falou sobre como empoderar equipes de negócios para investir em projetos vencedores, mensurando riscos e inovações no campo dos negócios atuais.

Segundo o teórico, há três passos para que uma empresa se torne invencível: se reinventar constantemente; competir com modelos superiores; e transcender os limites da indústria.

Osterwalder também comentou os três diferentes tipos de inovação existentes: a inovação de transformação, que envolve produtos digitais e investimento em negócios novos; a inovação sustentável, que significa a criação de novas propostas de valor; e a inovação de eficiência, para aprimorar os processos, propostas de valor e modelo de negócios de uma empresa. “Grandes empresas fazem esse investimento nos três tipos de inovação”, disse, enfatizando a importância desses conceitos para empresas de sucesso.

Inovar é criar valor

De acordo com o especialista, pelo menos 95% dos esforços de inovação, hoje, se concentram em eficiência e sustentabilidade ― o que não é errado, ele diz, mas também não levará as empresas para a próxima década. “O produto tem que ser transformador, inovador, eficiente e sustentável”, diz, citando os carros da Tesla como exemplo. “Inovação não significa tecnologia ou pesquisa em desenvolvimento; inovação é criar valor para o cliente e para o seu negócio”, complementa.

Osterwalder também explicou no webinar que gerenciar portfólios é essencial, principalmente quando se inicia um produto. “Passa-se por duas fases”, explica. “Na criação de um produto, a primeira delas é caótica, pois é a fase de pesquisa e planejamento. Já a segunda é mais tranquila, já que nela o plano de negócios está bem estruturado e organizado”, diz.

Para o especialista, também é importante ter em mente que, caso um empreendedor esteja usando tecnologias para melhorar um modelo de negócios a caminho de se tornar obsoleto, então ele está andando na direção errada, uma vez que necessário que a demanda por aquele produto continue.

“Só se aumenta o investimento em um produto quando se tem provas de que ele dará certo”, aponta especialista

Também foram apontados por Osterwalder os riscos da inovação, que se tratam das ameaças e dos resultados de retorno. Por exemplo, apenas três de 10 investimentos trarão algum retorno, e somente um de 250 será um grande sucesso, explica.

Por esta razão é tão importante que empresas invistam em protótipos e pesquisas, para ter certeza de que o público tem ou não interesse no produto futuro. Além disso, segundo Osterwalder, só se aumenta o investimento em um produto quando se tem provas de que ele dará certo.

“Tenha certeza de que seu produto é desejável, adaptável e se há viabilidade. Descubra se, pelo menos, cinco de 10 clientes têm interesse por ele”, sugere.

Culturas de inovação nas empresas

Mas todo empreendedor precisa inovar? Não necessariamente, segundo Osterwalder. “Existem culturas de exploração de produto, que são úteis para gerenciar o que a empresa já tem. Contudo, o que se precisa fazer para agregar mais valor à empresa e ao produto é criar condições para que empreendedores e inovadores internos possam ter êxito”, conta.

Assim, as equipes de liderança devem ter uma visão estruturada dos projetos, e não investirem apenas nas ideias de que mais gostam, e sim naquelas que possuem evidência concreta. Além disso, faz-se necessário estabelecer uma cultura de inovação, pois sem ela não é possível inovar, mesmo a empresa já tendo outras culturas inseridas.

“Não se desenvolve a cultura como se desenvolve um carro; desenvolva ela como se fosse um jardim”

Alex Osterwalder, criador do Business Model Canvas


+NOTÍCIAS

Inovações no combate às queimadas
A indústria do futuro, agora
7 inovações que podem impactar o setor de saúde até 2040
Para a Natura, sustentabilidade é vetor de inovação

Sair da versão mobile