40% dos pequenos negócios realizaram investimentos em 2021 - WHOW
Eficiência

40% dos pequenos negócios realizaram investimentos em 2021

Entre os pequenos negócios, os que mais investiram na empresa foram os da Indústria, com 47% das empresas; Serviços contabilizaram 39% e Comércio 35,2%, aponta pesquisa do Sebrae.

POR Marcelo Almeida | 24/12/2021 12h06 40% dos pequenos negócios realizaram investimentos em 2021

Pesquisa realizada pelo Sebrae aponta que quatro em cada dez micro e pequenas empresas realizaram investimentos durante 2021, de acordo com a Sondagem Temática Trimestral, realizada em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Entre os pequenos negócios, os que mais investiram na empresa foram os da Indústria, contabilizando 47% das empresas; Serviços contabilizaram 39% e Comércio 35,2%.

Entre o universo das empresas que estão encontrando dificuldade para investir no próprio negócio (41% dos entrevistados), os três principais motivos alegados foram:

  • as incertezas sobre a manutenção do nível de demanda (44,6%);
  • a limitação de recursos da empresa (42,1%)
  • o custo do financiamento (29%).

Apesar de a maioria dos pequenos negócios não terem conseguido realizar investimentos no seu próprio negócio, o Sebrae ressalta que os empreendedores têm procurado inovar e melhorar a qualidade dos produtos e serviços oferecidos, mesmo com todas as adversidades enfrentadas.

Empregos

Dentre os três setores da economia, a Indústria é o único que apresentou uma melhora na perspectiva de contratação para o próximo trimestre.

Segundo a Sondagem, 16,4% dos empreendedores desse setor pretendem aumentar seus quadros de pessoal, número maior do que os 15% de outubro. Já 68,9% pretendem manter o mesmo quantitativo de pessoal.

Apesar do Setor de Serviços ser o que mais pretende contratar, com 18,2%, a intenção de aumento de pessoal caiu em relação a outubro, quando 21,8% tinham essa intenção e outros 76% pretendem manter seus contratados. Apenas 5,8 % pensem na possibilidade de demissões.

Já entre os empreendedores do Comércio, 10% pretendem contratar, 81,3% querem manter seus quadros estáveis e 8,7% pensam em demissões.