Carrefour leva Act for Food ao Whow! - WHOW

Consumo

Carrefour leva Act for Food ao Whow!

Participantes do Whow! viram de perto as iniciativas do Carrefour para levar produtos de qualidade e com preços acessíveis ao cliente

POR Mariana Luchesi | 23/07/2019 12h18

*Fotos Douglas Luccena

O Carrefour apresentou durante o Whow! Festival de Inovação um espaço onde os participantes poderiam conferir de perto todas as iniciativas do movimento Act For Food.

Entre elas estão a parceria com produtores agrícolas para levar ao cliente frutas, verduras e legumes frescos às lojas, garantir qualidade em mais de 2.000 produtos de marca própria e oferecer cerca de 1.500 produtos saudáveis, entre eles opções sem açúcar, sem glúten e sem lactose pelo melhor preço.

A ideia da varejista é ambiciosa: tornar-se o líder mundial de transição alimentar, oferecendo aos clientes produtos confiáveis e de alta qualidade a preços justos.Para isso, ela também vem apostando em um modelo de gestão de resíduos por meio da qual é possível reduzir em 50% o volume de materiais reciclados em suas lojas, no incentivo ao consumo de frutas e legumes fora do padrão estético, mas com a mesma qualidade nutricional de outros alimentos, e na possibilidade do cliente rastrear a origem dos produtos orgânicos.O Carrefour também apoia a compra de ovos de galinha livres de gaiolas e a omicanalidade. Isso permite que os clientes possam receber seus produtos em casa por meio de uma parceria com o Rappi ou comprar pela internet e retirar na loja ou em pontos de retirada nos estacionamentos.

Essas e outras experiências e iniciativas da varejista francesa foram discutidas em dois painéis do Whow! que contaram com a presença de executivos da marca. São eles: “O mito do frictionless”, no dia 24, e “Polêmica na mesa”, no dia 25, que debaterá como deixar o varejo mais atrativo e empolgante para os clientes.


+INOVAÇÃO

O que são negócios exponenciais?
20 motivos que levam as startups à falência
É possível desenvolver uma inovação e crescer no curto prazo?
5 empresas globais de coworking que podem ganhar mercado da WeWork