Brasil está em TOP 10 global de abertura de pequenas empresas - WHOW

Eficiência

Brasil está em TOP 10 global de abertura de pequenas empresas

Veja o ranking completo dos países em que mais cresceu a taxa de nascimento de pequenas empresas em 2020

POR João Ortega | 08/11/2021 14h16

Pequenas e médias empresas são fundamentais para a economia de um local. Afinal, é este segmento que cria mais empregos (entre 45% e 70%, dependendo do país, com taxas maiores para os subdesenvolvidos) e levam produtos e serviços a todas as camadas da população e regiões. E, em 2020, o Brasil foi um dos países que mais se destacou em relação à abertura de novas pequenas empresas. 

É o que indica o estudo global Small Business Reset, publicado pela MasterCard em setembro. Comparando dados de 2019 e 2020, houve aumento de 35% de novas empresas criadas no Brasil, acima da estimativa global de aumento de 32%. Foram avaliados, no levantamento, 19 países, e o Brasil figura no top 10. Veja abaixo: 

1- Reino Unido (101%)

2- Estados Unidos (86%)

3- Austrália (73%)

4- Alemanha (62%)

5- Canadá (58%)

6- Itália (44%)

7- França (40%)

8- Japão (38%)

9- Brasil (35%)

10- Tailândia (29%)

O estudo destaca também que o Brasil foi o país em que houve maior aumento, entre 2019 e 2020, de pequenas empresas que começaram a usar algum meio digital. Este crescimento foi de 208% ano a ano. Isso mostra tanto que a tendência da digitalização está em alta no país, quanto que o ecossistema nacional estava atrasado em relação ao restante do mundo neste ponto. Em comparação, a Alemanha, por exemplo, cresceu apenas 38% em negócios que passaram a usar o digital pela primeira vez. 

Além disso, há uma análise setorial que compara o desempenho, entre 2020 e 2021, das PMEs e grandes empresas em cada país. Os pequenos negócios brasileiros se destacam em praticamente todos os setores avaliados (restaurantes, hospedagem, supermercado e artigos para o lar). Apenas no segmento de vestuário que as grandes empresas têm performance melhor do que as pequenas no período avaliado. 

Vale ressaltar que a vontade, o desempenho e a resiliência do empreendedor brasileiro, que se refletem nos resultados da pesquisa, existem em um cenário que quase nunca é positivo para esta atividade. O Brasil é apontado como um dos países mais complexos para se empreender. Há uma lacuna de crédito de mais de R$ 160 bilhões para PMEs, e metade das empresas sofreu com alta na inadimplência durante a pandemia.