Bootstrapping: riscos e vantagens de empreender com recurso próprio - WHOW
Eficiência

Bootstrapping: riscos e vantagens de empreender com recurso próprio

Modalidade de começar uma startup apenas como seus próprios recursos, sem investimentos de terceiros, tem seus pontos fortes e fracos

POR Redação Whow! | 13/10/2021 12h40 Bootstrapping: riscos e vantagens de empreender com recurso próprio

Termo aparentemente complexo para uma prática simples, bootstrapping significa, basicamente, começar um negócio a partir de recursos limitados, sem investimentos de terceiros.

A sua origem, do inglês, remete a uma peça das botas que fica na parte de trás e permite que o usuário puxe-a para cima na hora de colocá-la. Trata-se, portanto, de estar preparado para usar seu próprio vigor e autonomia para solucionar os problemas que surgirem na jornada, sem acabar ficando descalço. 

Portanto, bootstrapping se refere a criar uma startup, ou negócio qualquer, sem ir atrás de investidores, contando apenas com as reservas que você mesmo guardou e o reinvestindo o faturamento na própria empresa. 

A questão é que, ao começar um negócio do zero e com apenas os seus recursos, existem vantagens e desvantagens que podem te atrair ou torná-lo avesso aos riscos. Confira abaixo e decida se o bootstrapping é algo para o seu perfil:

Vantagens

Nessa modalidade de negócio, você realmente é o chefe e não precisa dar satisfações a ninguém. No caso de startups que buscam investimentos “externos”, eles acabam tendo que justificar as suas ações e o desempenho da empresa periodicamente, não tendo uma margem de manobra tão grande. Por vezes, os investidores podem querer influenciar na forma como os negócios são manejados. 

No bootstrapping, porém, isso não ocorre, o que pode ser tanto uma vantagem como uma desvantagem. Isto porque ao mesmo tempo que a pressão de acionistas pode levar a atitudes precipitadas, o smart money, que é o investimento inteligente, tende a ajudar o negócio a solucionar problemas específicos na trajetória. 

Mas, de forma geral, a vantagem é que você tem um controle criativo sobre a empresa e pode traçar suas próprias metas sem pensar apenas na máxima lucratividade. Além disso, o empreendedor não precisa estar tão alavancado financeiramente enquanto toca o negócio, o que diminui a necessidade de escalar com velocidade. 

Desvantagens

A desvantagem mais óbvia é que, por meio de investidores, você pode acumular um montante muito maior de capital, que será investido na aquisição de clientes, na expansão regional ou em outras necessidades latentes do negócio. 

Isso significa também que, ao contar com um montante menor de recursos, o seu potencial de crescimento também acaba sendo limitado, assim como a velocidade com que ele escala.Vale a pena considerar se a maior autonomia do bootstrapping e suas demais vantagens são mais importantes que esses pontos.

Além disso, ao lidar com recursos próprios, também há o perigo de que esses recursos acabem sendo perdidos caso o negócio não dê bons resultados e a empresa venha a falir. Nesse sentido, o risco é todo dos empreendedores e sócios, sem dividir as perdas com investidores. 

Outra questão importante é que você acaba perdendo oportunidade de conhecer pessoas influentes no mercado, o que ocorreria caso você fosse atrás de fundos de investimento com conhecimento do ecossistema. Além disso, existem investidores que realmente são capazes de apoiar e dar conselhos valiosos sobre como gerir seus negócios que você pode levar para o resto da vida. Atuando “solo”, isso não será possível e você terá que seguir seus instintos e conhecimentos.