Banco Santander usa metrificação para inovação baseada em investimentos evitados - WHOW
Eficiência

Banco Santander usa metrificação para inovação baseada em investimentos evitados

Live do Whow! abordou os novos investimentos em inovação da empresa e a inusitada análise de projetos com base em apostas ruins

POR Carolina Cozer | 19/03/2021 18h08 Banco Santander usa metrificação para inovação baseada em investimentos evitados Imagem: Markus Spiske por Unsplash

Na última quinta-feira (18) retornaram as Lives do Whow! no Instagram. Nesta estreia de 2021, Éric Visintainer, editor da plataforma, conversou com Tomás Mariotto, gestor de novos negócios do banco Santander e superintendente da aceleradora Lab 033.

O executivo contou ao público sobre uma recente parceria da multinacional com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) que formou uma tríade entre mercado, universidade e startups.

O projeto envolveu R$ 2,5 milhões para a criação de um hub físico, bolsas de pesquisa em inteligência artificial e machine learning, para mestrandos e doutorandos da instituição e uma parceria colaborativa entre funcionários do Santander com os alunos. “Essa iniciativa busca conectar o lado intelectual com a prática empreendedora. Planejamos pegar mestrandos e doutorandos e dar a eles um desafio ligado ao tema de data science, para que nos tragam temas agregadores”, explicou Tomás

Metrificação baseada em negócios evitados

De modo geral, o processo de metrificação da inovação no banco Santander envolve a análise de projetos capazes de gerar valor ao banco. O superintendente da aceleradora Lab 033, contudo, chama a atenção para o fato de que, quando se trabalha com inovação, há muito capital de risco envolvido.

Uma das formas que a empresa encontrou para mitigar riscos foi avaliar os projetos a partir da temática de Portfolio View,buscando ideias que podem ser tão valiosas ao ponto de bancarem aquelas que serão descartadas.

Além disso, há também uma métrica baseada na averiguação de investimentos ruins que foram evitados pelo banco. “Em dois projetos recentes que foram dispensados, calculamos quanto eles teriam custado para o banco, e chegamos a conclusão de que eles continuariam não dando certo. No Lab 033 vestimos esse papel de evitar desgastes futuros com projetos infrutíferos. Essa métrica é interessante, pois facilita a geração de valor ao banco em médio e longo prazo”, afirma o executivo.

Próximos passos da inovação no Santander

O Santander se espelha na criatividade de seu CEO Sergio Rial, propagando a inovação por todos os setores. O banco começou a criar as próprias empresas, como a insurtech de Auto Compara, lançada em fevereiro de 2021, mostrando que a corporação está seguindo as tendência do mercado financeiro através de uma forte pegada de digitalização.

Olhando para a frente, Tomás disse que a empresa quer colher os frutos das novas criações e parcerias, gerando valor para os clientes, organização e sociedade, além de se consolidar como um banco digital presente em todo o Brasil.

E não perca as novidades nas nossas redes sociais no LinkedIn, Instagram, Facebook, YouTube e Twitter.


ASSISTA A ESTA LIVE NA ÍNTEGRA ABAIXO COM O SUPERINTENDENTE DA ACELERADORA DO BANCO SANTANDER 

+INOVAÇÃO

Veja os próximos passos da inovação no Brasil
Instituição de ensino oferece formação ágil em TI
Healthtechs atingem recorde global de investimento
Conheça as 10 empresas mais valiosas de IA