Big data: Você está coletando dados da forma correta?
Vendas

Bad data: Você está coletando dados da forma correta?

Big data é um dos assuntos mais comentados nos últimos tempos. Nosso querido pai da administração, Peter Drucker, realmente estaria muito feliz se estivesse aqui ainda.. Afinal, uma de suas frases mais famosas, “o que não pode ser medido não pode ser gerenciado” parece nunca ter feito tanto sentido. Entretanto, não basta sair por aí coletando […]

POR Redação Whow! | 30/04/2021 09h37 Bad data: Você está coletando dados da forma correta?

Big data é um dos assuntos mais comentados nos últimos tempos. Nosso querido pai da administração, Peter Drucker, realmente estaria muito feliz se estivesse aqui ainda.. Afinal, uma de suas frases mais famosas, “o que não pode ser medido não pode ser gerenciado” parece nunca ter feito tanto sentido.

Entretanto, não basta sair por aí coletando dados, montando planilhas, gráficos, buscando o melhor BI (Business Inteligence) do mercado e criando meta por cima de meta: é preciso analisar e “limpar” os dados, utilizando-os ao seu favor.

Neste conteúdo, você entenderá bem o que é Big data, como surgiu, para que serve, exemplos positivos e também os principais erros que devem ser evitados quanto ao uso dados.

Prepare-se e continue a leitura!

O que é big data?

Big data é todo o conjunto de dados e informações presentes nos servidores das empresas. Eles podem ser acessados remotamente e estão sempre interligados, apesar de não-estruturados.

A partir deles, é possível realizar análises e interpretações diversas, obtendo uma enorme e variada quantidade de informações. Mas, para acessá-los, são necessárias soluções específicas, que permitem a extração de todo este conteúdo em grande velocidade.

O  conceito de big data começou a ser popularizado ainda nos anos 2000, por Doug Laney, analista que ficou muito famoso após escrever um artigo com a definição mais conhecida de do termo.

Por fim, big data está em tudo, desde um simples acesso ao Google até a escolha de um filme na Netflix. Essas informações são coletadas por empresas, que conseguem mensurar, por exemplo, no caso do Google, o volume de buscas de um determinado termo, no mesmo dia, mês ou ano, ou então avaliar se existe um padrão na escolha de um determinado filme ou série, em relação à  Netflix.

Mineração de dados

Como já mencionamos, além de coletar dados, é preciso organizá-los.

Essa organização é chamada de mineração de dados ou data mining e tem o objetivo principal de descobrir padrões, em meio a um enorme volume de dados.

Em relação ao público, é possível encontrar informações importantíssimas sobre os principais fatores que influenciam as decisões de compra, de modo a criar ações de marketing mais direcionadas.

Sabemos o que é Big data, mas para o que serve?

Tire um tempo para pensar: alguma vez a Netflix acertou em cheio numa série recomendada para você?

A principal função do Big data é entregar valor. Aqui, listamos os principais usos da análise de dados em uma empresa.

Apoio à tomada de decisão

Com a coleta e análise dos dados, as tomadas de decisão não são realizadas às escuras, o big data proporciona uma visão ampla e completa, oferecendo respostas às suas perguntas de maneira mais assertiva.

Afinal, como já mencionamos, os dados estão interligados e, ao analisá-los, é possível obter até mesmo outras respostas, para perguntas que você sequer havia feito.

Aprimorar a experiência do cliente

Será mesmo que a experiência que você oferece hoje atende às expectativas dos seus consumidores?

Pesquisas de mercado e de satisfação ajudam as marcas a entender mais profundamente o que realmente os clientes estão buscando, bem como a descobrir o porquê deles talvez não estarem mais ali, consumindo o que a sua empresa oferece.

Um exemplo bem curioso é de uma das maiores lojas de departamento dos Estados Unidos, a Target, que consegue prever quando as suas consumidoras estão grávidas antes mesmo de entrarem no segundo trimestre.

Identificação de potenciais riscos

Quais são os principais riscos que o seu negócio está exposto?

O big data é fundamental para analisar e descobrir novas soluções de gerenciamento de riscos nas organizações, pois oferece avaliações mais precisas não somente em relação aos padrões de comportamento dos consumidores, como também até fraudes.

Desenvolvimento de novos produtos

Ao analisar o perfil dos consumidores, conseguimos aferir informações variadas não somente em relação a um produto ou serviço específico e sim, sobre seu estilo de vida e preferências em geral, o que pode ser usado para o desenvolvimento de novas ideias.

Suporte à Inovação 

Inovação e big data são duas coisas que andam juntas.

A análise de dados ajuda na implementação de novas soluções tecnológicas com base nos insights gerados, o que também pode ser apoio à criação de novos produtos.

Manutenção da qualidade

Ao buscar melhorias na qualidade dos processos desenvolvidos, é imprescindível acompanhar o progresso delas.

Um exemplo é o método de pesquisa de satisfação chamado NPS- Net Promoter Score (NPS), que mede o nível de satisfação, recomendação e “lealdade” dos seus clientes, a partir dos dados obtidos.

Como utilizar os dados de maneira eficiente 

Até aqui, falamos dos principais benefícios e da importância da análise de dados. Porém, também é preciso reforçar que o big data precisa ser utilizado de uma forma eficiente.

  • Procure limpar os seus dados primários e enriquecê-los com outras fontes de dados, até mesmo de terceiros, para posteriormente gerenciá-los;
  • Entenda os seus clientes atuais e como você pode desenvolver ações de vendas cruzadas e upsell.
  • Defina públicos semelhantes, com base nos padrões e necessidades que informam os dados;
  • Defina um ROI- Retorno Sobre o Investimento baseado em dados.

Empresas que estão usando corretamente os dados: Netflix, Spotify e Amazon

Quantas vezes o Spotify te mandou playlists que você adorou?

Como já mencionamos, muitas empresas utilizam big data para antecipar e entender a demanda dos seus consumidores. Assim, eles criam modelos e os classificam, atingindo um sucesso exponencial naquilo que oferecem.

A Netflix usa as análises de grupos de foco, mídias sociais, mercados de testes e lançamentos antecipados, para testar, lançar e planejar novos produtos.

Amazon é mais uma dessas empresas que usam o big data de forma eficiente, recomendamos serviços e sugestões no seu site de compras.

Principais erros de coleta e utilização de dados 

Já comentamos aqui alguns erros cometidos na coleta e uso do big data, como usar os dados sem organização e limpeza. Entretanto, há outros que prejudicam o uso eficiente do big data. São eles:

  • Levantar dados com pouca relevância e sem um objetivo específico definido para tal análise;
  • Definir muitas metas ou deixar de defini-las;
  • Esquecer de outros fatores subjetivos que também podem influenciar na análise de dados, focando apenas em decisões com base neles;
  • Não ter uma estrutura e não organizar a equipe para o trabalho orientado a dados.

Gostou desse conteúdo? Aproveite para assinar nossa newsletter e sempre ter acesso a dicas importantes para aprimorar esse processo!