Automação e IA ajudam PMEs a reduzir custo e melhorar experiência do cliente - WHOW

Eficiência

Automação e IA ajudam PMEs a reduzir custo e melhorar experiência do cliente

Com a adoção de sistemas de inteligência artificial, pequenas e médias empresas diminuem erros operacionais e podem focar no crescimento e na entrega de valor

POR Marcelo Almeida | 21/12/2021 19h49

Todo ano após a Black Friday, aparecem notícias de grandes varejistas notificadas em órgãos de defesa ao consumidor por cancelarem compras que foram realizadas a um preço abaixo do padrão do mercado. Isso ocorre, de acordo com Florêncio Ponte Cabral Jr., CEO da Virtus Automation & AI, startup acelerada pela InovAtiva Brasil,  porque os funcionários do setor comercial das lojas precisam inserir manualmente os descontos um por um para cada um dos itens em promoção. Este processo quase analógico acaba causando erros que se tornam, posteriormente, pedidos cancelados e geram insatisfação dos consumidores.

A Virtus Automation & AI, startup que foca em inteligência artificial (IA), bots e automação, atende micro e pequenas empresas e surgiu com o propósito de democratizar a automação de processos, integrando a gestão de sistemas para que as PMEs possam focar em seus clientes e a qualidade do trabalho entregue a eles.

Veja outros esclarecimentos que o CEO da Virtus Automation deu com exclusividade para o Whow!:

1 – Por que as empresas ainda deixam a cargo dos funcionários processos que poderiam ser automatizados?

R: Porque existe grande desconhecimento de novas tecnologias, resistências por parte dos empregados/empregadores e medo de desemprego gerando um risco sistêmico. Em alguns casos, também, algumas tentativas falham, gerando ainda grandes custos para as empresas. Segundo a Gartner, 60% dos projetos de IA falharam e, até 2022, apenas 20% dos projetos gerarão resultados tangíveis. No entanto, as empresas não sobreviverão se não houver rápida adaptação a novas tecnologias e a novos modelos de negócios. Porém, o mais importante é que o passado pode não se repetir no futuro, mudando radicalmente a trajetória do negócio.  Empresas mais ágeis são as que se adaptarão melhor a rápida velocidade de transformação do mercado.

2 – Qual seria o custo de tornar esses processos mais automatizados por meio de bots e tudo mais?

Os custos são infinitamente inferiores aos ganhos que as empresas podem ter, com maior foco nos clientes, gerando assim a criação de valor, novas receitas, novos mercados ou reduzindo custos relevantes. Entretanto, ao deixarem de lado aspectos extremamente relevantes como treinamento, cultura, bem estar dos colaboradores, podem estar acelerando a entropia de ciclo de vida e com isto não conseguirem se manter relevantes em seus mercados. Este é o motivo pelo qual a média do ciclo de vida das empresas caiu de 60 anos para uma média de 16 anos.

Além disso, para os colaboradores de empresas mais automatizadas, há um fenômeno de grande transformação nas profissões. Análises financeiras, por exemplo, passam a se tornar muito mais sofisticadas e relevantes com predições que levam em consideração o passado, mas que projetam o futuro com grande precisão.  Os budgets e forecasts mais sofisticados com o uso de Deep Learning, por exemplo, são capazes de captar tendências de mercados em tempo real e mudar radicalmente a estrutura do negócio gerando ainda mais receitas, menores custos e maior resiliência a crises e novas concorrências diretas ou indiretas.

3 – Quais outros problemas em períodos promocionais e no cotidiano das empresas esse tipo de automação com bots poderia resolver?

Nos períodos promocionais, vemos grandes problemas em empresas de todos os portes: passando por erros de precificação, falta de atendimento dos clientes, níveis absurdos de reclamações em canais cada vez mais observados por novos clientes, projetos caros que falham por falta ou erro de dados e grande insegurança por parte de acionistas e investidores devido a resultados que possuem causalidade com tais períodos. Além disso, muitos colaboradores chegam a um estado de burnout  causando grandes custos com aumento de turnover ou mesmo chegando a processos trabalhistas. Porém, tais cenários poderiam ser mudados completamente com o uso adequado de automação e inteligência artificial. Conhecido, também, como automação inteligente, que tem gerado grandes resultados para nossos clientes aumentando receitas e reduzindo custos, sem contar a grande transformações nas funções dos colaboradores que passam a ser muito mais relevantes que no passado.

4 – Fique a vontade para contar casos e acrescentar outras coisas que considere interessantes.

Acredito que não apenas em épocas promocionais, mas dada a grande transformação ocorrida nos mercados, devido à disrupção promovida por startups, as empresas precisam dos seguintes fatores para se manterem relevantes:

  • Velocidade – para se adaptarem  as novas tendências ou novas realidades;
  • Tecnologia – depois da internet a automação inteligente é a maior transformação tecnológica capaz de mudar completamente os mercados, já existindo grande cases no mercado para comprovar tais transformações, por exemplo, a Tesla já é a montadora mais valiosa do mundo.
  • Interatividade – A Inteligência Artificial e automação robótica possibilitam maior interatividade com análise de comportamento de clientes e fornecedores, possibilitando melhores entregas ou entregas mais personalizadas. Interações digitais passam a ser um grande diferencial.
  • Cliente – Clientes devem estar cada vez mais no centro dos negócios. Working Backwords, projetos se iniciam com as necessidades do cliente. Organizações mais dinâmicas aprendem, constantemente, com os clientes.
  • Dados – Os dados são o grande petróleo, capaz de transformar os negócios com inferências e testes de hipóteses baseados em cálculos cada vez mais assertivos.
  • Resiliência – Empresas mais resilientes à crises, mudanças de mercado e mudanças tecnológicas

Com tais fatores, as empresas do futuro passam a ter transformação digital com maior velocidade, crescimento exponencial e a mudar completamente a sociedade, para uma sociedade 5.0, talvez muito melhor do a que a sociedade de consumo que conhecemos.