Qualidade de vida de idosos e pessoas com deficiência visual se torna melhor através de assistente de voz - WHOW
Consumo

Qualidade de vida de idosos e pessoas com deficiência visual se torna melhor através de assistente de voz

Os recursos de voz podem impactar a qualidade de vida de determinadas populações. Entenda como isso pode ser feito

POR Melissa Lulio | 17/03/2020 16h02 Qualidade de vida de idosos e pessoas com deficiência visual se torna melhor através de assistente de voz Arte Grupo Padrão (Érika Bernal)

O tempo, tão incontrolável, traz diferentes desafios para a vida do ser humano. Conforme ele passa, várias atividades do dia a dia se tornam difíceis de serem cumpridas – às vezes pela diminuição da mobilidade, às vezes pela redução da visão, entre outras questões. Essa é uma questão à qual vale dar atenção, afinal, a tendência é que o número de idosos aumente nas próximas décadas. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), haverá 2 bilhões de pessoas com mais de 60 anos até 2050. O Brasil, de acordo com informações do Ministério da Saúde, em 2016, tinha a quinta maior população idosa do mundo e, em 2030, o número de idosos ultrapassará o total de crianças entre zero e 14 anos.

Paralelamente, há também o desafio de oferecer qualidade de vida à população que lida com a deficiência visual. Também de acordo com a OMS, estima-se que a cegueira afete 39 milhões de pessoas em todo o mundo, enquanto 246 milhões sofrem de perda moderada ou severa da visão.

Mas, além dos desafios em termos de qualidade de vida, existe uma relação entre essas populações que indica uma solução, não uma dificuldade: os recursos de voz estão sendo, cada vez mais, uma alternativa amigável para ambos.

Nessa experiência, eles confirmam que a tecnologia não é uma exclusividade entre jovens e nativos digitais. Ao contrário, a tecnologia é desenvolvida pensando na usabilidade que beneficia diferentes públicos.

Assistente de voz no dia a dia dos idosos

Um exemplo desse uso acontece perto de San Diego, em uma comunidade para idosos administrada pela organização sem fins lucrativos Front Porch. De acordo com uma matéria publicada pelo MIT Technology Review, a Alexa, assistente de voz da Amazon, torna melhor a vida dos idosos que vivem por lá: eles se sentem menos sozinhos e mais informados graças a ela.

O projeto de distribuição dos produto começou em 2017 e, em 2019, o local havia decidido expandi-lo para mais de 350 idosos – em seus lares e em outras casas de repouso. “Queremos impactar positivamente a vida desses idosos”, disse Davis Park, diretor executivo do projeto, ao MIT Technology Review.

Identificação de objetos

Ao pensar em como como facilitar a vida de deficientes visuais, a Amazon adicionou um novo recurso ao Echo Show, produto que traz um alto-falante inteligente – a Alexa – e também uma tela. A novidade permite que o aparelho “enxergue” e identifique um produto, de acordo com a solicitação do consumidor.

Chamado “Show and Tell” – em tradução livre, “mostre e diga” –, o recurso foi desenvolvido por funcionários cegos da empresa. A ideia surgiu a partir da demanda de clientes que precisavam de ajuda para identificar produtos em suas despensas, como conta Sarah Caplener, senior manager da equipe Alexa for Everyone.

Confira o vídeo de apresentação do recurso.



+ INOVAÇÃO

A máquina aprende cada vez mais rápido. Mas quem a está ensinando?
As big techs Apple, Amazon e Microsoft expandem os negócios para serviços financeiros
Futuro da automação: os robôs que preenchem contratos