As visões de líderes de inovação no pós-pandemia - WHOW
Consumo

As visões de líderes de inovação no pós-pandemia

Os Chief Innovation Officers das multinacionais Audi e Sodexo, no Brasil, apontam os defaios e as estratégias para inovarem no pós-Covid-19

POR Eric Visintainer | 26/10/2020 11h49

A pandemia do novo coronavírus afetou as economias globais em diferentes níveis. No entanto, as áreas de inovação, principalmente de empresas internacionais, com atuação no Brasil, puderam se preparar com algumas semanas de antecedência no início do ano, e agora já traças as estratégias para o período posterior a esta crise sanitária.

O Whow! conversou com o s líderes de inovação, no país, tanto na Audi quanto na Sodexo, para compreender os desafios e as visões deles no futuro próximo.

Novos negócios na Sodexo Brasil

Para Rubenson Chaves, diretor de Digital e Inovação da Sodexo On-site Brasil, a presença global da companhia trouxe aprendizados valiosos com os times da China e da Europa, e aliado à agilidade, curiosidade e inovação, a equipe por aqui se manteve com o objetivo de criar a melhor experiência para os clientes, através da personalizados de serviços. “Está claro que precisamos nos reinventarmos a cada dia. E esse é um processo que demanda expertise, novos modelos de negócios, novas tecnologias, assim como coragem e liderança para transformar”, diz o executivo.

A transformação digital na multinacional francesa influiu na criação de diferentes novos negócios, como o Sodexo Delivery, que realiza a conexão entre os negócios conectados no marketplace da da empresa com as plataformas de a entrega de comida; o Deli Express, focado no público que quer um prato gourmet; e Receitas de Casa,  acontece por meio de um serviço estruturado em parceiras com marketplaces, que atuam com a modalidade de delivery aliadas ao conceito de “cozinhas fantasmas”.

A empresa, ultrapassou o segmento de alimentação e atualmente dedica-se à soluções corporativas, como foco no retorno do trabalho presencial em algumas organizações. Com isso, a Sodexo contempla serviços de limpeza ativa, reativa e desinfecção de ambientes com uso de tecnologia de luz UV-C, a preparação de ambientes para redução de contato e proximidade entre as pessoas – com o uso de totem álcool gel, tapete sanitizante, instalação de pias portáteis, dispensers automáticos, sensores de lotação de ambientes, monitoramento de temperatura. Além disso, a companhia possibilita o serviço de grab-and-go.

“A ampliação para o mercado B2C, com o Sodexo Delivery, é um dos exemplos de como acompanhamos tendências e necessidades dos nossos consumidores. Vamos utilizar nossa expertise, nossa respeitada gastronomia e a infraestrutura de cozinhas instaladas em todo o país, para preparar refeições seguras e saborosas e entregá-las diretamente para o consumidor, onde ele estiver”, conta o diretor de Digital e Inovação da Sodexo On-site Brasil.

O conceito de inovação, com foco em ouvir as necessidades dos clientes, na empresa, impulsionou o Sodexo Accelerator, projeto que selecionou sete startups para o programa internada companhia e que dá acesso à rede de executivos do Brasil e de outros países que a companhia atua para mentorias.

“Ao alavancarmos nossa cultura de inovação, geramos valor por meio de soluções que atendem às necessidades reais da vida das pessoas e negócios, e melhoram o bem-estar de todos.”

Rubenson Chaves, diretor de Digital e Inovação da Sodexo On-site Brasil

Inovação no pós-pandemia na Audi do Brasil

Já na Audi, a estratégia está centrada em novos serviços de aluguel de veículos e na expansão da energia elétrica como, segundo Simone Caggiano, head de inovação da multinacional do Brasil.

Durante a pandemia a empresa criou o Audi Luxury Signature, projeto piloto de carros de luxo por assinatura, e o Audi Care, um programa especial para consumidores que estão em risco durante os tempos difíceis de pandemia. Os dois serviços foram desenvolvidos por quatro colaboradores da Audi. 

“Firmamos uma parceria com a ACE Startups e alocamos quatro colaboradores da Audi do Brasil para, durante quatro meses, saírem de suas funções e buscarem oportunidades de inovação usando metodologias ágeis, como se fossem uma startup. O trabalho deles começou em março e se desenvolveu até julho”, conta Simone. Para ela a pandemia abriu um leque de oportunidades, principalmente na digitalização e nos serviços.

E no mundo, a marca vai lançar ao mercado 30 modelos eletrificados até 2025, como parte do seu programa de neutralização da emissão de carbono até 2050. A executiva destaca os novos veículos da companhia 100% elétricos disponíveis no País e comenta da iniciativa de aumentar a infraestrutura de recarga e promover o consumo de energia limpa.  

Assim, como a Sodexo, a Audi também focou na servicificação. “Em outras palavras, é uma mudança completa de visão de negócio em que nos tornaremos de um fabricante de automóveis incríveis para um verdadeiro provedor de mobilidade sustentável”, comenta.


Quer saber também os próximos passos da inovação na Natura, Visa, BRF, Hospital Albert Einstein, Faber-Castell Brasil. 99, EDP Brasil e Dasa? Então, confira, em breve, na edição de novembro da revista Consumidor Moderno.

+INOVAÇÃO

Os atuais desafios da inovação na Tivit
Whow! Festival 2020: 10 palestras que você não pode perder
O campo da inovação na Raízen foca no relacionamento com as startups
Veja os próximos passos da inovação no Brasil