As vantagens do mobile first para alavancar negócios - WHOW

Vendas

As vantagens do mobile first para alavancar negócios

Cerca de 130 milhões de brasileiros usam dispositivos móveis para acessar à internet, mas um em cada quatro negócios não foca nesse meio na hora de desenvolver soluções digitais

POR Daniel Patrick Martins | 28/09/2021 10h00

Uma tendência que vem ganhando força no mercado é a onda do ‘mobile first’. A expressão em inglês significa, em tradução livre, “móvel primeiro”. Ou seja, o conceito trata da prioridade à experiência digital em dispositivos móveis, como smartphones e tablets, e está relacionado ao desenvolvimento de sites, plataformas ou aplicativos para este tipo de hardware.

No Brasil, é essencial adotar esta tendência, principalmente para negócios com soluções para o consumidor final (B2C). Isto porque, segundo o IBGE, 99% dos brasileiros que acessam a internet o fazem por dispositivos móveis, enquanto apenas 42% usam computadores. Em números absolutos, cerca de 130 milhões de pessoas usam smartphones ou tablets para acessar a internet por aqui.

Para o segmento do e-commerce, dados recentes reforçam a predileção do brasileiro pelo mobile first. De acordo com uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas, 91% dos consumidores conectados realizaram alguma compra em lojas online no último ano. Desse total, 87% utilizaram o smartphone para concluir o negócio.

Por outro lado, um em cada quatro comerciantes brasileiros não está pensando primeiramente no dispositivo móvel para criar ou mesmo expandir seus negócios, segundo pesquisa da Ipsos. Ou seja, estamos falando em 25% dos negócios que simplesmente não focam no canal digital preferido do consumidor brasileiro para vender.

Neste cenário, destacam-se soluções que ajudam o empreendedor a desenvolver soluções mobile first. Podemos citar, por exemplo, modelos de negócio como “fábricas” de aplicativos, plataformas white label, desenvolvimento low-code e sites responsivos, que se adaptam a qualquer tamanho de tela ou tipo de dispositivo. Ou seja, nem sempre é necessário gastar com um desenvolvedor próprio para criar uma estratégia focada em dispositivos móveis. Vale a pena pesquisar pela solução que melhor se encaixe no empreendimento em questão.

É possível afirmar, também, que focar em dispositivos móveis é investir no futuro, já que as crianças começam a usar o smartphone antes de aprenderem a mexer no computador. Além disso, as populações menos privilegiadas também acessam mais o celular do que qualquer outro dispositivo, e representarão uma parte relevante do público consumidor digital conforme a tecnologia é democratizada.