Após aporte bilionário, C6 Bank se torna 13º unicórnio brasileiro - WHOW

Eficiência

Após aporte bilionário, C6 Bank se torna 13º unicórnio brasileiro

Através do novo investimento, a fintech pretende investir no desenvolvimento da plataforma de investimentos e avançar em novos negócios

POR Carolina Cozer | 07/12/2020 17h20 Imagem: RetkiKosmos Imagem: RetkiKosmos

Quem pensa que a pandemia desacelerou a corrida de unicórnios no Brasil está enganado. Depois da chegada da Vtex na lista, em setembro de 2020, chegou a vez da fintech C6 Bank entrar para o quadro, após um aporte de R$ 1,3 bilhão.

O anúncio da atualização ocorreu na última quarta-feira (2). Agora, a empresa está avaliada em R$ 11,3 bilhões, e se tornou a décima terceira startup bilionária no ecossistema de inovação brasileiro

A rodada de investimento envolveu mais de 40 investidores privados, liderados pelo banco suíço Credit Suisse. “Notamos um enorme interesse dos investidores nesta rodada de captação, e confiamos no potencial de crescimento do C6 Bank”, diz José Olympio Pereira, presidente do Credit Suisse no Brasil, em nota oficial à imprensa, que informa que o banco possui cerca de R$ 5,3 bilhões em ativos totais. 

“O C6 Bank mostrou competência não apenas para atrair clientes e desenvolver negócios, mas também para gerar receitas e montar carteiras de ativos”, afirma Ilan Goldfajn, presidente do Conselho do Credit Suisse no Brasil.

Segundo informações oficiais, o volume de transações mensais na plataforma de pagamentos do C6 Bank chega a R$ 1,5 bilhão.

C6 planeja focar em novas linhas de negócio

Operando no Brasil há menos de dois anos, a fintech já goza de mais de 4 milhões de contas abertas e abrangência em quase 100% do território nacional. Com uma sede nas Ilhas Cayman, a empresa oferta uma carteira de produtos internacionais, como uma conta internacional de débito ou crédito para moedas estrangeiras.

Cerca de 1.400 colaboradores, 325 consultores 12 mil correspondentes bancários constituem o corpo de trabalho do C6 Bank e, segundo Marcelo Kalim, CEO da empresa, o plano é investir no crescimento da startup ― além de possíveis novas verticais.

“Este aumento de capital nos permite acelerar o crescimento do banco. Continuaremos investindo para aumentar a base de clientes, completar o desenvolvimento da plataforma de investimentos e avançar em novas linhas de negócio”, diz Kalim em nota à imprensa.


+FINTECH

Afinal, qual a importância do Pix para a inovação financeira?
As novas oportunidades de negócio com o Pix
Como o coronavírus está impactando os investimentos em fintechs
O que é uma FaaS? Conheça exemplos de sucesso do modelo fintech as a service