Aplicativos de mobilidade se diversificam e atraem investidores - WHOW

Eficiência

Aplicativos de mobilidade se diversificam e atraem investidores

Empreendedores estão transformando a mobilidade por meio de soluções digitais que vão além do que já é feito por gigantes do setor, como Uber ou 99

POR Marcelo Almeida | 29/11/2021 18h51

Com a revolução no transporte e na mobilidade de forma geral provocada por aplicativos como Uber e 99, outras empresas passaram a notar o potencial que o setor possui quando explorado de formas mais dinâmicas e inovadoras.

Buscando oferecer soluções que melhoram a mobilidade, mas que diferem no foco para não terem que competir com as gigantes do setor, essas empresas desenvolvem serviços tanto para o mercado B2C quanto para o B2B

São os casos da Buson, empresa de tecnologia que oferece passagens rodoviárias no Brasil; da Joycar, mobitech que permite otimizar o uso do carro dedicado dentro das empresas por meio da cultura do carro compartilhado; e da Quicko, que em um mesmo app reúne tudo o que as pessoas precisam para se deslocar com mais conveniência pela cidade sem usar carros. 

De acordo com Rodrigo von Uslar Petroni, CEO e cofundador da UPM2, startup paulista que desenvolve soluções para mobilidade urbana, São Paulo e outras metrópoles ainda têm grandes problemas de mobilidade, mas os apps podem ajudar nesse quesito.

“Problemas complexos de mobilidade urbana exigem soluções complexas, e é por isso que a aplicação de recursos tecnológicos pode ser uma saída para melhorar a jornada do passageiro. Há ainda muito caminho a percorrer, mas nesse caminho há uma solução literalmente na palma da mão que pode auxiliar milhões de brasileiros que buscam um transporte de qualidade no seu dia a dia”, diz Petroni, referindo-se à disseminação  cada vez maior dos smartphones.

Quicko

A Quicko tem benefícios como informar em tempo real a previsão de chegada das linhas de ônibus e sugerir as rotas mais rápidas e baratas para os usuários do transporte público.

Também permite a recarga de bilhetes e cartões de transporte em algumas cidades brasileiras – inclusive com integração entre modais e com possibilidade de pagamentos via Pix. Além disso, os usuários podem compartilhar alertas como lotação e atraso, avaliar o motorista de ônibus e as condições do veículo e compartilhar a sua rota com parentes ou amigos, tornando a jornada mais segura.

Com uma plataforma completa em soluções de mobilidade que visa não somente facilitar, mas tornar a jornada dos passageiros cada vez mais inteligente no transporte, a Quicko disponibiliza o app gratuitamente para Android e iOS em São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Salvador, Fortaleza, Natal, Porto Alegre, Campinas e Curitiba.

“Nosso propósito, desde que criamos a Quicko, é o de ajudar as pessoas que dependem do transporte público para seu dia a dia, tornando a experiência da mobilidade mais fácil e confortável“, diz Pedro Somma, CEO da companhia. “Acreditamos que a mobilidade deve ser pensada para que as pessoas possam ir e vir da forma mais fácil possível, independente de quem seja ou de onde more. O transporte público deve ser a prioridade das cidades, por isso facilitar o uso de ônibus, metrôs, bicicletas e mesmo caminhadas é essencial.”

A empresa recebeu no início do ano uma rodada Series B de R$ 100 milhões e foca na criação de novos recursos de inteligência e tecnologia.

Joycar

Já a Joycar foca na gestão de frotas compartilhadas de veículos dentro das empresas. Além de cortar custos, a empresa diz que colabora diretamente com a agenda ESG, tema cada vez mais relevante.

Com a solução, em vez de comprar ou alugar um veículo para cada pessoa, o colaborador passa a ter acesso a uma plataforma com todos os carros da empresa.

“A Joycar cria um sistema de locadora digital dentro de cada empresa. Os colaboradores podem reservar e utilizar um carro por meio  de uma experiência totalmente digital e autônoma. Além disso, os gestores da frota acompanham tudo em tempo real”, afirma Rafael Taube, CEO da startup.

Por meio do app, é possível saber quem usou cada carro, quando, por quanto tempo, onde circulou, com qual velocidade e quanto consumiu de combustível.

“A implementação da plataforma gera uma melhora significativa no comportamento atrás do volante. Como o colaborador sabe que outro colega vai usar o carro em seguida, o cuidado com o veículo é maior”, diz Taube.

Com o uso do app, empresas chegam a reduzir a frota pela metade. “Fechamos um contrato com uma empresa que tinha 400 carros dedicados. A empresa devolveu 200 veículos para a locadora e ajudamos a criar uma frota compartilhada com a outra metade. Hoje, são mais de 1.500 colaboradores usando esses carros e mais de R$ 7 milhões serão economizados anualmente”, diz o CEO da companhia.

Em 2020, a startup captou uma rodada de R$ 2,3 milhões pela plataforma Eqseed e dobrou o seu faturamento. Hoje, a empresa é líder no mercado de carsharing corporativo e opera em 16 Estados do Brasil.

Buson

No caso a Buson, Thiago Carvalho, CEO da empresa, diz que a ideia da startup surgiu no momento em que um amigo precisava ir de uma cidade para outra.

“Ele estava na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro (RJ) e precisava ir até São José dos Campos (SP) e gastou duas horas até a rodoviária no centro do Rio de Janeiro (RJ) apenas para reservar a passagem”, diz Carvalho.

Dentre as inovações apresentadas pela mobitech, fundada em São José Dos Campos (SP), está a facilidade na pesquisa e compra de passagem, possibilidade de adquirir mais de uma passagem de ida e volta de uma vez, atendimento via Whatsapp, remarcação de viagens e recebimento de reembolso, além de descontos exclusivos na plataforma e taxa grátis na primeira compra pelo aplicativo.

“Usamos o que temos de mais avançado e prático no mercado para realizar uma conexão entre as empresas de ônibus parceiras e os clientes”, diz Carvalho.

Atualmente, a Buson conta com mais de 250 empresas parceiras e oferece mais de 70 mil por todo o Brasil. Além do site, vendas também são realizadas pelo aplicativo, que está disponível para os sistemas android e IOS.