Amazon, Google, Facebook e Apple no Congresso norte-americano - WHOW

Tecnologia

Amazon, Google, Facebook e Apple no Congresso norte-americano

E Donald Trump, se manifestou no Twitter: “Se o Congresso não fizer justiça com as Big Tech, o que deveria ter feito anos atrás, eu mesmo farei com decretos executivos.”

POR Adriana Fonseca | 31/07/2020 12h42 Imagem Mark Zuckerberg (divulgação C-SPAN 3) Imagem Mark Zuckerberg (divulgação C-SPAN 3)

Em uma sessão realizada, durante cinco horas, por videconferência, por conta do novo coronavírus, os quatro conglomerados de tecnologia conhecidas como Big Techs – Amazon, Apple, Facebooke Google – enfrentaram críticas em uma audiência do Congresso norte-americano, na última terça-feira (29). Com perguntas em sua maioria em tom hostil, os congressistas citaram evidências de que as companhias abusam de sua posição de mercado. As críticas passaram por aquisições de outros negócios – criticadas pelo comitê antitruste – e concorrência desleal, entre outro temas.

Facebook Imagem Sundar Pichai (divulgação C-SPAN 3)

Google

O Google, parte da holding Alphabet Inc., por exemplo, ouviu sobre tirar vantagem de sua ferramenta de buscas, enquanto a Amazon recebeu críticas por trapacear os vendedores independentes em seu marketplace, já que seus funcionários, supostamente, usaram dados desses vendedores para lançar produtos concorrentes. Sundar Pichai, CEO do Google, precisou se defender sobre o envolvimento da empresa com os chineses. Segundo ele, a companhia não trabalha com os militares daquele país.

Facebook Imagem Jeff Bezos (divulgação C-SPAN 3)

Amazon

Os CEOs das multinacionais refutaram as acusações, dizendo que se concentram em servir seus consumidores e inovar. Falaram, inclusive, do papel das quatro empresas em impulsionar a concorrência. Em seu depoimento, no entanto, Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, disse não poder garantir que, a política interna da companhia, que proíbe acesso a dados de vendedores externos, nunca tenha sido violada. Ele enfatizou, ainda, que a sua empresa quer que seus vendedores terceirizados tenham sucesso. 

Bezzos também foi obrigado a ouvir histórias de donos de pequenas empresas que dizem ter sido esmagados sem cerimônia pela plataforma de vendas da Amazon.

Um dos congressistas narrou a história de um vendedor que ganhava a vida na plataforma da Amazon até que a big tech começou a vender uma versão copiada de seu principal produto a um custo menor. A história ecoou uma queixa comum entre os vendedores: que o mercado da Amazon é grande demais para ser ignorado e até seus concorrentes precisam operar dentro de seu ambiente.

Facebook Imagem Tim Cook (divulgação C-SPAN 3)

Facebook e Apple 

Tim Cook, CEO da Apple, teve que defender a App Store, criticada por taxas excessivas cobradas dos desenvolvedores de aplicativos.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, foi questionado diretamente sobre a estratégia de sua empresa de copiar aplicativos e recursos de concorrentes – e até ameaçar fazer isso como uma tática de negociação em meio a discussões de fusões e aquisições.

Em sua resposta, Zuckerberg foi forçado a admitir que o Facebook “certamente adaptou recursos que outros lideraram”. No entanto, ele negou que o Facebook use essas táticas de maneira anticompetitiva, por exemplo, para pressionar uma empresa a vender para o próprio Facebook em vez de tentar competir com ele.

Questionado se o Facebook já havia ameaçado clonar um produto de outra empresa enquanto tentava adquiri-lo, Zuckerberg respondeu: “Não que eu me lembre.”

Algo nessa linha teria acontecido com o Instagram, que foi comprado pelo Facebook em 2012. O fundador do Instagram já confidenciou a um investidor que considerava os comentários de Zuckerberg uma ameaça e que estava preocupado com o fato de o Facebook entrar no “modo de destruição” se ele não vendesse o Instagram. Zuckerberg não negou a conversa, mas discordou da caracterização, dizendo que estava claro que esse era um espaço no qual as duas empresas competiriam.

As quatro empresas, juntas, são avaliadas em US$ 4,7 trilhões, e foi a primeira vez que se apresentaram diante do Congresso dos Estados Unidos juntas. O presidente americano, Donald Trump, se manifestou sobre o tema no Twitter: “Se o Congresso não fizer justiça com as Big Tech, o que deveria ter feito anos atrás, eu mesmo farei com decretos executivos.”

Acompanhe a sessão na íntegra


+TECNOLOGIAS

Exclusivo: presidentes da Microsoft e SAP no Brasil discutem ética dos dados e computação quântica
Conheça os maiores IPOs de todos os tempos
Saiba quais são as tecnologias essenciais para o período pós-pandemia
As tecnologias que devem deslanchar, segundo MIT e Accenture