Afinal, o que é o organograma de uma empresa? - WHOW

Eficiência

Afinal, o que é o organograma de uma empresa?

Uma das principais funções de um organograma no mercado de trabalho é organizar e coordenar tarefas e setores dentro de uma empresa

POR Redação Whow! | 08/07/2021 15h10

Quando você pensa em “organograma de uma empresa”, qual é a primeira coisa que vem na sua mente? Organização? Estrutura? Cargos? É verdade que tudo isso pode ser considerado como organograma, mas poucos profissionais sabem a verdadeira importância desse conceito para o mundo dos negócios.

Afinal, uma das principais funções de um organograma no mercado de trabalho é organizar e coordenar tarefas e setores dentro de uma empresa. Toda empresa possui algum tipo de hierarquia entre os funcionários e, por isso, precisa de organização.

O organograma é a base de uma empresa e um formato fundamental para representar o que é cada cargo e quais são as suas funções.  Até porque todo mundo rende mais se trabalhar em um local organizado, não é mesmo? Por isso, se você quer saber como aplicar esse conceito na sua empresa, confira esse texto exclusivo que preparamos para você. Boa leitura!

O que é o organograma de uma empresa?

Primeiramente, precisamos deixar claro que estrutura organizacional significa a mesma coisa que organograma. Então, se você encontrar esse termo em algum lugar, ou ao longo do texto, saiba que é a mesma coisa.

Basicamente, o organograma de uma empresa é a forma como ela organiza seus departamentos, áreas, cargos, grupos e hierarquias. Vale ressaltar que as empresas que procuram diminuir o grau hierárquico entre os funcionários também devem representar essa decisão no organograma.

Assim, a organização é feita para garantir e possibilitar que os colaboradores de uma empresa possam realizar suas funções da melhor maneira possível. Dessa forma, o organograma funciona como a base de uma empresa. Isso porque, ao realizar esse tipo de estruturação, todos podem ficar cientes dos papéis de cada departamento e como eles ajudam a empresa a funcionar.

A partir do momento em que os funcionários compreendem a estrutura organizacional do seu trabalho, fica mais fácil desempenhar suas funções e trabalhar em equipe.

Para que serve o organograma de uma empresa?

Para implementar esse conceito, é muito importante saber os benefícios de tê-lo na sua empresa, certo? Por isso, separamos uma lista para você, confira!

Apresentar a estrutura da empresa para os funcionários

Seja qual for o tamanho da sua empresa, é muito importante que os funcionários conheçam a estrutura de onde trabalham. Assim, os colaboradores compreendem quais suas funções e quais são os limites dela. Isso pode auxiliar funcionários que desejam obter cargos maiores, pois com a visão ampla do negócio ele tem consciência das metas e etapas que precisa alcançar para chegar a posições superiores dentro da empresa.

Aumenta a produtividade dos colaboradores

Ao esclarecer bem quais são as funções e tarefas de cada funcionário, o organograma de uma empresa pode servir para aumentar a produtividade. Isso ocorre porque, em uma empresa com uma estrutura definida, o funcionário sabe exatamente suas funções e metas diárias. Então ambas as partes (empregador e empregado) sabem o que cobrar e o quanto podem render. 

Otimização do processo de onboarding

Quando um novo profissional é contratado, é comum realizar o onboarding, ou seja, apresentar a empresa para ele. Nesse processo, o gestor vai mostrar, por exemplo, quais são as metas que a organização deseja alcançar, ou quais as missões e desafios.

Se a organização já tiver uma estrutura organizacional bem formada, esse processo pode ser muito mais fácil e eficaz. Afinal, com um onboarding claro, o funcionário leva um tempo menor para se adaptar à rotina do negócio. Assim, todas as funções ficam transparentes e cada um sabe suas responsabilidades, assim como a dos colegas.

Analisar o que não está funcionando

Um bom organograma permite que a empresa identifique o que está ou não funcionando no seu fluxo de trabalho. Esse tipo de conhecimento é fundamental para qualquer negócio que deseja conquistar melhores resultados.

Conheça os 5 tipos de organograma de uma empresa

Organograma vertical

O modelo de organograma empresarial mais conhecido é o vertical. Ele é utilizado nas empresas que possuem uma hierarquia bem definida. Nesse sentido, diretoria e presidência estão no nível mais alto, enquanto os funcionários estão abaixo.

Nesse tipo de estrutura organizacional, a linha hierárquica é mais rígida. Assim, quanto mais responsabilidade e autonomia é exigida de cada funcionário, mais alta deve ser a sua posição na empresa. Por exemplo, se a sua empresa for utilizar esse tipo de organograma, no posto mais alto está o presidente ou dono da empresa, depois a diretoria, os gerentes e então os demais funcionários.

Organograma circular ou radial

Nesse modelo, a estrutura da hierarquia é mais suave, colocando os funcionários lado a lado na importância. Assim, o circular ou radial começa com a gerência e diretoria no centro, e espalhando em volta os outros cargos.

Dessa forma, ele não tem a intenção de nivelar os funcionários, mas sim, sugerir a ideia de colaboração entre eles, com a participação de várias áreas num mesmo projeto, por exemplo. É um tipo de organização mais utilizada em empresas modernas.

Organograma funcional

Esse modelo é considerado o mais racional entre os tipos de organogramas. Isso porque ele apresenta muitas semelhanças com o vertical, mas, ao invés de mostrar as relações de trabalho numa hierarquia rígida, ele traz as relações funcionais dentro da empresa.

Portanto, no organograma funcional, as funções estão relacionadas às atividades que os funcionários exercem, como por exemplo: consultoria, contabilidade, vendas, etc. 

Já no organograma vertical, os quadros indicam denominações mais voltadas para os cargos ocupados, como por exemplo: assessor, diretor, gerente, etc. O modelo funcional é mais utilizado nas empresas que tendem a diminuir a ideia de hierarquia. Demonstrando que é mais importante a função do funcionário do que o cargo que ocupa.

Organograma matricial

Neste modelo, o foco está em grupos de trabalhos, que podem ser temporários. Ou seja, também segue estrutura parecida com o modelo vertical, mas não tem a mesma rigidez. Dessa forma, apresenta maior flexibilidade, ideal para negócios que tenham estrutura dinâmica, e que trabalhem com uma organização de pessoas diferente a cada projeto, como uma empresa de engenharia, por exemplo. 

Organograma linear de responsabilidade

Já no modelo linear, a representação dos cargos está na execução de suas funções. Ou seja, é uma estrutura mais complexa, visto que existem diversas rotinas dentro de uma organização.

Mas, uma vez montado, o organograma linear de responsabilidade permite que a estrutura da empresa seja melhor analisada. Dessa forma, é ideal para empresas com estrutura mais formal e rígida, nas quais cada profissional tem uma função muito bem definida.

Portanto, é essencial que cada empresa encontre o modelo de organograma ideal para suas necessidades. Dessa forma, ela consegue garantir maior claridade e estruturação dos cargos que tem. Se você quer saber de mais conceitos voltados ao mundo empresarial, assine agora mesmo a nossa newsletter e receba conteúdos gratuitos diariamente.