WHOW

Afinal, o que é Clipping?

clipping 1 scaled 1

Você já parou para pensar na quantidade de notícias que circulam na internet e também nos outros meios de comunicação, todos os dias? Em meio a tanta informação, como uma marca ou pessoa pública pode acompanhar tudo isso? Por que é importante realizar este monitoramento? A estratégia de clipping pode ser a resposta para essas perguntas.

Neste conteúdo, entenda o que é e como funciona o clipping, a importância deste processo e como ele pode ser uma vantagem competitiva para quem aplica. 

Saiba o que é Clipping

Alguém pode estar, neste momento, falando da sua marca, positiva ou negativamente. E, além disso, a opinião dessa pessoa pode estar sendo vista por tantas outras e, o pior: sem uma estratégia de clipping, você talvez nunca saiba o que tanto falam da sua empresa. 

Clipping é uma palavra da língua inglesa e que significa recorte.

É o nome dado ao processo de acompanhamento e documentação de todas as menções feitas a uma empresa ou, até mesmo, a uma pessoa física.  No Brasil, chamamos ação também de clipagem; já nos outros países, o processo ganha o nome de “news monitoring” (monitoramento de notícia) ou “media monitoring” (monitoramento de mídia).

O recorte era feito manualmente antigamente em artigos impressos que eram produzidos: como jornais, folders e revistas,  e além disso todo o material era organizado em pastas físicas.

Em resumo, analisamos todo conteúdo produzido acerca do que se está monitorando, seja pago ou de domínio público.

Dessa forma, devemos analisar  jornais, as notícias de TV, portais, sites, rádios, redes sociais, plataformas de streaming, revistas on-line, podcasts, blogs ou qualquer outro meio de comunicação estejam citando o nosso negócio. Atualmente, pode-se citar dois tipos de clipping: o interno e o externo.

Como o Clipping funciona 

1- Definição dos objetivos e ferramentas

Por que e que tipos de conteúdos você deseja verificar?

Defina o objetivo do processo.  Isso facilitará na hora de escolher os termos a serem buscados, bem como as melhores ferramentas de busca de menções, principalmente no meio digital. 

2- Busca assertivas das palavras-chave

Defina quais são as palavras-chaves relevantes para o seu segmento ou negócio para que a sua busca seja efetiva. Tal atitude ajudará a buscar não somente informações sobre uma única marca ou pessoa, como também dos concorrentes. 

3- Monitoramento dos veículos on-line e off-line

Hoje, a maioria dos meios de comunicação também possui uma versão on-line, o que facilita na hora de acompanhar o mundo off-line. 

Assim, uma mesma notícia que foi “contada” na rádio ou impressa em um jornal também poderá ser encontrada no site ou portal do mesmo veículo de comunicação. 

5 – Análise do material mapeado

Agrupe as informações, conforme a relevância de cada uma delas para a marca ou pessoa pública.

Em suma, as menções são classificadas em positivas, negativas e neutras. Este último, diz respeito aos conteúdos em que a marca foi apenas citada de maneira imparcial.

Essa classificação pode ser feita de várias formas. As mais comuns são:

  • Centimetragem, que diz respeito ao valor de tabela do espaço publicitário em que a menção foi feita, ou seja, quanto a marca pagaria se desejasse anunciar neste meio;
  • Pontuação, que ocorre quando são atribuídas pontuações para cada meio de comunicação que a marca apareceu, considerando a relevância para o público;
  • De modo subjetivo e específico, partindo da análise de cada menção. Essa última forma é mais indicada para empresas com poucas, porém importantes menções.

A importância de um bom Clipping

Por que é importante saber o que falam da minha marca?

O clipping ajuda a mensurar o quão relevantes estão sendo as suas estratégias de comunicação e marketing.  Considere uma campanha publicitária para o Dia das Mães, que tem o objetivo de viralizar positivamente nas redes sociais e mídias offline, por exemplo.  Assim, verificamos se a campanha alcançou seus objetivos.

As métricas das redes sociais e dos sites mostram números relevantes à estratégia. Contudo, o clipping trata-se de algo mais abrangente e mais subjetivo. 

Assim, considerando o mesmo exemplo da campanha publicitária do Dia das Mães, o que seria mais interessante: saber que a ação obteve 100 comentários no Instagram ou saber que tal campanha obteve 80 comentários positivos, 10 negativos e 10 neutros e, ainda por cima, foi citada em vários portais de notícias? A segunda opção traz muito mais possibilidades de gerar insights para o empreendedor. 

Além disso, com o clipping também é possível descobrir:

  • Quais são os temas mais relevantes para o público, em relação a uma marca;
  • Quais deles devem ser evitados;
  • Como está a reputação da sua empresa e dos seus concorrentes perante o público.

Clipping x Vantagem competitiva

Lembre-se de que todas as informações que você consegue coletar do seu público são valiosas para as suas estratégias, sejam elas de vendas ou marketing. Como resultado, temos isso como uma vantagem competitiva frente à sua concorrência.

Afinal, o clipping, como já mencionamos, também possibilita que você conheça mais a sua concorrência e o que também estão falando dela. 

Vale ressaltar também que é preciso que sua marca seja fiel aos seus valores: uma coisa é inspirar-se no mercado e, outra bem diferente, é mudar completamente o seu posicionamento. 

Ouça o seu público

Ouvir o que seu público tem a dizer sobre sua marca vai muito além da contratação de um serviço de clipping. 

Nesse contexto, estar atento a qualquer feedback informal, como por exemplo “este pedido está demorando muito”, é essencial. Afinal, o que seus clientes falam deve servir como termômetro  para o aprimoramento de seus processos e estratégias.

Gostou deste artigo sobre clipping? Se sim, assine agora mesmo, sem pagar nada, a newsletter do Whow e receba todos os dias, conteúdos interessantes sobre gestão, mercado, empreendedorismo e tecnologia!

Sair da versão mobile