Acesso a Capital: como buscar investimentos para uma startup - WHOW

Eficiência

Acesso a Capital: como buscar investimentos para uma startup

Ao contrário do que muitos pensam, o melhor momento para buscar investimentos é quando a startup não precisa de recursos

POR Redação Whow! | 09/06/2021 14h43

Consolidar uma startup no mercado não é tarefa fácil. Muitos empresários falham antes mesmo de concretizar o sonho de ter a própria empresa.

Afinal, a maioria desses negócios precisam de investimentos para iniciar suas operações. Por isso, é preciso ficar atento qual é o melhor momento para buscar esse capital externo e como deve ser realizada a abordagem de captação.

Até porque, os donos das Startups precisam convencer os possíveis investidores que apostar naquela ideia pode ser algo rentável no futuro. Por isso, fizemos esse conteúdo para facilitar a vida daqueles que desejam saber como buscar investimentos para uma startup. Boa leitura!

O melhor momento para buscar investimentos

Primeiramente, o empreendedor de uma startup precisa entender se realmente deseja captar investimentos externos ou não. Este é o momento de decidir se o negócio irá funcionar apenas com o capital dos sócios e com a renda gerada pela venda dos produtos, ou se irá contar com  capital de terceiros.

Este é um momento crucial para o seu negócio pois implica em uma troca.  Caso você levante capital cedo demais você pode perder o controle acionário da sua empresa cedo demais e, caso você demore muito para levantar capital você pode acabar sem dinheiro para tocar a sua empresa, e consequentemente corre o risco de quebrar a sua empresa.

Vamos dar alguns exemplos aqui: 

Exemplo 1: Um empreendedor decide levantar R$ 1 milhão de reais em sua primeira rodada e para tal decide negociar uma venda de 30% de participação de sua empresa.  Caso este empreendedor tenha feito um planejamento errado da necessidade de capital e necessite levantar mais capital logo (e seja bem sucedido) e suas receitas não aumentem de forma exponencial, valorizando drasticamente o valor da empresa,  ele será extremamente diluído (venderá um percentual alto da empresa) nas rodadas subsequentes e em breve perderá o controle de sua empresa.   

Exemplo 2: Apesar de ter um negócio extremamente atrativo, um produto extraordinário, inovador e disruptivo, em um mercado com crescimento extremamente alto, um empreendedor decide não levantar capital no início de sua operação, pois tem uma reserva de capital de R$ 400 mil reais que durará pelo menos 8 meses, até que seu produto esteja pronto, em testes e já com alguns clientes.  Este empreendedor quer valorizar sua empresa antes de levantar capital com fundos de investimentos e, consequentemente, vender um percentual menor de sua empresa.  Depois de 5 meses de operação inicia-se a maior Pandemia nos 100 últimos anos e o mercado de Venture Capital fica congelado por 5 meses.  Ou seja, seu dinheiro acaba, e este empreendedor encontra-se em uma situação na qual tem que congelar sua empresa, para não quebrar. 

Captação de investimentos

Bom, a partir do momento que os gestores da empresa decidirem pelo caminho de captação de investimentos, o caminho natural, muito provavelmente, é ir atrás de  investidores. A tendência é que este panorama só se encerre quando da captação de investimentos, ou quando a startup for comprada por um player maior, ou este player se torne sua própria investidora.

Pois bem, a partir do momento que os sócios definirem que a empresa irá operar com investimentos externos, é preciso compreender qual é o melhor momento para ir atrás desse capital. Por incrível que pareça, o melhor momento seria aquele no qual o seu negócio não está necessitando de dinheiro.

Mesmo que possa parecer contraditório, o fato da sua empresa não estar precisando de  capital externo  para sobreviver permite que você consiga negociar melhores condições para o seu negócio.

Assim, é possível conseguir mais investimentos para a sua startup, e menores percentuais de sociedade para os investidores (menor diluição). Ou seja, você pode ser menos flexível com as exigências que fizerem a respeito do seu negócio. Dessa forma, a startup deve ser capaz de prever o possível cenário do fluxo de caixa. Pois assim, consegue melhores condições para negociar com os investidores. 

Até porque, antes de colocar dinheiro na sua empresa,  os investidores podem notar  a evolução do seu negócio, tanto em resultado quanto em base de clientes. Assim, fica sempre claro que as startups passam por muitos momentos na sua existência. E são nas melhores situações que você deve buscar investimentos de terceiros.

Primeiro conheça a maturidade da sua startup

No seu desenvolvimento, as startups acabam passando por quatro fases. Apesar de receberem nomes distintos, dependendo da fonte, aqui iremos seguir o conceito criado em 2015, pelos pesquisadores Cukier, Kon e Krueger. Para os autores, as etapas são: criação, evolução, maturação e autossustentação. Essas categorias definem o grau de maturidade da sua startup.

Criação ou Ideação

Aqui é o momento em que os  empreendedores ainda estão colocando a ideia em prática. Ou seja, precisam compreender quem são seus clientes e como o seu produto ou serviço pode ajudá-los. No entanto, é provável que esses conceitos se alterem ao longo do percurso da empresa, mas ainda assim, é importante ter um foco estruturado logo no início do seu negócio Até porque, assim os empreendedores terão um planejamento do que almejam conseguir, e em quanto tempo.

Evolução ou Operação

A partir do momento que a startup começa a comercializar e a gerar receita,, ela se encontra no estágio de Evolução. Aqui, os empreendedores começam a ir atrás de possíveis clientes. Nesse sentido, demonstram como a sua empresa pode beneficiar o consumidor. Esse é o momento de preparar a apresentação para possíveis investidores.

Vale destacar, que para os empreendedores que querem ingressar de vez nesse campo, podem se inscrever em programas de aceleração. Assim, a empresa pode ter mais contato com outros empreendedores e os gestores recebem mentorias, de empreendedores e executivos com vasta experiência no mercado, a respeito de empreendedorismo;

Maturação ou Tração

Focada no crescimento da empresa, mas sem perder o foco inicial. Portanto, é preciso dar uma atenção especial ao modelo de negócios. Até porque, é neste momento que os primeiros clientes começam a exigir foco na entrega, no atendimento, nos processos de implementação dos produtos e serviços vendidos e no pós-venda, o que irá permitir que a startup tenha um crescimento mais organizado.

Autossustentação ou Scale-Up

Este estágio exige que a startup tenha um crescimento de 20% no número de colaboradores ou na receita durante 3 anos consecutivos. Além disso, também é necessário ter, no mínimo, 10 funcionários. Outro ponto necessário, é que a empresa tenha um processo de implementação claro, um modelo sustentável e resultados rápidos. Esse é o auge do desenvolvimento. A partir daí, a startup pode ser vendida, se tornar uma empresa de capital aberto ou até se tornar um unicórnio.

Principais tipos de investimento x A fase da sua startup

Investimentos anjo: para empresas que estão iniciando

Este tipo de investimento, retrata aqueles responsáveis por custear o começo de empresas iniciantes. No entanto, vale destacar que os investidores anjos não fornecem somente a parte financeira, mas também apoio intelectual. Dessa forma, o investidor se torna um sócio minoritário da empresa, mas sem assumir uma posição executiva. Ou seja, é um conselheiro que orienta os sócios e pode participar de decisões estratégicas.

Fundos de VC: para empresas que estão no primeiro round 

O Venture Capital é uma forma de investimento que apoia empresas, que possuem grandes chances de crescimento rápido. A injeção de capital pode acontecer de várias formas. Seja adquirindo ações, como também nos direitos de participação. Porém, vale ressaltar que este tipo de investimento torna o investidor um dos donos da empresa. Portanto, irá compartilhar a gestão com os criadores da startup.

Fundos das séries a e b: para empresas no segundo round

Series A: é o tipo de investimento utilizado para melhorar a base de clientes e gerar novas ofertas de produtos e serviços. Em outras palavras, tem como foco apresentar o produto em diferentes mercados.

Series B: já nesse momento, os investidores estão interessados em expandir o alcance da startup. Seja através de novas contratações ou no aprimoramento de processos.

Assim, apesar de buscar investimentos para uma startup não seja tarefa fácil, existem algumas ferramentas que podem ajudar. É só pesquisar qual se encaixa melhor para o seu modelo e momento do negócio, e, a partir deste momento procurar as melhores opções existentes no mercado para a sua empresa.

Se você gostou desse texto, assine a nossa newsletter e receba novos conteúdos gratuitos todos os dias.