A evolução do ecossistema de startups na América Latina - WHOW
Eficiência

A evolução do ecossistema de startups na América Latina

Head na relação com empresas da nova economia do Google for Startups fala do estágio que o Brasil e toda a região se encontram

POR Eric Visintainer | 05/10/2020 15h00 A evolução do ecossistema de startups na América Latina Arte Grupo Padrão (@flaviopavan_76)

Recorde em investimentos, novos unicórnios, programa de aceleração, a proximidade das universidades e grandes empresas, além da criação de novos negócios após a venda de empresas, todos estes fatores criaram a maturidade do atual ecossistema de  startups na América Latina

Para isso conversamos com o André Barrence, head do Google for Startups para a América Latina, para explorar com profundidade este tema em uma nova The Whow! Lives. Há cinco anos na empresa, ele já comandou o Campus em São Paulo e as iniciativas com startups no país. Além disso, André está no cenário de inovação há 15 anos, com passagens pelo setor público, e hoje é também investidor em diferentes empresas brasileiras da nova economia.

Os pilares na evolução das startups na América Latina

“Estamos vivendo o melhor momento que eu já testemunhei do ecossistema de startups. Nunca antes tivemos todos os principais ingredientes”

André Barrence, head do Google for Startups para a América Latina

Dentre os pontos centrais, André destaca o número crescente de pessoas empreendedor, acesso à capital investidor, linhas de financiamento, venture debtcrowwfounbdading. Além disso, ele comenta que o mercado está mais preparado para consumir tecnologia e produtos e serviços das startups. As regulações específicas de setores, como o financeiro, também apareceram na análise do especialista, quando olha para a América Latina.

“O ecossistema precisa de densidade, porque muitas não vão dar certo, poucas vão ganhar a atenção como as startups unicórnios. Uma startups dar errado não significa que o empreendedor vai deixar de empreender e assim vai criando uma geração de empreendedores para que esta evolução do ecossistema aconteça”, comenta André. Esta densidade está na visão head do Google for Startups para a América Latina e com foco até no Estado do Alagoas.

Para o André é importante que estes empreendedores que tiveram sucesso retroalimentem o ecossistema investindo e compartilhando o conhecimento.

Growth Academy do Google no Brasil

Dentre os problemas que mais aparecem, segundo o head do Google for Startups para a América Latina, está associar as tecnologias utilizadas e desenvolvidas para que sejam conectadas com a jornada do usuário. Inteligência artificial e machine learning podem agregar mais conhecimento sobre este processo para permitir que a experiência do consumidor seja melhor a cada nova interação.

Mas e as startups que já estão em um processo de grow up, com rápido crescimento contínuo? O Google lançou na última semana o Google Academy com oito empresas brasileiras, que já estão escalando seus negócios, buscando crescimento de usuários e receita. O programa também treinará os especialistas (CEOs e CMOs) de crescimento das respectivas equipes, durante 10 semanas.

Quer saber mais sobre como levar a sua empresa para o Google for Startups, mais detalhes sobre o investimento de R$ 5 milhões da big tech em startups brasileiras lideradas por negros e o que o incentivou a migrar a da administração pública para a inovação?
Assista a Live, na íntegra, abaixo.

Ver essa foto no Instagram

Saiba em qual estágio o Brasil e toda a região da América Latina se encontra quando o quesito é inovação e o desenvolvimento de startups. E ainda, confira dicas e as novidades do Google for Startups Brasil nesta conversa com o @andrebarrence. #live #livedeinovacao #inovacao #googleforstartups #whowlives #google #startup #dicas

Uma publicação compartilhada por WHOW! (@whowfestival) em


bannerecossistema


+STARTUPS

Conheça os detalhes das startups no varejo
Novo unicórnio na área: VTEX entra para a lista de startups bilionárias brasileiras
Afinal, qual a importância do Pix para a inovação financeira?
Por que habilidades vão moldar o futuro do trabalho?