7 soft skills para reter clientes e aumentar vendas com a Black Friday - WHOW

Vendas

7 soft skills para reter clientes e aumentar vendas com a Black Friday

Soft skills são necessárias para promover um melhor atendimento ao cliente, o que, por sua vez, aumenta o volume de vendas e retém o cliente por mais tempo

POR Marcelo Almeida | 19/11/2021 17h41

Apostar apenas em produtos que tenham alta qualidade e maior aderência no mercado não é suficiente para obter bons resultados na Black Friday em 2021. Em datas sazonais como esta, os varejistas precisam se preocupar com questões como a forma que os clientes são tratados, usando habilidades conhecidas como soft skills.

Nesse sentido, a atuação dos vendedores é fundamental, já que os consumidores estão em busca de atendimentos empáticos e humanizados, que fazem a diferença na tomada de decisão de compra. Estudo feito pela Right Now mostra que 86% dos consumidores estão dispostos a pagar até 25% a mais para a loja que proporcionar um atendimento de qualidade.

Ou seja, um atendimento personalizado não apenas garante a fidelização do cliente, mas também pode aumentar a margem de lucro das vendas online durante a Black Friday deste ano.

Pensando em como atender essa demanda, Tatiana Pezoa, CEO da Outbound Sales, listou sete soft skills necessárias para que lojistas que utilizam as vendas outbound tenham sucesso na data sazonal. A lista torna claro que, para atuar na área de vendas e terem sucesso na Black Friday, os profissionais precisam colocar os clientes no centro dos negócios.

Soft skills para vender mais e reter clientes na Black Friday

1- Resolução de problemas – O profissional precisa fazer atendimentos eficazes, oferecendo soluções que resolvam as dores dos clientes e que ajudem aqueles que estão com problemas com a compra efetuada. “Durante todo o processo de vendas é preciso auxiliar as pessoas. O respeito, a paciência e o entendimento aprofundado sobre o problema enfrentado são essenciais”, diz Pezoa.

2- Preocupação genuína – Quando um profissional “veste a camisa” do negócio, passa a enxergar os seus clientes como pessoas que estão sob sua responsabilidade. “Vendedores realmente preocupados com o bem-estar dos outros garantem melhores resultados. Pessoas bem atendidas voltam a comprar na loja”, afirma Pezoa.

3- Empatia – Essa é a palavra-chave para a CEO da Outbound Sales. “A ótima experiência de compra passa pela habilidade do vendedor de se imaginar no lugar de quem está adquirindo o item. Qualquer pessoa quer ser bem atendida, respeitada e ter direitos preservados”, afirma ela.

4- Comunicação clara e efetiva – Realizar uma abordagem clara e efetiva com os consumidores garante que os objetivos dos dois lados sejam alcançados. “É fundamental que profissionais de vendas saibam se posicionar e que passem segurança para as pessoas, mostrando que têm conhecimento sobre o mercado, público-alvo e como podem ajudar”, afirma.

5- Escuta ativa – Em diversas situações é mais importante ouvir o cliente do que falar. “Há momentos em que pessoas desejam ser mais compreendidas, e é por isso que profissionais de vendas precisam saber a hora certa de falar e aproveitar as informações compartilhadas para conhecer mais sobre o público a ser atingido”, diz Pezoa.

6- Resiliência e adaptação – A resiliência é importante tanto na hora de lidar com os clientes como para acompanhar os movimentos do mercado. “A capacidade de rápida adaptação e recuperação permite que vendedores conheçam melhor a realidade dos consumidores, criando assim, estratégias mais assertivas. A resiliência também é essencial, com as transformações tecnológicas e de comportamento do consumidor, o cenário está em constante mudança, o que exige flexibilidade”, afirma Pezoa.

7- Busca por mais conhecimento – Segundo a CEO da Outbound Sales, profissionais de vendas precisam querer crescer profissionalmente e o caminho é o do conhecimento. “Se vendedores querem ter sucesso, precisam estudar como desenvolver novas habilidades, como ser cada vez mais empáticos e não invasivos, entender os movimentos do mercado e do público-alvo e tudo o que puder trazer mais alinhamento entre consumidores e varejistas”, avalia.