64% dos consumidores brasileiros já adotam as fintechs na rotina - WHOW
Vendas

64% dos consumidores brasileiros já adotam as fintechs na rotina

Pesquisa feita pela consultoria EY, em 27 países, mostra que os principais serviços utilizados são transferência de dinheiro e pagamentos

POR Adriana Fonseca | 16/12/2019 10h00 64% dos consumidores brasileiros já adotam as fintechs na rotina Foto Daria Shevtsova (Unsplash)

Entre 27 mil consumidores entrevistados em 27 países diferentes, 96% relataram que estavam ao menos cientes de um serviço de transferência ou pagamento realizado por uma fintech. Desses, 75% já usaram algum desses dois serviços dessas startups e 48% já utilizaram algum produto de seguro dessas empresas. Isso significa que somente 4% dos consumidores globais não conhecem os serviços de uma fintech.

Os dados são da pesquisa Global FinTech Adoption Index 2019, realizado pela consultoria de negócios EY.

As fintechs tiveram um crescimento expressivo nos últimos anos. Se antes elas eram consideradas uma maneira complexa dos consumidores gerenciarem as finanças, agora são usadas por milhões de pessoas em todo o mundo, consequência do aumento dos bancos online e das plataformas móveis. 

consumidores Foto (Freepik)

Fintechs no dia a dia

De acordo com o levantamento da EY, 64% dos consumidores globais adotaram o uso dos serviços das fintechs em 2019, número bastante superior ao encontrado em anos anteriores da pesquisa. A taxa de adoção dos serviços dessas startups era de 16% em 2015 e de 31% em 2017. 

O Brasil aparece junto com a média global. Por aqui, 64% dos consumidores adotaram os serviços de uma fintech na sua rotina. 

Em alguns países esse índice é maior: China (87%), Índia (87%), Rússia (82%), África do Sul (82%), Colômbia (76%), Peru (75%), Holanda (73%), México (72%), Irlanda (71%), Reino Unido (71%), Argentina (67%), Hong Kong (67%), Cingapura (67%), Coreia do Sul (67%) e Chile (66%).

Os serviços mais utilizados pelos consumidores globais são transferência de dinheiro e pagamentos, com cerca de três quartos das pessoas dizendo que já usaram esses serviços. Outros produtos frequentemente utilizados são poupança e investimento, planejamento financeiro, seguro e empréstimos. 

A consultoria EY ressalta que os números indicam que ainda há espaço para crescer em segmentos específicos. A adoção de serviços de poupança e investimento, por exemplo, é de apenas 27% entre as mulheres, contra 40% entre os homens.

consumidores Foto Jonas Leupe (Unsplash)

Preço importa

O custo do serviço ainda é o item mais importante para o consumidor ao escolher seu provedor de serviços bancários. 

Historicamente, o principal atrativo para quem decidia adotar uma fintech era a maior facilidade para criar uma conta—na comparação com os bancos tradicionais. Em 2017, por exemplo, apenas 13% disseram que as taxas atrativas eram uma prioridade, enquanto 30% atribuíram mais importância à capacidade de configurar uma conta com facilidade.

De acordo com os números deste ano, as prioridades mudaram. Enquanto 20% dizem que a facilidade de criação de uma conta é o mais importante, 27% estão mais preocupados com as taxas. 

Isso, segundo a EY, sugere que as fintechs são agora um mercado maduro, em que custos mais baixos e uma experiência do cliente sem atrito são esperados como padrão. Outros 18% adotaram uma fintech pelos produtos e serviços inovadores e 12% para ter uma melhor experiência. 


+FINTECHS

Mediação do Banco Central na batalha entre bancos e fintechs
Conheça os diferentes segmentos das fintechs
Aprendizados de uma fintech que deu a volta por cima
Fintech alemã começará a operar no Brasil