6 grandes tendências em tecnologia para este ano - WHOW
Tecnologia

6 grandes tendências em tecnologia para este ano

Relatório do Business Insider aponta algumas transformações que devemos acompanhar e que devem mudar a forma como lidamos com negócios. Confira a lista

POR Luiza Bravo | 04/08/2020 20h20

A transformação digital está apenas começando, e promete impactar indústrias dos mais diversos setores, como finanças, varejo e saúde. Por isso, a área de inteligência do Business Insider desenvolveu um relatório com tendências em tecnologia que devem nortear os negócios até o fim deste ano em diferentes segmentos.

Veja algumas das principais a seguir.

1. Aumento nos gastos em tecnologia 

Os maiores bancos dos EUA deixaram de lado enormes quantias de dinheiro para seus orçamentos de TI, enquanto bancos menores e cooperativas de crédito fazem o que podem para se manter competitivos, em meio à crescente importância do mobile banking. 

Uma das alternativas para isso é ampliar a aplicação de seus ativos no setor. De acordo com o Business Insider, os quatro principais bancos dos EUA investem, em média, de 0,41% a 0,48% de seus ativos em TI, enquanto, entre as cooperativas de crédito, esse percentual gira em torno de 0,42%. A expectativa, no entanto, é que essa realidade mude ao longo de 2020, e que essas instituições passem a investir uma porcentagem dos ativos na faixa de 0,49% a 0,55%.

2. Adoção de smartphones intermediários vai acelerar

Segundo o relatório, esse movimento tem sido liderado pelos consumidores de mercados emergentes, que estão trocando seus smartphones mais baratos por dispositivos intermediários. Enquanto isso, o avanço da tecnologia 5G deverá apenas deixar os celulares de primeira linha ainda mais caros, apesar de algumas falhas técnicas.

A busca por aparelhos intermediários foi impulsionada, entre outros fatores, pelo desenvolvimento, através da Qualcomm, da plataforma Snapdragon 6 e de novos chips, que se tornaram uma alternativa mais barata de acesso ao 5G. 

3. Montadoras globais e conexão 5G

A conectividade tornou-se parte central da indústria automobilística, permitindo o acesso dos motoristas a sistemas de informação e lazer, além de análises de dados mais complexas e o desenvolvimento de recursos de segurança aprimorados. 

O 5G oferece dados mais rápidos e latência mais baixa do que o 4G, recursos essenciais para o uso intensivo de dados e para a adoção em larga escala de carros autônomos. A expectativa é que, em 2021, a rede 5G atinja índices de cobertura semelhantes ao do 4G, o que deve impulsionar ainda mais esse movimento. 

4. Crise de segurança cibernética na área da saúde

Outra das tendências em tecnologia envolvem os ataques cibernéticos a organizações de saúde têm crescido constantemente nos últimos anos, e bateram recorde em 2019, quando mais de 41 milhões de dados de pacientes foram violados só nos Estados Unidos. 

De acordo com o relatório, a frequência dos ataques e o custo causado pelas violações vêm aumentando, mas os cuidados das organizações com a segurança cibernética, não. O principal motivo seria uma incompatibilidade entre os orçamentos hospitalares apertados e a sofisticação crescente dos ataques de hackers. 

5. Videogames para além dos jogos em suas plataformas 

Já faz algum tempo que as plataformas de jogos on-line oferecem compras que permitem que os usuários avancem níveis, alterem a roupa de seu avatar ou desbloqueiem outras utilidades. À medida que os jogos se tornam cada vez mais populares – de acordo com a Newzoo, já são mais de 2,5 bilhões de jogadores em todo o mundo – os desenvolvedores começam a construir um comércio mais amplo de recursos para monetizar ainda mais seus negócios. 

No fim do ano passado, a Riot Games, criadora de um dos jogos mais populares do mundo, o League of Legends, firmou uma parceria com a Louis Vuitton. A grife lançou uma coleção cápsula assinada por Nicolas Ghesquière que tinha o jogo como tema. As peças se esgotaram em menos de uma hora.

6. Moderação de redes sociais

Mais uma das tendências em tecnologia passará pelas eleições presidenciais dos EUA em 2016, que despertaram uma grande preocupação pública sobre o papel que as redes sociais desempenham na disseminação de informações falsas. Desde então, as principais plataformas passaram por várias investigações do Congresso norte-americano sobre o assunto, fizeram alterações em suas políticas de conteúdo, e seus CEOs fizeram promessas grandiosas para resolver o problema da moderação.

O resultado foi um conjunto de políticas e abordagens para moderação de conteúdo, abrangendo questões que vão da publicidade política ao discurso de ódio.

Todas essas políticas foram implementadas com resultados mistos, mas as eleições de 2020 provavelmente servirão como um teste para medir a eficácia desses esforços.

A expectativa do Business Insider é que a eleição norte-americana vai destacar as vulnerabilidades das plataformas, e que a disseminação de fake news e outros conteúdos inapropriados vai alavancar uma nova série de reivindicações por políticas regulatórias.


+TENDÊNCIAS EM TECNOLOGIA

Exclusivo: presidentes da Microsoft e SAP no Brasil discutem ética dos dados e computação quântica
Conheça os maiores IPOs de todos os tempos
Conheça as cidades com as melhores condições para inovação no mundo
As tecnologias que devem deslanchar, segundo MIT e Accenture