5 tendências em empreendedorismo feminino para 2022 - WHOW

Eficiência

5 tendências em empreendedorismo feminino para 2022

O Brasil é o sétimo país com o maior número de mulheres empreendedoras, de acordo com dados levantados pelo GEM.

POR Marcelo Almeida | 16/12/2021 08h49

Para saber mais sobre as tendências do empreendedorismo feminino em 2022, o Whow! recebeu cinco dicas exclusivas de Raquel Santos, que é fundadora da iDelas, plataforma de gestão financeira exclusiva para mulheres empreendedoras.

Segundo ela, o empreendedorismo feminino está, finalmente, ganhando seu devido destaque no mercado.

“As mulheres já somam mais da metade dos empreendedores nacionais – mais de 30 milhões em um universo de cerca de 52 milhões de profissionais, segundo dados do Global Entrepreneurship Monitor 2020 (GEM). Em um cenário tão propenso, grandes tendências já estão sendo desenhadas para contribuir ainda mais para essa propulsão feminina”, afirma ela.

O Brasil é o 7º país com o maior número de mulheres empreendedoras, de acordo com dados levantados pelo GEM.

“São cada vez mais profissionais tomando frente de seus negócios, com capacidade e competências iguais aos homens de comandarem empresas de sucesso. Por isso, é fundamental que elas estejam atentas às principais tendências que irão nortear seus negócios em 2022”, completa. 

Confira as 5 tendências apontadas por ela:

1. Negócios híbridos

A pandemia redirecionou o olhar dos empreendedores para o universo digital. A estratégia, por mais benéfica que tenha sido para atender os clientes à distância, não deve ser a predominante ou a única investida nos próximos anos. O grande tempo frente às telas já se tornou um fardo para muitos, relembrando o valor do comércio presencial e suas vantagens. Os negócios híbridos, nesse cenário, deverão ser o foco do futuro do empreendedorismo, mesclando o atendimento online com o presencial, de forma que todos os públicos sejam atendidos em seu meio de preferência, e com a mesma qualidade e personalização. As mulheres, em especial, dão muito valor ao presencial, onde é possível recorrer a vários estímulos sensoriais, como olfato, tato e visão. Vale a pena apostar nesses recursos de marketing sensorial.

2. Receita recorrente

Já é conhecimento geral que uma boa gestão financeira é um dos principais fatores que traz saúde e sucesso para qualquer empreendimento. Após inúmeras dificuldades econômicas claramente sentidas em todos os negócios neste último ano, a busca por uma operação que traga receita recorrente será uma das maiores tendências para o próximo ano. Além de proporcionar um faturamento mais estável para o crescimento da companhia, ainda possibilitará uma melhor organização do trabalho em si por meio da venda preditiva, capaz de antecipar desde o esforço que será necessário para a operação do negócio, até o fluxo de caixa para a organização financeira. Diversos negócios que tem mulheres como clientes recorrem a essa estratégia, como é o caso de assinaturas de flores, de comida orgânica, de roupas, calçados e acessórios, entre diversos outros.

3. Infoprodutos

Na busca por novas fontes de receita, os infoprodutos vêm se tornando excelentes estratégias que estão ganhando cada vez mais destaque e popularidade em negócios de todos os portes e segmentos. Com eles, os empresários podem não apenas aumentar suas vendas nas plataformas online, como também intensificar o marketing de seus produtos e serviços. Os ebooks são exemplos clássicos que se intensificaram nos últimos anos – mas além deles, outras opções de grande sucesso são podcasts, webinars e muitos outros. Os infoprodutos podem ser distribuídos gratuitamente, com a estratégia de estimular as vendas, mas também podem ser vendidos, aumentando as receitas da empresa.

4. Cashback

Muito mais do que criar promoções, combos ou sorteios, o cashback se mostrou uma estratégia altamente benéfica na captura e fidelização de clientes. Segundo uma pesquisa do Serasa, 53% dos consumidores acreditam que ele é uma função essencial na carteira digital de um serviço bancário ou de um aplicativo de compras. Com a proposta de fornecer parte do dinheiro de volta ao cliente após uma compra, sua principal vantagem é contribuir para a fidelização do consumidor, uma vez que ele sempre terá um crédito a ser utilizado na empresa. Essa estratégia irá aumentar a visibilidade da companhia no mercado e, consequentemente, seu número de vendas.

5. Meios de pagamento

Por mais empecilhos econômicos que tenha trazido para as empresas, a pandemia acabou favorecendo o desenvolvimento e modernização dos meios de pagamento. O Pix foi o exemplo mais clássico dessa mudança, se tornando o meio favorito dos brasileiros, com mais de 110 milhões de usuários ativos, de acordo com o Banco Central. Tomando o lugar de meios como o TED ou os próprios cartões, as transferências online e instantâneas são a grande aposta dos empreendedores – aumentando o número de vendas pela facilidade, segurança e praticidade nas transações, além de reduzir gastos com taxas costumeiras de cartões, por exemplo.