5 formatos para desenvolver um MVP - WHOW

Eficiência

5 formatos para desenvolver um MVP

Esta atitude ágil, criada com o Movimento Lean Startup, possui diferentes modelos. Veja uma ferramenta para desenhar a sua estratégia

POR Redação Whow! | 22/03/2021 18h12 Imagem: Freepik Imagem: Freepik

O Movimento do Lean Startup que surgiu no início dos anos 2000, com o empreendedor e acadêmico Steve Blank, traz o conceito da criação de produtos ou serviços de forma rápida e objetiva, sem necessariamente desenvolver todas as suas características necessárias, chamado de MVP (Produto Mínimo Viável, ou Minimum Viable Product, em inglês). Ele serve para testar e validar novas ideias de forma ágil e com baixo gasto de recurso financeiro ou humano.

Este processo ganhou fama internacional, quando Eric Ries, autor do livro Startup Enxuta, o descreveu em detalhes no seu livro. Ele o coloca como a versão de um novo que permite uma  equipe coletar informações vindas dos clientes, por meio de pouco tempo e esforço gastos, para analisar se há aderência dos futuros consumidores.

O especialista criou o ciclo virtuoso construir-medir-aprender para esta testagem.

Big techs atuais, como Facebook, Apple e Dropbox, tiveram os seus primeiros produtos e serviços criados através de MVPs

5 formas de desenvolvimento

O portal Whow! lista para você cinco formatos distintos para realizar um MVP. Estes possuem diferentes metodologias, orçamentos necessários e períodos de aplicação. Confira:

Fumaça

Este é um formato de pré-lançamento para verificar se, de fato, há um interesse daqueles que são vistos como o público-alvo. Pode-se criar uma Landing page na qual haverá uma breve descrição do produto e até um vídeo, com a chamada para que os interessados se inscrevam e recebam mais novidades quando uma primeira versão do produto ou serviço estiver disponível para testagem.

Concierge

Sem a necessidade de um alto investimento, este modelo de MVP funciona em um estágio inicial de exploração do mercado e do público-alvo. A entregado do produto ou serviço é feita especificamente para um grupo do qual se deseja coletar informações para o aperfeiçoamento da solução. Estes primeiros clientes devem saber que esta é uma fase de testes.

Mágico de Oz

Neste processo, é exigido um nível de desenvolvimento mais avançado da interface do produto ou serviço digital, pois ela deve estar pronta, mas ainda sem uma automatização concluída. Desta forma, a resposta ainda deve ser realizada por uma pessoa, mas já será possível coletar feedbacks valiosos dos usuários e assim ser mais assertivo ao criar a automatização

Recurso único

Com a principal função do produto ou serviço já desenvolvida, este é lançado ao mercado para testá-lo junto aos usuários. O foco está em divulgar a proposta de valor da solução ou gerar o interesse do público-alvo. A divulgação é de uma demonstração do produto ou serviço que não precisa estar na fase de desenvolvimento.

Duplo

Com dois ou mais protótipos são feitos testes com diferentes versões da solução, que podem variar desde o seu tamanho ou funcionalidades, até o valor e compatibilidade. Assim, verifica-se qual terá o melhor desempenho.

Mas esta é a forma mais caro e demorada de um MVP, por não se tratar de um único exemplo e o produto ou serviço já precisar ser uma versão quase final.

Cada negócio tem as suas peculiaridades e nem todos os modelos de MVP serão possíveis de uso. E o tipo de produto e a sua complexidade podem influenciar também na viabilidade de testagem e coleção de feedbacks dos usuários.

Canvas para MVP

E para alinhar as estratégias do MVP, a organização Caroli, especializada em metodologias ágeis, compartilha um Canvas para esta fase. Há uma sequência específica na qual ele deve ser preenchido: 1º Proposta do MVP, 2º Personas Segmentadas, 3º Jornadas, 4º Funcionalidades, 5º Resultado Esperado, 6º Métricas para validar as hipóteses de negócio e 7º Custo e & Cronograma.

Confira a ferramenta completa abaixo.

MVP Imagem: Canvas de MVP por Caroli.org

E não perca as novidades nas nossas redes sociais no LinkedIn, Instagram, Facebook, YouTube e Twitter.


+NOTÍCIAS

Você conhece o mundo BANI?
Conheça a tendência dos Superjobs
Como dar o primeiro passo no empreendedorismo
O legado no ecossistema de investimentos em startups