5 dicas para impulsionar a diversidade em MPEs e startups - WHOW

Pessoas

5 dicas para impulsionar a diversidade em MPEs e startups

A startup Jobecam ajuda a promover seleções e recrutamentos plurais e tornar torna os processos seletivos mais diversos, acessíveis e eficientes.

POR Marcelo Almeida | 14/01/2022 17h04

A busca por uma maior diversidade no local de trabalho, seja em função de gênero, raça, idade, estética, orientação sexual, deficiências ou de pessoas neurodivergentes (como aquelas que têm autismo, síndrome de Down, etc), é uma questão essencial atualmente.

É nesse sentido que trabalha a empresa Jobecam, que ajuda a promover seleções e recrutamentos plurais e tornar torna os processos seletivos mais diversos, acessíveis e eficientes por meio da tecnologia de vídeo e entrevistas às cegas.

Com o auxílio dela, empresas usam suas ferramentas para ter um ambiente mais saudável, heterogêneo e sem discriminações por questões de gênero, raça, classe e faixa etária em uma época em cada vez mais necessário é adequar as práticas e cultura organizacional à agenda ESG (environment, social and corporate governance).

Uma boa forma de mostrar que sua empresa valoriza esses conceitos é na prática.

É fácil impulsionar a imagem da sua empresa fazendo doações pontuais a projetos que ajudam o meio ambiente e mostrar que ela usa menos plástico em seus produtos, por exemplo.

Mais difícil é mostrar que o seu grupo de empregados envolve tanto o mais branco dos caucasianos quanto negros, pardos, asiáticos, mulheres, jovens, velhos, magros, gordos, neurodivergentes, pessoas com deficiência, LGBTQs+, e enfim, pessoas dos mais diversos caminhos da vida e com as mais diversas características que demonstram excelência em suas áreas.

É claro que, como micro e pequena empresa ou startup, sua empresa não tem a capacidade de absorver tantas pessoas diferentes, até porque muitas vezes os números de funcionários que você terá não passará de uma dezena.

O importante, no entanto, é ter como meta criar um time heterogêneo com pessoas com as mais diversas bagagens, até porque existem pesquisas que indicam que a diversidade no ambiente do trabalho é uma vantagem competitiva em função da maior diversidade de insights, inputs e ideias que pessoas diferentes podem contribuir.

A fundadora e CEO da Jobecam, Cammila Yochabell, aponta cinco ações para aumentar a diversidade em startups e MPEs:

1- Elimine o viés de percepção no processo de recrutamento e seleção

Muitas vezes, mesmo sem ser percebido, o viés inconsciente está presente na maioria das pessoas avaliadoras, como uma ideia estereotipada em relação ao outro. É ao acreditar, por exemplo, que determinados postos de trabalho só podem ser exercidos por homens, tornando essa percepção como base para desenvolver o processo de recrutamento e seleção, o que pode fazer com que a avaliadora desconsidere mulheres para o cargo.

2- Como conquistar a diversidade

Quando você admite e reflete sobre os vieses inconscientes, consegue evitá-los e gerar diversidade no ambiente da sua startup. Aparência física, classe social, localidade onde a pessoa candidata mora, cor da pele, gênero, sexualidade, religião ou qualquer outro fator de diferenciação são características que muitas vezes resultam em interpretações preconceituosas e acabam subtraindo as habilidades e os aspectos técnicos do profissional.

Para  diversificar o quadro de colaboradores e gerar inclusão social é necessário  selecionar e recrutar os mais diferentes perfis de profissionais, possibilitando que sua empresa não apenas se destaque no mercado mas também que ela seja capaz de captar as mais diferentes ideias, as quais podem ser usadas objetivando seu crescimento. Por isso, considere incluir no seu time diversos profissionais de origens diferentes, orientações e cultura.

3- Monitore o processo de recrutamento

Procure saber como o recrutamento está sendo conduzido, perguntas como ‘Com quem seu filho fica quando ele fica doente? Seus filhos vão para escola em qual horário?’ demonstram comportamentos machistas. O ideal é evitar esse tipo de questionamento, como também interromper a mulher durante a conversa ou fazer comentários desagradáveis e/ou invasivos.

4- Respeito às diferenças 

Com os candidatos, logo no processo de seleção, você já precisa demonstrar quais os valores de sua startup. É importante que a empresa dê o exemplo da cultura da diversidade e assim dificilmente os colaboradores terão um comportamento diferente.

5- Conduta legal

A Constituição Federal e a Consolidação das Leis de Trabalho (CLT) asseguram que o empregador não pode adotar práticas discriminatórias, seja para admissão do profissional, ou para manutenção do emprego.