WHOW

5 dicas de SEO para melhorar o ranking da sua empresa em sites de busca

conteudo 1

Você não precisa ser um expert em SEO (Search Engine Optimization) para poder melhorar a posição de sua homepage ou de páginas específicas do seu site na hierarquia dos buscadores online, como o Google. Basta ter uma boa estratégia de conteúdo alinhada às chamadas boas práticas de SEO.

Para determinar a posição do site de sua empresa em relação a determinada palavra-chave, sites de busca  costumam usar alguns parâmetros principais. O Google, especificamente, usa o conceito de relevância, que por sua vez é influenciado por diversos fatores, como o Page Rank, que mede a importância de uma página pela quantidade de links em outros sites que fazem direcionamento àquela página, sendo que a qualidade das páginas que abrigam esses links também é levada em consideração.

Além desse fator, existem vários outros que influenciam a posição dos sites nas buscas, sendo que as boas práticas de SEO buscam aumentar o potencial do site de ficar entre os resultados mais relevantes sem ter que recorrer à compra de palavras-chave ou aos anúncios pagos do Google.

Muitas vezes, empresas buscam atalhos para melhorar o ranqueamento, o que não traz resultado na prática. Por exemplo, usam diversos sites para criar links para o seu site e inflar a sua importância de forma artificial, colocam conteúdo oculto nas páginas para aumentar a possibilidade de ser reconhecida uma palavra-chave, colocam um título ou descrição de um site que não condiz com seu conteúdo, dentre várias outras técnicas.

Essas táticas, conhecidas como black hat, em contraposição às usuais e éticas, conhecidas como white hat, podem até funcionar por algum tempo, mas os sites de busca trabalham ativamente para evitar esse tipo de esquema, sendo que o Google chega a banir sites das suas buscas ou punir de forma mais branda, geralmente provocando uma queda significativa no posicionamento das páginas do site e uma diminuição de seu page rank.

Confira a seguir 5 dicas para melhorar a posição do site de sua empresa em sites de busca (sobretudo o Google) de forma ética por meio de táticas white hat:

  1. Crie URLs amigáveis – Os sites de busca preferem URLs que são amigáveis, ou seja, que são fáceis de ler e identificar as palavras-chaves importantes para a busca. Se você trabalha com um site de venda de carros denominado www.carros.com e quer vender um Honda Civic ano 2010 usado em um site ligado a essa homepage, você pode tanto ser simples e claro, usando algo como www.carros.com/honda-civic-2010-usado, como criar algo que possa fazer sentido para você, mas que não será bem recebido pelos mecanismos de busca, como por exemplo  www.carros.com.br/hcivic-2010us-03197. Note como no primeiro caso fica bem mais fácil associar palavras-chaves digitadas no site de busca do que no segundo, já que neste o criador decidiu usar “h” como referência a “Honda” e “us” como referência a “usado”, além de colocar um número de controle que é algo mais interno da companhia (“03197”). Ou seja, tente usar as palavras e números que melhor descrevem o tema da página que você quer melhorar a posição nas buscas, evitando termos crípticos demais, formas reduzidas de palavras, iniciais em vez da palavra inteira, enfim, tudo aquilo que provavelmente alguém não irá escrever ao fazer uma busca.
  2. Invista na produção de conteúdo – Mesmo que seu site seja institucional ou de vendas, ter uma seção de conteúdo como um blog pode favorecer bastante o seu site em termos de posicionamento nas buscas. Isso porque um site com atualização constante geralmente é considerado mais confiável pelos mecanismos de busca, já que isso aponta para um site vivo, que está recebendo uma atenção regular dos criadores. O contrário disso, um site sem atualização há meses, por exemplo, aponta para algo que não está ativo e que pode mesmo estar completamente abandonado pelos criadores, ou ser apenas um site meramente institucional, por exemplo. Além disso, a produção de conteúdo também ajuda o seu site na medida em que as novas páginas terão assuntos, e portanto palavras-chave, diversos, aumentando a possibilidade de alguém chegar a seu site por meio de uma busca indireta (procurando determinado assunto que leve a um artigo do seu site sobre ele), em vez de apenas ser possível achá-lo de forma mais direta (procurando pelo nome da empresa, por exemplo).
  3. Escolha com cuidado as palavras-chave que pretende “disputar” – Na medida em que você começa a agregar conteúdo ao seu site, você precisa começar a considerar com cuidado o título de cada uma, por exemplo. Isso porque o título será o tema da sua página e irá indicar as principais palavras-chave daquele site (mas não as únicas, o conteúdo interno também é considerado nas buscas). Dessa forma, você precisa levar em conta a dificuldade de cada palavra-chave que pretende disputar, o que programas como o Google Adword e SeoMoz podem ajudá-lo a fazer. De forma geral, as palavras-chave são divididas em long tails ou head tails. As head tails têm menos palavras e são mais abrangentes, como “marketing digital”. Por ser mais abrangente e aparecer em uma quantidade bem maior de sites, acaba se tornando mais difícil ocupar as primeiras posições em uma busca com esse tipo de termo, sendo mais sensato investir nas long tails, que possuem mais palavras e, via de regra, são mais específicas. Para seguir no mesmo exemplo, considere que o criador da página tenha dado o título “marketing digital” à página do curso de pós-graduação que determinada faculdade oferece. Para melhorar seu posicionamento, melhor seria escolher um título como “Pós-graduação lato sensu em Marketing Digital”, sendo possível incluir o nome da faculdade também. O importante é considerar que o número de páginas com as palavras-chave “Marketing Digital” é centenas de vezes maior do que o número de páginas com os termos “Pós-graduação lato sensu em Marketing Digital”.
  4. Teste antes de escolher palavras-chave – Por meio de ferramentas, como o Google Adwords, é possível ver quantas buscas são feitas em determinado período para determinada palavra-chave. Dessa forma, além de pesquisar variações de uma palavra-chave que você tem em mente, é possível também ver se as pessoas procuram os termos com mais frequência no plural ou no singular, dentre várias outras características específicas que fazem o volume de buscas por palavras-chave crescer ou diminuir. Pode ocorrer também o caso de existir um grande número de buscas por determinada palavra-chave porque ela é usada por uma marca famosa em outro país, por exemplo, que você nunca ouviu falar. Evitar ambiguidades e concorrentes poderosos é uma boa forma de se posicionar melhor nos resultados de busca também.
  5. Mantenha o título da página abaixo de 70 caracteres e na ordem correta – Um título com mais de 70 caracteres não deixa de ser indexado pelos mecanismos de busca, mas o que ocorre é que os caracteres acima de 70 acabam não sendo mostrados na busca, gerando uma incapacidade de o usuário entender qual é o título completo da página e, portanto, o tema a que ela faz referência. Além disso, o ideal é colocar o título da página antes e, se quiser, o nome do site no final. Isso porque, caso você faça o contrário, corre-se o risco de parte do título acabar ficando fora da área limite de 70 caracteres. Em termos práticos, levando em conta que o nome da empresa em questão é Honey Pot, é melhor ter uma página com o título “Aprenda a fazer doces saudáveis a partir do mel usando apenas os materiais básicos que tem em casa – Honey Pot” do que a ordem inversa.
Sair da versão mobile