15 termos que todo empreendedor precisa saber; nível avançado I - WHOW

Eficiência

15 termos que todo empreendedor precisa saber; nível avançado I

Bootstrapping? Due diligence? Drag along? TAM, SAM, SOM? Conheça o que significam os termos avançados do meio empreendedor

POR Carolina Cozer | 21/11/2019 10h00 Foto Janko Ferlic (Unsplash) Foto Janko Ferlic (Unsplash)

Para quem está iniciando no mundo das startups como empreendedor, mas ainda está confuso com algumas palavras usadas nas reuniões e mentorias, preparamos uma série de conteúdos que desmistificam os termos comuns deste universo. Esta é a terceira parte, que já conta com os níveis básico e intermediário. Você os encontra ao final deste texto.

Nesta matéria lhe apresentaremos 15 termos avançados que todo empreendedor precisa saber.

1.Bootstrapping

Terminologia usada quando uma startup é construída, lançada e mantida com capital proveniente do bolso do investidor, sem a ajuda de financiamentos externos, sendo mantida, também, a partir do fluxo de caixa produzido pelo negócio. Vem da palavra inglesa “bootstrap”, que significa “alça de bota”, passando a ideia de que a empresa usa a própria força para ser puxada para cima.

2.Cap Table

Abreviação de capitalization table, traduzido como tabela de capitalização. É uma tabela ou gráfico organizacional, usado para exibir e avaliar a participação de cada acionista nos negócios (fundadores e investidores), deixando claro quem é dono de cada parte da empresa.

empreendedor Foto Calum Macaulay(Unsplash)

3.Deal Breaker

Significa “quebra de acordo”, em português. Como o nome já diz, é uma situação ou fator que pode levar uma das partes se retirar de uma negociação.

4.Drag along

É uma cláusula de proteção para acionistas majoritários (aqueles que possuem mais de 50% das ações em circulação de uma empresa). Caso o acionista majoritário venda as ações da empresa, essa cláusula garante que os minoritários sejam obrigados a vendê-las também, garantindo que a empresa seja 100% vendida em uma negociação.

5.Due Diligence

Diligência prévia, em português, é a pesquisa realizada pelos investidores antes de financiar uma startup, produto ou projeto, onde se checa todas as informações técnicas, fiscais, legais e financeiras envolvidas, a fim de verificar a regularidade da empresa, se o investimento é válido e quais são os riscos envolvidos.

6.Growth Hacking

Growth hacking, ou hack de crescimento, é o termo usado para as estratégias experimentais que são aplicadas para o crescimento de marketing da empresa, como testes A/B e business intelligence, além das análises de métricas tradicionais. Também é conhecido como “marketing orientado a experimentos”, e é considerado como a evolução natural do marketing digital.

empreendedor Foto (Unsplash)

7.Hipster, Hacker e Hustler

O hipster seria o profissional com ideias criativas e inovadoras; o hacker é o especialista em softwares e solucionador nato, enquanto o hustler seria o comunicador e promoter do produto final. Por exemplo, um time com um designer, um programador e um gerente de projetos, que tenham estas características inatas, podem compor este modelo de time.

8.Hurdle Rate

Taxa mínima de retorno de um projeto ou investimento exigida por um investidor, ou a taxa mínima que a própria empresa deseja atingir, levando em consideração os riscos e outros fatores envolvidos no processo. Normalmente é esperado que se atinja o hurdle rate em um projeto antes que se inicie um novo.

9.Mark up

O empreendedor também precisa conhecer este cálculo utilizado para determinar o preço de venda de um produto, com base no custo de produção, impostos ou taxas, variações de mercado, interesse de lucro e potenciais descontos a serem aplicados. É uma terminologia bastante comum em negócios de ecommerce, pois as taxas de marketplace precisam ser avaliadas.

10.Outsourcing

Significa “terceirização”, literalmente. Esta é uma estratégia de negócios adotada por empresas ao contratar mão de obra de terceiros para serviços específicos, que não estejam na linha de frente da produção. Serviços de limpeza, segurança e vigilância são exemplos de trabalhos comumente terceirizados em empresas.

11.PME

Sigla para “pequenas e médias empresas”. De acordo com o Sebrae, o tamanho dos negócios é definido pelo número de funcionários ou pela receita bruta, sendo que as pequenas e médias empresas têm entre 10 e 100 empregados e faturamento entre R$ 360 mil a R$ 16 milhões, no máximo.

empreendedor Foto Marten Bjork(Unsplash)

12.Shareholder

É a tradução literal de “acionista”, ou seja, pessoa, empresa ou instituição que possui ao menos uma ação de uma empresa.

13.Spin-off

Assim como no cinema ou nas séries de TV, o spin-off ocorre quando uma empresa cria um subproduto que se torna um novo empreendimento, que tem fôlego para ter vida própria. Também pode ocorrer quando existe uma cisão em uma empresa, seja por venda de partes ou divisão de propriedade intelectual.

14.Stakeholders

Enquanto os shareholders são os acionistas, os stakeholders são as demais partes interessadas em uma empresa, como os funcionários, investidores, clientes, fornecedores e até mesmo o governo ou instituições de ensino.

15.TAM, SAM, SOM

São três métricas utilizadas para avaliar o tamanho do mercado a ser investido, e criar metas com base nessas verificações:

TAM, ou Total Addressable Market (mercado total disponível), é a demanda máxima existente para um produto ou serviço, ou seja, 100% do nicho;

SAM, ou Serviceable Addressable Market (mercado endereçável), é o quanto daquele nicho está disponível no mercado para ser atingido;

SOM, ou Serviceable Obtainable Market (mercado acessível), é o quanto do SAM a empresa quer ou pode atingir, com bases realistas, considerando a competição do mercado, o capital disponível e capacidade das próprias operações.

empreendedores Arte (Grupo Padrão)


+STARTUPS

15 termos de startups que todo empreendedor precisa saber; nível básico
15 termos de startups que todo empreendedor precisa saber; nível intermediário
10 dicas de livros de executivos de grandes startups
Inovação é o principal fator de valorização das marcas no Brasil, aponta estudo