15 termos de startups que todo empreendedor precisa saber; nível básico I - WHOW
Eficiência

15 termos de startups que todo empreendedor precisa saber; nível básico I

O mundo do empreendedor e das startups está cheio de jargões. É aconselhável conhecer e usar esse vocabulário para passar confiança aos investidores

POR Carolina Cozer | 30/10/2019 13h00 15 termos de startups que todo empreendedor precisa saber; nível básico I Foto Daria Nepriakhina (Unsplash)

Assim como qualquer cultura, as startups possuem uma série de jargões próprios. Aprendê-los, por incrível que pareça, não é opcional: muito mais do que um capricho, os termos do universo empreendedor são necessários na comunicação e entendimento com futuros investidores.

Pode soar, talvez, um tanto quanto elitista uma cultura baseada em termos da língua inglesa, mas eles existem para que haja maior aproximação com o mercado internacional, abrindo mais portas.

Separamos, abaixo, uma lista introdutória com alguns termos mais comuns, os quais todo o empreendedor interessado em dar passos maiores em seu negócio deveria saber:

1.B2B, B2C e B2B2C

B2B é, literalmente, “business to business”, ou “de empresa para empresa”. É quando uma empresa fornece seus produtos ou serviços a uma outra empresa. Já o termo B2C se refere aos serviços “business to consumer”. Isso acontece quando uma empresa vende ou fornece algum serviço ao público em geral. Existe ainda uma terceira variação, a B2B2C, ou “business to business to consumer”, um modelo de comércio que combina B2B e B2C para uma transação completa de produto ou serviço. Por exemplo, um atacadista que vende para um varejista e este, por fim, fornece aquele mesmo produto para um cliente final.

empreendedor Foto (Freepik)

2.Benchmark

Literalmente “referência”, em inglês. É o processo pelo qual uma empresa mede seu sucesso atual, ou compara suas próprias metodologias com as da concorrência, checando resultados de ambos. É um processo muito usado por investidores para verificar o crescimento de uma startup, determinando se eles atingiram ou não os parâmetros de referência. 

3.Break even 

Outro termo importante para empreendedor, é “ponto de equilíbrio”. Este momento em que uma empresa começa a dar lucro. A fórmula consiste em subtrair os custos fixos pelos custos variáveis e multiplicar pela margem de contribuição. É um cálculo essencial para se checar a viabilidade de um negócio.

4.Disrupção

É a inovação radical, que traz uma novidade tão revolucionária que quebra o conceito de um mercado tradicional, e o força a se transformar completamente para que continue de pé. O exemplo mais atual de disrupção foi o serviço de streaming Netflix, que tem induzido a indústria de televisão por assinatura a se reinventar.

5.IPO

“Initial Public Offering”, ou Oferta Pública Inicial. É o momento em que uma empresa passa a abrir o capital e ofertar ações pela primeira vez.

6.Investidor-anjo

Pessoa que investe seu próprio capital em startups de estágio inicial, em troca de uma parte da empresa. Ao empreendedor procurar este modelo de investidor é importante ter um plano de negócios definido, um bom pitch e uma prova de conceito. Mas investidores-anjo também são, muitas vezes, amigos ou familiares que estão dispostos a colocar dinheiro do próprio bolso para ajudar um negócio a sair do papel.

empreendedor Foto Mohamed Hassan (Pixabay)

7.KPI

“Key Performance Indicator”, ou Indicador de Chave de Desempenho. São as métricas pelas quais as startups julgam sua própria performance e cumprimento de metas. Alguns dos KPIs mais comuns incluem custo de aquisição de clientes e receita mensal e anual.

8.MVP

Mínimo Produto Viável. Esta é a versão básica de um produto necessária para começar as operações, como, por exemplo, a versão beta de um software, ou uma nova linha de metrô que opera em horário reduzido para fins de testes pré-inaugurais.

9.Pitch

Também conhecido como pitch de elevador, é uma apresentação rápida do projeto de uma startup para investidores potenciais, que geralmente dura de 30 segundos a um minuto — mas também existem apresentações neste modelo de até 20 minutos É um processo essencial e obrigatório em todas as buscas por investimentos. O conceito por trás do pitch é: se você encontrasse o investidor da sua vida em um elevador, o que diria para convencê-lo durante aquele trajeto?

10.Pivot

Pivot, ou pivotar, é o ato de mudar a direção de uma empresa, buscando novos horizontes, mas sem mudar o conceito-base. É um momento chave que pode ser usado por uma startup para salvá-la antes da falência, ou simplesmente dar uma pausa nas conquistas e fazer algumas novas experimentações.

empreendedor Foto (Pixabay)

11.ROI

“Return on Investment”, ou “Retorno sobre Investimento”. De modo resumido, é quanto dinheiro foi ganho pelo empreendedor  em relação a um investimento efetuado, seja o próprio investimento da empresa em si, ou qualquer investimento feito de modo interno para os negócios.

12.Rodada Semente

Também conhecida como Seed Round, é primeira rodada de financiamento de venture capital (capital de risco) para uma startup. Esta fase ocorre quando um novo negócio ainda está em desenvolvimento (nunca é anterior à rodada dos investidores-anjo), e no Brasil costuma chegar até R$ 2 milhões

13.Venture capital

Significa, literalmente, capital de alto risco. É conhecido pela abreviação “VC”. São investimentos altíssimos feitos por capitalistas de risco (venture capitalists) em startups que já tenham saído da Rodada Semente, e estejam mostrando relevância e rápido crescimento no mercado. O fundo que faz aporte em uma empresa passa a ter parte no quadro societário.

14.Rodada de Série A, B e C

São as demais rodadas de investimentos posteriores à Semente, quando a empresa já está mais consolidada no mercado, e em busca de expansão e são feitas por fundos de venture capital. A rodada de série A vai de R$ 2 milhões até R$ 20 milhões; a Série B, fica em torno de R$ 40 milhões; e da Série C em diante, até R$ 200 milhões, até que a empresa possa se tornar um unicórnio.

15.Unicórnio

É o título dado às startups que valem a partir de US$ 1 bilhão. O apelido surgiu porque unicórnios são extremamente raros — assim como startups com essa avaliação. 

empreendedores Arte (Grupo Padrão)


+ ECOSSISTEMA

Conheça o ecossistema de inovação do Espírito Santo
Conheça o ecossistema de inovação de Minas Gerais
50 Empresas que mais apoiam o ecossistema de inovação no Brasil
Bradesco e Porto Digital, no Recife, criam ecossistema de quase 600 startups