10 dicas de livros de executivos de grandes startups - WHOW
Consumo

10 dicas de livros de executivos de grandes startups

Fundadores, CEOs e outros executivos de startups de destaque falam sobre as obras que inspiram suas carreiras. Confira os 10 livros citados

POR Raphael Coraccini | 24/10/2019 11h42 10 dicas de livros de executivos de grandes startups Imagem: Unsplash

O portal Whow! foi atrás da inspiração que move alguns dos executivos das startups de destaque no Brasil. As leituras de cabeceira desses empreendedores e executivos passam por obras de economia, administração até literatura distópica.

Conheça as dicas nas palavras dos próprios executivos.

As primeiras três são do André Loureiro, diretor geral do Waze para América Latina.

“Sempre tive o costume de ler, mas como acontece com muita gente, vamos nos envolvendo com outras atividades e deixando os livros de lado. Por isso, este ano adotei a prática do audiobook. Assim, consigo consumir o conteúdo do livro enquanto faço exercícios ou durante uma viagem. Continuo a ler durante a noite, mas enquanto terminei de ler apenas um livro neste ano, consegui escutar 11. Com a produtividade de leitura maior, pude me dar ao luxo de ampliar os temas e abrir a cabeça. É o que tento fazer: combinar um livro de negócios, um de desenvolvimento pessoal e um variado.”

1. The Green New Deal – Jeremy Rifkin

“Nesse sentido, recomendo The Green New Deal, do Jeremy Rifkin. Este livro é uma sequência do “A Terceira Revolução Industrial (Third Industrial Revolution)” e é muito bom para entender a revolução socioeconômica e ambiental que estamos vivendo.”

livros Foto (Pixabay)

2. Game Changers – Dave Asprey

“Game Changers, do Dave Asprey, é muito inspirador em termos de desenvolvimento pessoal e produtividade. O autor dá dicas para melhorar a performance de tarefas cotidianas, mas tudo baseado em análises de conversas com pessoas que se destacam em suas áreas de atividade.”

3. Why science does not disprove God – Amir Aczel

“Why science does not disprove God, de Amir Aczel, é interessante para ampliar os horizontes do pensamento e entender pontos de vistas diferentes.”

Na sequência a indicação de livro do fundador da startup Allya, Marco Ferelli:

4. A Startup de $100 – Chris Guillebeau

“O livro que mais me inspirou foi o A Startup de $100 , de Chris Guillebeau, no começo da minha saga como empreendedor. A vontade de empreender era grande, mas faltava conhecimento e recursos financeiros. Neste livro pude conhecer algumas histórias que me inspiraram e lições para criar um produto ou serviço que fosse relevante e pessoas dispostas a pagar por ele.

Uma das histórias que me chamou a atenção foi a da Toursaver e sobre como criar ofertas irrecusáveis. A ideia foi criar livretos de cupons de desconto para viajantes que visitavam o Alasca, que recebe mais de 1 milhão de visitantes todos os anos para conhecer o Parque Nacional Denali e outras atrações. A motivação para o negócio era os altos preços dessa região para o turista.

O empreendedor se aproveitou de sua rede de relacionamento no trabalho anterior e convenceu os estabelecimentos a criar ofertas atrativas, do tipo compre um leve dois. Ele usava de suas habilidades de vendas para trabalhar com as objeções e criar uma rede de parceiros relevante.

Depois de provar o benefício do programa aos estabelecimentos (hotéis, pousadas, passeios, excursões, etc.), ele precisou mostrar para as pessoas como elas se beneficiariam do seu produto. O argumento principal que usou foi de oferecer um benefício imediato, do tipo: “compre este livreto de cupons, use uma vez e recupere o dinheiro que pagou.” Usando essa estratégia a Toursaver continua firme e forte, fazendo isso há mais de 20 anos.”

livros Foto (Pexels)

As duas indicações a seguir são de Marcelo Loureiro, cofundador da Grow:

5. Zero a um – Peter Thiel 

“Este é um livro que ‘ensina’ que o bom empreendedor tem que criar o mercado. O valor está em criar o novo, algo que ainda não foi feito, que obviamente carrega sempre o risco alto, mas dando certo é um game changer. É como a arte, a capacidade de enxergar algo diferente que a maioria não vê.”

6. O ego é seu inimigo – Ryan Holiday e Andrea Gottlieb

“Outro que recomendo é “Ego is the Enemy”, que mostra que é preciso prestar atenção sempre e ter humildade para não cair na armadilha da fama, do sucesso, da vaidade e etc.”

Christian Reed, cofundador da Opinion Box, recomenda as duas próximas obras:

7. Freakonomics – Steven D. Levitt e Stephen J. Dubner

“Questiona aquilo que a sociedade entende como sendo verdade absoluta e os temas são bem interessantes, bem diversos, eles entram muito a fundo na compreensão do comportamento humano e dizem como ele pode ser influenciado. O livro bate muito na relação de causa e efeito, como uma coisa que acontece hoje pode impactar algo daqui cinco ou trinta anos, acho muito interessante.”

8. Superfreakonomics – Steven D. Levitt e Stephen J. Dubner

“Aqui, na Opinion Box, nosso business é comportamento humano baseado em dados e eu acho essa coletânea espetacular para aplicar no nosso mundo. Eles trazem dois ensinamentos bem fortes. Primeiro, a gente não pode assumir que algo é verdadeiro antes de se aproximar e entender. E, para isso, é preciso trabalhar com dados. Segundo: eles não só impactaram minha forma de pensar, mas de estabelecer uma forma de ter pensamento crítico e de não ter o óbvio como única opção.”

livros Foto (Pixabay)

A próxima dica de livro é de Fernando Vilela, diretor de Growth e Marketing da Rappi no Brasil:

9. Misbehaving, The Making of Behavioral Economics – Richard Thaler

“Como economista de formação, sempre tive uma curiosidade sobre o novo campo da economica comportamental que estava surgindo. E esse livro, do ganhador do nobel Richard Thaler, sintetiza, basicamente, a evolução da teoria e como ela se aplica na tomada de decisão diária. Esse livro abriu minha mente sobre como entender de forma muito mais estruturada como os consumidores tomam suas decisões de acordo com diferentes cenários, contextos, e porque muitas vezes a decisão não é 100% de acordo com o agente racional. Isso ajuda muito a construir estratégias 100% orientadas à visão e à percepção dos nossos usuários, e não necessariamente àquilo em que acreditamos como o mais racional.”

A lista de livros é encerrada por André Ferraz, CEO e cofundador da In Loco:

10. 1984 – George Orwell

“Desde que eu era criança, aprendi o quão fácil era raquear um sistema. Ao mesmo tempo, fui exposto à computação ubíqua, que trata do momento em que nossa vida será completamente automatizada pela computação. Os dois conceitos eram conflitantes para mim, pois a facilidade em quebrar um sistema computacional significava que as pessoas poderiam ter a vida controlada se o problema da privacidade não fosse resolvido.

O livro de George Orwell só reforçou tudo aquilo que eu sempre questionei: não podemos ter nosso direito à privacidade violado. Para mim, invasão de privacidade é o mais silencioso ato de violência. Foram esses e outros motivos que me inspiraram a criar a In Loco, uma empresa de dados de localização para criar um novo protocolo de autenticação: anônimo, baseado em comportamento, não em identidade. Queremos provar que o modelo de surveillance economy está obsoleto e que é possível termos tecnologia, conveniência e tudo isso de maneira anônima, privada e segura.”


+ NOTÍCIAS

Itaú, B3 e CI&T usam o erro para inovar
Como serão os hospitais do futuro?
Conheça o aplicativo mais baixado entre usuários Android e iOS
5 dicas para não falhar na prática do Design Thinking