SAVE THE DATE 23, 24 E 25 JUL 2019 ARCA - SP SAVE THE DATE 23, 24 E 25 JUL 2019 ARCA - SP SAVE THE DATE 23, 24 E 25 JUL 2019 ARCA - SP
A inovação te leva para outro mundo.
Grandes empresas podem ser fontes de grandes tecnologias?
Escrito por Jacques Meir | 6 de novembro de 2018 | 5 meses atrás

Um dos maiores desafios das empresas incumbentes é modernizar a ideia da Tecnologia da Informação, corrigindo os pecados e vícios e fomentando a busca e a criação de inovação para perenizar o negócio no futuro. Essa é a tarefa a que se propôs Alan Boheme, Chief Technology and IT Innovation Officer da P&G, líder mundial em bens de consumo. Essa é a grande motivação da carreira deste executivo: indicar caminhos que permitam às empresas líderes a transformar e preparar seus negócios para vencer na era digital. “Rethinking Technology at Large Enterprises” foi o tema de sua apresentação solo no Web Summit.

“Como se pode reinventar marcas e empresas, como se repensa tecnologia em grandes empresas?”, questiona Allan. Para o executivo, trata-se de incorporar e procurar sempre as melhores práticas. Por que as empresas acostumam-se a usar sempre bases tecnológicas padronizadas, commoditizadas. Para Allan, as empresas precisam quebrar esse código, explorar o potencial da TI que está fora da empresa.

O CTO da P&G fez uma rápida retrospectiva histórica para demonstrar como a TI foi perdendo relevância nas empresas, pois voltou-se cada vez mais para o uso de soluções e tecnologias comuns a todos os competidores. “E agora, com a revolução das startups, as empresas viram seus talentos técnicos migrarem massivamente para essas companhias insurgentes. A chance de criar, inovar e experimentar fora das grandes estruturas mudou as bases competitivas”, afirmou Allan.

O executivo da P&G listou alguns passos que ajudam a recuperar a força criativa e estratégica da TI nas corporações:

-assumir que há um problema
-admitir que a tecnologia tem poder
-reconhecer a gravidade e a urgência do problema
-o C-Level precisa estar consciente de que mudar é preciso
-evangelizar o time para essas mudanças, para acompanhar essa revolução
-investir em talentos de TI
-criar uma cultura orientada a inovação digital

As empresas precisam entender que a TI, nos dias de hoje, nos novos padrões das startups, demandam metodologias ágeis e que não penalizem erros. A história da inovação traz ensinamentos valiosos para reorientar uma cultura mais amigável ao uso e desenvolvimento de tecnologias que promovam a efetiva transformação digital.

Allan mostrou o case “Analyse my skin”, da marca Olay de cosméticos da P&G. A ferramenta de IA SKINADVISOR permitiu que as clientes e usuárias pudessem identificar quais os pontos de atenção que Olay pudesse ajudar com sua tecnologia. O sistema analisava a pele das faces e indicava a terapia mais adequada.

Allan também destaca as áreas de atuação da TI no negócio: IA, Supply Chain, IoT, relacionamento com clientes, canais digitais. O fato é que TI recuperou protagonismo no negócio e é hoje a área que pode conduzir as empresas para um caminho seguro para resolver problemas, impactar a vida das pessoas e oferecer tecnologias e inovação que agreguem valor para o negócio.

Top